Associação dos Escritores Moçambicanos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Associação dos Escritores Moçambicanos (AEMO), é uma organização que tem como objectivo dar a conhecer obras e autores de literatura moçambicana.

A associação, fundada em 31 de Agosto de 1982, desenvolve a sua actividade, entre outras formas, através da edição de obras de autores moçambicanos, da atribuição de prémios literários e da organização de conferências, jornadas e debates visando a divulgação da literatura moçambicana.

O escritor José Craveirinha foi o seu primeiro presidente.[1]

As colecções[editar | editar código-fonte]

A AEMO publica as colecções:

  • Karingana, para a prosa[2]
  • Timbila, para a poesia[3]
  • Início, para dar a conhecer o trabalho de jovens escritores[3]

Os prémios[editar | editar código-fonte]

A associação atribui:

  • O Prémio Vida Literária
  • Prémios revelação, que visam promover a criação literária e o aparecimentos de novos autores:

A revista Charrua[editar | editar código-fonte]

No início da sua actividade, a associação criou, em 1984, a revista Charrua, que abriu novos espaços e perspectivas, levando ao aparecimento de uma nova geração de escritores moçambicanos, hoje consagrados, designada pelo nome da revista: a Geração Charrua.

A revista tinha periodicidade bimestral e publicou oito números.[5]

O Círculo de Leitores[editar | editar código-fonte]

Em 2002, a associação institui o Círculo de Leitores da Associação dos Escritores Moçambicanos, projecto que, através de encontros mensais entre estudantes do ensino secundário e do ensino universitário e jovens escritores, visa dar a conhecer os autores moçambicanos e as suas obras.[6]

Notas

  1. Ver [1].
  2. Ver Memória de África.
  3. a b Ver [2].
  4. a b Em colaboração com o Instituto Camões. Ver [3]
  5. Ver [4] e [5]
  6. Ver.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Página da Associação dos Escritores Moçambicanos na Internet (consultado em 13 de Julho de 2008)