Associação Internacional da Cor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Logo standardized-high.jpg

A Associação Internacional da CorAIC (International Colour Association, em inglês, ou Association Internationale de la Couleur, em francês) é uma sociedade científica internacional cujos objectivos são promover a investigação em todos os aspectos da cor, difundir o conhecimento obtido através desta investigação e promover a sua aplicação à solução de problemas nos campos da ciência, da arte, do design e da indústria, num âmbito internacional.

A AIC aspira a manter uma colaboração próxima com outras organizações internacionais, tais como, por exemplo, a Comissão Internacional de Iluminação (Commission Internationale de l’Éclairage — CIE), a Organização Internacional para a Estandarização (International Organization for Standardization — ISO) e a Comissão Internacional de Óptica (International Commission for Optics — ICO), no que respeita a temas da cor. Apesar disso, a AIC não duplica o trabalho que se realiza nessas organizações nem procura assumir as responsabilidades das mesmas.

AICmezcla-total1.jpg

História[editar | editar código-fonte]

A AIC foi fundada em 21 de Junho de 1967, em Washington, DC, Estados Unidos, durante a 16ª Sessão da CIE (Commission Internationale de l’Éclairage).

O seu primeiro presidente foi o britânico William David Wright, no período de 1967-1969.

Os presidentes que sucederam a Wright foram:

  • Yves LeGrand (1970-1973, França);
  • Tarow Indow (1974-1977, Japão);
  • C. James Bartleson (1978-1981, EUA);
  • Robert William G. Hunt (1982-1985, Grã-Bretanha);
  • Heinz Terstiege (1986-1989, Alemanha);
  • Alan R. Robertson (1990-1993, Canadá);
  • Lucia R. Ronchi (1994-1997, Itália);
  • Mitsuo Ikeda (1998-2001, Japão);
  • Paula J. Alessi (2002-2005, EUA);
  • José Luis Caivano (2006-2009, Argentina);
  • Berit Bergström (2010-2013, Suécia).

Congressos[editar | editar código-fonte]

De quatro em quatro anos, a AIC organiza congressos gerais. Nos anos intermédios pares realiza congressos interinos e nos anos intermédios ímpares realiza congressos intermédios. Nos congressos gerais são apresentados trabalhos originais em todas as temáticas e campos relacionados com a cor, enquanto que os congressos interinos e intermédios são temáticos, concentrando-se cada um deles num aspecto mais específico da cor. Os trabalhos apresentados em todos os congressos são publicados em livros de actas.

Membros[editar | editar código-fonte]

Os membros regulares da AIC são as associações nacionais de cor dos diferentes países. Para além dessas associações, integra, ainda, membros individuais (pessoas que se associam individualmente) e membros associados (outras associações internacionais afins).

Comité executivo[editar | editar código-fonte]

O comité executivo da AIC é constituído por sete pessoas: um presidente, um vice-presidente, um secretário-tesoureiro e quatro membros ordinários. Este comité, cujos sete membros devem pertencer a países diferentes, renova-se cada quatro anos, mediante eleições que têm lugar nas assembleias que a associação realiza durante os congressos gerais.

Prémio Judd[editar | editar código-fonte]

Desde 1975, em cada dois anos, a AIC outorga um prémio internacional a investigadores ou grupos de investigadores, como modo de reconhecer contributos de destaque no campo da ciência da cor: o Prémio Deane B. Judd. A selecção consiste num procedimento árduo, que inclui nomeações feitas por membros da AIC e a análise de antecedentes dos nomeados realizada por um comité composto pelos anteriores galardoados do prémio.

Os investigadores que receberam este prémio foram:

  • 1975: Dorothy Nickerson (EUA);
  • 1977: William David Wright (Grã-Bretanha);
  • 1979: Gunter Wyszecki (Alemanha, EUA, Canadá);
  • 1981: Manfred Richter (Alemanha);
  • 1983: David L. MacAdam (EUA);
  • 1985: Leo M. Hurvich y Dorothea Jameson (EUA);
  • 1987: Robert William G. Hunt (Grã-Bretanha);
  • 1989: Tarow Indow (Japão, EUA);
  • 1991: Johannes J. Vos y Pieter L. Walraven (Holanda);
  • 1993: Yoshinobu Nayatani (Japão);
  • 1995: Heinz Terstiege (Alemanha);
  • 1997: Anders Hård, Gunnar Tonnquist e Lars Sivik (Suécia);
  • 1999: Fred W. Billmeyer Jr. (EUA);
  • 2001: Roberto Daniel Lozano (Argentina);
  • 2003: Mitsuo Ikeda (Japão);
  • 2005: John B. Hutchings (Grã-Bretanha);
  • 2007: Alan R. Robertson (Canadá);
  • 2009: Arne Valberg (Noruega);
  • 2011: Lucia Ronchi (Itália).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]