Ato de Navegação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O Ato de Navegação foi uma legislação promulgada na Inglaterra, em 1651, por Oliver Cromwell. Nela se estabelecia que todas as mercadorias importadas por qualquer país europeu fossem transportadas por navios ingleses ou de seus próprios países.

Posteriormente, em 1652, especificou-se que o capitão e, pelo menos, três quartos da tripulação dos navios, deveriam ser britânicos.

Esta lei provocou uma forte reação dos Países Baixos, que até então obtinham grandes lucros com o comércio marítimo inglês. Em consequência, os dois países mergulharam nas Guerras Anglo-Holandesas que terminou com a vitória da Inglaterra (1654), marcando o início efetivo da hegemonia marítima britânica.

História[editar | editar código-fonte]

O ato de Navegação foi a resposta do governo inglês ao poderio naval e comercial holandês em meados do século XVII. Naquela época, os Países Baixos constituíam-se na maior potência comercial e dispunham da maior frota . Ao mesmo tempo, a Inglaterra desenvolvia uma poderosa marinha, tanto mercante, quanto bélica, desenvolvia as manufaturas, expandia o Império, e abria muitos novos mercados internacionais ao seu comércio.

Em 1651, a assinatura dos "Atos de Navegação" contribuiu decisivamente para esse crescimento económico, impulsionando o capitalismo inglês, ao favorecer a indústria naval e a burguesia mercantil. Constituiu-se em uma das mais importantes atitudes políticas tomadas pelo governo puritano de Cromwell, que havia derrubado a Monarquia em 1649 e que transformou a Inglaterra numa república ditatorial por cerca de dez anos.

O Ato de Navegação foi abandonado nas primeiras décadas do século XIX, quando a proeminência naval da Grã-Bretanha os tornou obsoletos. Entretanto, em sua Origem , junto com o Calvinismo, a política dos "cercamentos", a Revolução Gloriosa, e a presença de abundantes recursos naturais (carvão e ferro), foi um dos elementos que contribuíram para o pioneirismo inglês na Revolução Industrial, durante a segunda metade do século XVIII.

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.