Astrid Fontenelle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Astrid Fontenelle
Nome completo Astrid Coutinho Fontenelle de Brito
Nascimento 1 de abril de 1961 (53 anos)
Rio de Janeiro , RJ
Nacionalidade  Brasileira
Ocupação Apresentadora e jornalista

Astrid Coutinho Fontenelle de Brito (Rio de Janeiro, 1 de abril de 1961) é uma jornalista e apresentadora de televisão brasileira, além de ter sido VJ da MTV Brasil.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Nascida no bairro carioca do Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro, aos dezesseis anos foi com a mãe, transferida de trabalho, morar em São Paulo. Malu Coutinho, sua mãe, já era separada de José Fontenelle desde o nascimento da apresentadora.[nota 1] [nota 2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Considerada uma das mais versáteis jornalistas da TV brasileira e muito conhecida pelo seu trabalho na extinta MTV Brasil (Pé na Cozinha, Disk MTV e Barraco), Astrid já passou por diversas emissoras desde os tempos da faculdade, na Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo.

Seu primeiro emprego foi uma estágio em uma assessoria de imprensa paulistana, onde foi trabalhar na assessoria do então nadador Ricardo Prado. Depois foi fazer a produção do Festival dos Festivais, da Rede Globo, em 1985 e, ainda na emissora, também apresentou o primeiro Hollywood Rock com o então repórter Pedro Bial.

Na TV Gazeta, de São Paulo, passou pelo jornalismo diário e apresentou, em 1988, o TV MIX, programa que lançou os "repórteres-abelha" (jornalistas com uma câmera na mão e "uma vaga ideia na cabeça"). Após uma rápida passagem pela TV Manchete, onde substituiu Celene Araújo na apresentação do programa vespertino feminino Mulher 90, dirigido por Nilton Travesso, Astrid começou seu trabalho na MTV Brasil no ano seguinte, quando começou a apresentar o Disk MTV, com recordes de audiência para um canal em UHF. Logo depois permaneceu por nove anos apresentando programas como Barraco MTV e Pé na Cozinha. Em 1999 chegou à Band, onde apresentou o Programaço e, posteriormente, o Programa Sílvia Poppovic, cuja apresentadora estava de licença-maternidade. Fez também o Carnaval da Bahia pela mesma emissora. Em 2001, apresentou ainda o Melhor da Tarde, junto com Leão Lobo e Aparecida Liberato, e deixou a atração no começo de 2005.

Antes de estrear na MTV Brasil, Astrid passou pela sede da emissora musical em Los Angeles para fazer um estágio. Astrid não era apenas VJ do canal, assumia também a função de gerente de jornalismo da emissora. A jornalista foi a primeira VJ a entrar no ar na MTV Brasil. Foi também a primeira VJ a apresentar o Disk MTV, um dos programas mais populares da emissora. Na época, a primeira frase dita por Astrid quando a MTV entrou no ar: "Oi, eu sou a Astrid e é com o maior prazer que estou aqui para anunciar que está no ar a MTV Brasil."

Astrid já experimentou a carreira de atriz quando participou do curta metragem Almoço Executivo dirigido por Marina Person e Jorge Espírito Santo. A apresentadora atuou nesta mesma produção ao lado de seus colegas de MTV Chris Couto e Zeca Camargo.

Em 2007, apresentou o programa Happy Hour no canal pago GNT, que é ao vivo, diário e às 7h da noite. O programa funcionava com um tema diferente diariamente, discutido entre três convidados (normalmente duas personalidades e um especialista no tema). Com várias matérias sobre o assunto, etc. Em 2008, fez uma inusitada participação especial no show da Hebe, como correspondente internacional, em uma matéria de Nova York sobre o lançamento do filme Sex and the City, incluindo entrevistas com algumas atrizes do filme.

Depois de um tempo afastada da televisão, a jornalista volta a apresentar o Happy Hour, programa que deixou de apresentar no fim de 2007 para tratar de assuntos pessoais como a adoção do filho Gabriel. O tema da reestreia do programa, exibido em 27 de julho de 2009, foi "Superação".

Em março de 2012 recebeu da APCA o prêmio de "Melhor Programa" pelo Chegadas e Partidas, que apresenta no GNT. Na oportunidade, aproveitou para falar abertamente do lúpus, doença com a qual foi diagnosticada no início do mesmo ano.[2] Em 1988, ela já havia sido condecorada com a mesma premiação como "Apresentadora Revelação" (na época a jornalista apresentava o programa TV Mix, dirigido por Fernando Meirelles, o consagrado e premiado diretor de cinema conhecido pela grande obra prima do cinema brasileiro Cidade de Deus).

A partir de 06 de março de 2013, estreia como a principal apresentadora do Saia Justa no GNT substituindo Mônica Waldvogel que estava no programa havia dez anos. Ao seu lado, Barbara Gancia, Maria Ribeiro e Mônica Martelli debatem os principais assuntos da semana.

A apresentadora passou por momentos tensos na televisão, num deles, durante uma entrevista no TV MIX, Astrid com o seu bom humor e ironia pergunta ao cantor Supla se quem fazia o seu figurino era sua avó, fazendo com que o cantor subisse na mesa irritado com a pergunta.

A apresentadora Angélica, durante sua passagem pelo SBT, faz uma paródia dos programas de videoclipes da MTV interpretando uma VJ chamada "Angelicastrid", numa clara referência à então VJ daquele canal.

