Assoreamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Abril de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.


Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.

Assoreamento é o processo em que observa-se no leito dos rios acúmulo de detritos, lixo entulho e outros , no fundo dos rios e lagoas interferem na topografia de seus leitos impedindo-os de portar cada vez menos água, provocando seu transbordamento em épocas de grande quantidade de chuvas e tornados


No Brasil o despejo sistemático de esgotos domésticos, provenientes de habitações que são lançados diretamente nas margens dos rios ou indiretamente, filtrados dos aterros sanitários é uma das causas de morte da vida marinha nos rios e lagos que não deve ser confundido com o processo de assoreamento.

Segundo Jorge Paes, devido à redução de profundidade, que provoca a Desertificação.

Nao se deve confundir também os processos erosivos, causados pela turbulência das águas e ventos com os processos de degradação químicos, antrópicos que em alguns casos contribuem que os assoreamentos físicos, desagregam solos e rochas formando sedimentos que serão posteriormente transportados para o mar.

Embora o depósito de sedimentos constitua um fenômeno do assoreamento fluvial, que pode ser seguido de Desertificação , a milênios vem contribuindo na purificação e filtragem das aguas de chuva que correm no leito de um rio .

O assoreamento é um fenômeno muito antigo e existe há tanto tempo quanto existem os mares e rios do planeta, e este processo já evitou que o fundo dos oceanos entupisse com milhões de metros cúbicos de impureza orgânicas, esse trabalho de filtragem antes das encostas oceânicas, levam anos para se formarem.

Porém o homem vem acelerando este antigo processo através dos desmatamentos, desbarrancamentos e outras ações que acabam por expor as áreas à erosão, a construção de favelas sem contenção de encostas , além de desmatar, tem a erosão acelerada devido à declividade do terreno, as técnicas agrícolas inadequadas, quando se promovem desmatamentos extensivos para dar lugar a áreas plantadas, a ocupação do solo, impedindo grandes áreas de terrenos de cumprirem com seu papel natural de absorvedor de águas e aumentando, com isso, a potencialidade do transporte de materiais, devido ao escoamento superficial e das grandes emissões gasosas.

O assoreamento não chega a estagnar um rio, ao contrário, acumula por dizer a sua força erodindo novos caminhos em outras direçoes, como se o rio reclamasse seu leito original, mudando drasticamente seu rumo. O assoreamento de um rio, nas vizinhanças duma cidade , quando não remanejado pelas prefeituras, pode criar lagos nos espaços urbanos deixando as populações inteiras ilhadas em suas casas.

A deposição de sedimentos em reservatórios é um grande problema no Brasil, bem como os danos aos espaços urbanos de São Paulo e Rio de Janeiro, pois a maioria da energia consumida vem de usinas hidroelétricas, e essa água acaba por se perder ou estagnar em doenças. No caso da Usina hidrelétrica de Tucuruí, por exemplo, foi calculado em 400 anos o tempo necessário para o assoreamento total do reservatório da barragem, o que é controlado, porém o que não se observa nos espaços urbanos segundo J. Paes.

Apesar de não "matar" os rios, o assoreamento pode aumentar o nível de terra submersa e ajuda a aumentar os níveis das enchentes nos espaços urbanos e rurais de ocupação humana.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Carvalho, Newton de Oliveira - Hidrossedimentologia Prática - CPRM - Rio de Janeiro, 1994 : 372p. il.
  • Lucas Soares Bedendo - Curso de administração - ETFG Sebrae- Minas Gerais, 2014.
  • Rios, Jorge L. Paes - Etudes des Courrents Turbulents par Anemometrie Laser - INPG - Grenoble, 1979 (Tese de Doutorado).

Ver também[editar | editar código-fonte]