Associação amoxicilina/ácido clavulânico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A associação amoxicilina/ácido clavulânico é uma combinação de fármacos que potenciam o efeito bactericida. Pode provocar problemas no fígado, não se recomendando o uso prolongado (>14 dias).

A amoxicilina associada ao ácido clavulânico tem a sua semi-vida aumentada, pois o ácido clavulânico inibe a quebra da amoxicilina pela enzima betalactamase.[1]

Antibiótico betalactâmico associado a um inibidor das betalactamases.

A combinação de amoxicilina com clavulanato de potássio (sal do ácido clavulânico) permite o tratamento de infecções por bactérias que resistem à amoxicilina, por produzir beta-lactamases. A amoxicilina possui ação bactericida e seu efeito depende da sua capacidade para unir-se às proteínas que ligam penicilinas localizadas nas membranas citoplasmáticas bacterianas. Inibe a divisão celular e o crescimento e produz lise e elongação das bactérias sensíveis, particularmente as que sofrem rápida divisão, pois possuem maior grau de sensibilidade à ação das penicilinas.

Indicado para infecções por cepas bacterianas Gram-positivas ou Gram-negativas produtoras de beta-lactamases, especialmente Haemophilus influenzae, Moraxella catarrhalis, Staphylococcus aureus, E. coli, espécies de Klebsiella, espécies de Enterobacter, Haemophilus ducreyi.

Referências

  1. Manual de Antibióticos Antibacterianos ISBN 972-8830-41-6
Ícone de esboço Este artigo sobre associações medicamentosas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.