Programas[editar | editar código-fonte]

TV MIX I (Gazeta de São Paulo)
Dirigido por Tadeu Jungle (TV Mix I e II - no ar pelas manhãs) e Serginho Groisman (TV Mix III e IV - no ar no início da noite), o programa, considerado um formato inovador na época, misturava entretenimento e jornalismo. Era apresentado por Tadeu Jungle (TV Mix I), Astrid Fontenelle (TV Mix II), Aline Sasahara (TV Mix III) e Serginho Groisman (TV Mix IV).
Hollywood Rock (Rede Globo)
Astrid Fontenelle apresenta com Pedro Bial a primeira edição deste importante festival de rock no Brasil. Este programa teve a direção de Roberto Talma e Boninho.
Mulher 90 (Rede Manchete)
Em sua breve passagem pela Tv Manchete, Astrid apresenta o Mulher 90 sob direção de Nilton Travesso.
Disk MTV (MTV)
Um dos primeiros e mais tradicionais programas da emissora musical, o Disk teve Astrid como a primeira vj a apresentá-lo entre outubro de 1990 e setembro de 1994, sendo em seguida apresentado por Cuca Lazarotto.
Barraco MTV (MTV)
Programa de debates que marcou época na emissora musical por discutir questões polêmicas como aborto, drogas, sexo entre outros assuntos, sempre recebendo convidados que defendiam pontos discordantes.
Pé na cozinha (MTV)
O último programa que Astrid comandou no canal. Era um programa de entrevistas que se passava numa cozinha cenográfica, que dava um aspecto mais intimista entre a apresentadora e o convidado, enquanto se preparava uma receita. As entrevistas mais marcantes foram as do Padre Marcelo Rossi e do apresentador Ratinho.
Programaço (Band)
Este programa que mesclava um pouco de tudo que Astrid tinha feito em sua carreira na MTV, marcou o início de sua passagem pela Band, o programa tinha entrevistas com personalidades onde com elas Astrid sempre fazia um programa com os convidados como uma ida ao zoológico com José Simão ou um piquenique com a Ivete Sangalo.
Programa Silvia Poppovic (Band)
Astrid assumiu o comando do programa durante a licença maternidade da titular. No início gerou dúvidas se o estilo moderninho que Astrid trazia da MTV iria se adequar ao programa vespertino conhecido pelo seu público conservador, formado por senhoras, bem diferente da garotada da MTV. Porém, Astrid se mostrou versátil e talentosa o suficiente para mostrar que era capaz de se comunicar com qualquer tipo de público.
Melhor da Tarde (Band)
Programa vespertino da Band, comandado inicialmente por Astrid, Leão Lobo e Aparecida Liberato. Programa de variedades que se caracterizava por entrevistas com subcelebridades, notícias de bastidores contadas por Leão Lobo e aulas de numerologia de Aparecida Liberato e merchandising.
Happy Hour (GNT - Globosat)
Depois de um longo tempo afastada da TV Astrid volta em grande estilo para o canal GNT, conhecido pela qualidade de sua programação. O Happy Hour tem o intuito de abrir o horário nobre do canal, sendo o primeiro programa ao vivo e diário da emissora. Marcado pela interatividade com os telespectadores através da internet e pelo telefone, o programa ganha espaço e elogios da crítica por abordar assuntos atuais, sempre com convidados em estúdio, sem deixar de ser leve e divertido. Astrid demonstra grande habilidade e carisma à frente do programa, sendo um de seus melhores momentos na TV. Astrid deixa a primeira temporada do programa para resolver assuntos pessoais, voltando um ano e meio depois para o comando do programa.
Chegadas e Partidas (GNT - Globosat)
De 2011 até atualmente apresenta essa atração no canal a cabo, que recebeu em 2012 prêmio da APCA de "Melhor Programa".
Saia Justa (GNT - Globosat)
Com o desligamento de Mônica Waldvogel do GNT, Astrid é convidada para assumir o posto de apresentadora e mediadora dos debates em sua 12ª temporada. Toda quarta às 21h30 ela está ao lado de Barbara Gancia, Maria Ribeiro e Mônica Martelli.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

A apresentadora foi casada durante cerca de sete anos com o empresário e produtor Marcelo Checon. Após a separação, a atriz investe na maternidade e adota Gabriel, cujo padrinho é Jorge Espírito Santo, atual Gerente Artístico e de Conteúdo do canal GNT, amigo de longa data da apresentadora (desde os tempos da MTV).

Notas

  1. O sobrenome Fontenelle é de uma tradicional família com vários ramos no Ceará e adjacências, de onde provém o pai da jornalista. O patriarca da família, Jean de Fontenelle, foi engenheiro de minas e hábil ourives, que veio para o Brasil a serviço da Corte portuguesa, chegando ao Ceará em meados do século 18, vindo de Melun, França — embora sua família tivesse origem em Rouen, na Normandia. Instalou-se na Serra de Ibiapaba, onde viria a constituir família e falecer, após ajudar a formar do aldeamento jesuítico indígena o povoado que se tornaria a cidade de Viçosa do Ceará.[1]
  2. A família da atriz Antônia Fontenelle tem a mesma procedência.

Referências

  1. Alberto da Costa e Silva. Espelho do príncipe: Ficções da memória (também disponível em eBook). [S.l.]: Nova Fronteira, 1994. 189 pp. ISBN: 9788520933770.
  2. R7 - Entretenimento

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons