Audiobook

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gravação em K-7 do livro The Mauritius Command de Patrick O'Brian.

Audiobook, audiolivro ou livro falado é uma gravação do conteúdo de um livro lido em voz alta. Essa gravação se apresenta em suportes informacionais diversificados, podendo ser encontrada em K-7 e CD, e também em formatos mais modernos como o MP3, o WMA e o Ogg, entre outros, gratuitos ou pagos.

As versões pagas contam com a vantagem de narradores profissionais contando a história, com variações no tom de voz em diálogos, e às vezes efeitos sonoros, que ajudam na interpretação do texto e evitam a monotonia na escuta. Já as versões gratuitas trazem uma grande variedade de obras para download, a maioria em domínio público, copyleft ou outra licença pública livre disponível, narradas por voluntários ou profissionais, gratuitamente.

O audiolivro é ideal para pessoas que querem ler, mas que não possuem tempo para tal atividade, para deficientes visuais, para estudiosos que desejam otimizar seu tempo ou aprender uma língua, para pessoas disléxicas e para aquelas que são mais auditivas que visuais.

No mercado americano contamos, em 2010, mais de 50 mil títulos. No entanto, são os alemães os maiores entusiastas e consumidores de audiolivros, principalmente em formato de rádio-novelas. Vários títulos brasileiros, de escritores como Moacyr Scliar, já tiveram suas obras encomendadas pelo mercado alemão para o formato audiolivro.

Hoje no Brasil o mercado está em expansão, com novas empresas investindo em títulos diversos, desde best-sellers a nichos específicos como aquele voltado para concursos públicos. Contamos hoje com quase mil títulos em português.

Livro falado para pessoas com deficiência visual[editar | editar código-fonte]

Fundações como a Dorina Nowill têm um enorme acervo de audiolivros gratuitos para deficientes visuais. Basta cadastrar-se para receber gratuitamente pelos Correios.

Confundido muitas vezes com o Audiobook ou Audiolivro, versão de livro em áudio impregnado de efeitos sonoros, como fundo musical e vozes dramatizadas, o Livro Falado não é interpretado, não traduz sentimentos e não pode, em hipótese alguma, ter efeitos sonoros, pois ele tenta ser uma versão aproximada do livro em tinta. