At the Drive-In

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
At the Drive-In
Informação geral
Local de nascimento El Paso, Texas
 Estados Unidos
Gênero(s) Post-hardcore
Período em atividade 19932001 / 2012 - atualidade
Gravadora(s) Grand Royal Records
Afiliação(ões) The Mars Volta
Sparta
De Facto
Ex-integrantes
Cedric Bixler Zavala
Jim Ward
Omar Rodriguez-Lopez
Paul Hinojos
Tony Hajjar

At the Drive-In é uma banda estadunidense de post-hardcore formada em El Paso em 1993 por Cedric Bixler Zavala (vocal, percussão, sintetizador), Jim Ward (guitarra, vocal, teclado, percussão) e Omar Rodriguez-Lopez (guitarra, vocal).

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro álbum (EP) do At the Drive-In foi chamado de Hell Paso, em referência a sua cidade natal. Logo após seu lançamento, em novembro de 1994, a banda saiu em turnê pelo Texas, tocando principalmente em shows vazios. No entanto, após a gravação de seu segundo EP, Alfaro Vive, Carajo!, eles foram contratados pela Flipside, depois de Blaze James, desse selo, vê-los tocando em um show com apenas nove pessoas na platéia.[1]

Pela Flipside, o ATDI gravou seu primeiro disco, Acrobatic Tenement,[2] que saiu por um custo extremamente baixo: apenas US$600. Logo após o lançamento, foram feitas mudanças na formação: entraram Tony Hajjar na bateria e Paul Hinojos no baixo. Omar, que até então tocava baixo, assumiu a segunda guitarra[1] .

Quando a Flipside parou de lançar discos, eles começaram a procurar outros selos que pudessem lançar seu próximo álbum. Assinaram com a Offtime Records que lançou o EP El Gran Orgo sem autorização da banda. Como resultado, a banda se revoltou e começou a fazer contrapropaganda, que acabou tendo efeito inverso, fazendo o EP esgotar-se em três dias. Este EP não teve a participação de Jim Ward, que havia se afastado temporariamente da banda[1] .

Após desfazer o contrato com a Offtime Records, o ATDI começou a procurar outra gravadora, mas nenhuma estava interessada em assinar com a banda. Até que alguns executivos da Fearless Records assistiram a um show da banda e ofereceram um contrato. Isto foi uma grande surpresa, pois esta gravadora era conhecida por lançar apenas bandas de Pop punk[1] .

Em junho de 1998, foram a estúdio para gravar, tendo como produtor Alex Newport e já de volta com Jim Ward na formação da banda. Gravaram In/Casino/Out quase totalmente ao vivo em estúdio, gravando direto, assim, conseguindo mostrar o som cru, honesto e experimental como lhe era característico[3] .

Após o lançamento, saíram em turnê, tocando ao lado de grandes bandas como Fugazi, Sonic Youth, The Get Up Kids, Jimmy Eat World entre outras. Durante essas turnês entre o segundo disco e o EP seguinte, eles chegaram a feitos como passar por 11 países em seis semanas. No meio de 1999, resolveram compilar algumas canções não lançadas oficialmente, e lançá-las no EP Vaya. Voltaram, então, às turnês[1] .

Nesse momento, assinaram com a jovem gravadora DEN Records e em 17 de janeiro de 2000, entraram em estúdio para gravar ao lado de Ross Robinson. Após sete semanas, entregaram o material a Andy Wallace. Antes de o disco estar pronto, a DEN Records funde-se com a Grand Royal Records e o grupo volta a turnês. Em setembro, é lançado o disco, Relationship of Command[1] .

Em 2001, a banda se separa, e Cedric e Omar formam o Mars Volta enquanto Jim, Paul e Tony formam o Sparta.[3]

Em janeiro de 2012 a banda anunciou que voltou à ativa.[4]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

EPs[editar | editar código-fonte]

  • Hell Paso (1994, Western Breed)
  • Alfaro Vive, Carajo! (1995, Western Breed/Headquarter/Restart)
  • El Gran Orgo (1997, One Foot/Offtime)
  • Vaya (1999, Fearless)

Singles[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]