Atlas Shrugged: Part I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Atlas Shrugged, Part 1
A Revolta de Atlas, Parte 1 (PT/BR)
 Estados Unidos
2011 • colorido • 102 min 
Direção Paul Johansson
Produção John Aglialoro
Harmon Kaslow
Bruce Wayne Gillies
Roteiro Brian Patrick O'Toole
Elenco Taylor Schilling
Grant Bowler
Edi Gathegi
Género Ação / ficção científica
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Atlas Shrugged: Parte I é uma adaptação para o cinema americano de 2011 da primeira parte do livro homônimo Atlas Shrugged de Ayn Rand. Depois de várias propostas e adiamentos por quase 40 anos, o investidor John Aglialoro iniciou a produção em junho de 2010. O filme foi dirigido por Paul Johansson e apresenta Taylor Schilling como Dagny Taggart e Grant Bowler como Hank Rearden.

Se a trilogia for completada, ela vai contar a história de Atlas Shrugged, que ocorre em um Estados Unidos distópico onde inovadores, de empreendedores a artistas, são levados por John Galt a entrar de greve, "parando o motor do mundo" para reafirmar a importância do livre uso da mente e do capitalismo de livre mercado.

Narrativa[editar | editar código-fonte]

É 2016 e os Estados Unidos estão em uma depressão econômica. A escassez de petróleo resultou em um retorno das ferrovias como o modo primário de transporte. Depois de um grande acidente sobre a linha Rio Norte da ferrovia Taggart Transcontinental, o CEO James Taggart se esquiva da responsabilidade. Sua irmã Dagny Taggart, vice-presidente a cargo das operações, decide unilateralmente salvar parte da ferrovia trocando a linha envelhecida por novos trilhos feitos do experimental Metal Rearden, o qual seu inventor, Hank Rearden, garante que ele é leve e ainda assim mais forte que o aço convencional.

O político Wesley Mouch - o enviado de Rearden em Washington, D. C. - é parte de um grupo que vê os empreendedores como pessoas que devem ser domesticadas. James Taggart utiliza sua influência política para assegurar que a Taggart Transcontinental seja designada a ferrovia exclusiva para o estado do Colorado. Dagny é contratada por Ellis Wyatt, um empresário nervoso do ramo do petróleo do Colorado que se vê forçado a fazer negócios com a Taggart Transcontinental. Dagny promete a ele que ela vai fornecer o serviço que ele precisa. Dagny encontra seu amigo de infância e ex-namorado Francisco d'Anconia, que apresenta uma fachada de um playboy entediado com a busca do dinheiro. Ele revela que uma série de minas de cobre que ele construiu não valiam nada, custando a seus investidores milhões.

Rearden vive em uma casa magnífica com a esposa e o irmão que são felizes em viver sem seu próprio esforço, embora eles o desrespeitem. O presente de aniversário de Rearden para sua esposa Lillian é um bracelete feito da primeira fornalha de Metal Rearden, mas ela considera isso um espantoso símbolo de seu egoísmo. Na festa, Dagny se atreve a oferecer a Lillian uma troca do bracelete pelo seu colar de diamantes, a qual Lillian aceita.

Enquanto Dagny e Hank reconstroem a Linha Rio Norte, pessoas talentosas largam seus empregos e se recusam a aceitar quaisquer termos para continuar trabalhando. Entretanto, Dr. Robert Stadler do Instituto de Ciência Estatal divulga um relatório dizendo que o Metal Rearden é perigoso. As ações da Taggart Transcontinental despencam por causa do seu uso do Metal Rearden, e Dagny, numa manobra empresarial, deixa a Taggart Transcontinental temporariamente e cria sua própria empresa para terminar a Linha Rio Norte. Ela renomeia a linha para Linha John Galt depois da frase "Quem é John Galt?" se tornou um meme para qualquer questão para qual é inútil procurar uma resposta.

Uma nova lei força Rearden a vender a maior parte dos seus negócios, mas ele mantém a Rearden Steel para o bem do seu metal e para terminar a Linha John Galt. A linha começa a funcionar e completa sua primeira viagem com segurança. Hank e Dagny celebram o sucesso da linha na casa de Wyatt, agora um amigo. Naquela noite, Dagny e Hank ficam juntos. Na manhã seguinte, eles começam a investigar um protótipo abandonado de um motor avançado que pode revolucionar o mundo. Eles percebem a genialidade do criador do motor e procuram por ele. Durante a viagem, Dagny encontra e persegue o conhecido Dr. Hugh Akston, que está trabalhando como cozinheiro em uma lanchonete; ele entende quem Dagny está procurando e diz que ela nunca irá achá-lo.

Outra nova lei limita o frete por ferrovia e cria uma taxa especial sobre o Colorado. Quando Dagny ouve que os campos de petróleo de Wyatt estão pegando fogo, ela corre para a casa dele mas somente acha uma carta que diz "eu estou indo embora. Tomem. Isso é de vocês." O filme encerra com uma voz artificial declarando que ele está de greve.

Possível sequência[editar | editar código-fonte]

A péssima recepção de Atlas Shrugged: Part I levou Aglialoro a reconsiderar seus planos para o resto da trilogia pretendida. Em uma entrevista com o The Hollywood Reporte, ele disse que continua com planos de produzir a parte 2 e 3 para ser lançado em 15 de abril de 2012 e 2013 respectivamente. Em uma entrevista depois com o The Boston Globe, Aglialoro foi ambivalente: "Eu aprendi algo há muito tempo jogando pôquer. Se você pensa que vai perder, não aposte tudo. Se a parte 1 não deu retorno suficiente para apoiar a parte 2, eu vou fazê-la."

Em 8 de junho de 2011, o site do Atlas Shrugged: Part II foi lançado, anunciando uma data de lançamento para o verão de 2012. Entretanto, nenhuma filmagem está agendada ou informação sobre atores anunciadas.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]