Atlas do Tell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2012)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Mapa das cordilheiras montanhosas do Norte de África
Localização
Coordenadas 36° N 1° E
Localização Norte de África
País(es)  Marrocos,  Argélia
 Tunísia
Características
Altitude máxima 2 308 m
Cumes mais altos Monte Lalla-Khadîdja
Comprimento 1500
O Monte Lalla-Khadîdja, o cume mais alto do Atlas do Tell

O Atlas do Tell (em árabe: الاطلس التلي; em cabila: Di atlas udraren) é um cadeia montanhosa com mais de 1 500 km de comprimento que faz parte da da cordilheira do Atlas, no Norte de África. Estende-se paralelamente à costa mediterrânica desde Marrocos até à Tunísia, concentrando-se sobretudo na Argélia.

Juntamente com o Atlas saariano a sul, constitui a cadeia mais setentrional de duas cadeias paralelas que se aproximam uma da outra a leste, permanecendo bastante distintas entre elas na Argélia oridental e juntam-se na Argélia ocidental. Na sua extremidade ocidental, junta-se às cadeias do Rif e do Médio Atlas. Entre estas duas gigantescas barreiras naturais, intercalam-se vastas planícies e planaltos férteis, ricos em flora e fauna, nomeadamente a planície de Setif e os vales de Rio Chelif e Hodna. A cadeia forma uma barreira natural entre o deserto do Saara e o Mediterrâneo.

O seu ponto mais alto é o Monte Lalla-Khadîdja, que se eleva a 2 308 m de altitude no maciço de Djurdjura, na Argélia.

Clima e características naturais[editar | editar código-fonte]

O clima é do tipo mediterrânico, com verões quentes e secos e invernos temperados, chuvosos e com neve nas altitudes mais altas. Em consequência disso, as vertentes norte estão florestada com o endémico abeto da Argélia (Abies numidica), cedro do Atlas (Cedrus atlantica), pinheiros e sobreiros. No verão, o siroco, um vento quente e seco que sopra do Saara em direção a norte provoca dias poeirentos e secos ao longo das montanhas e da costa norte africana.

Apesar do clima árido, encontram-se algumas explorações cerealíferas de cevada e trigo na região do Atlas do Tell. A garganta de Chiffa é um dos pouco locais onde subsiste o macaco-de-gibraltar (Macaca sylvanus), uma espécie ameaçada de primata.

Notas e fontes[editar | editar código-fonte]

  • Hance, William Adams. The Geography of Modern Africa (em e em inglês). 2ª. ed. [S.l.]: Columbia University Press, 1975. 657 pp. ISBN 0231038690.
  • Hogan, C. Michael; Strõmberg, Nicklas (ed). Barbary Macaque: Macaca sylvanus. [S.l.]: Globaltwitcher.com.


Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.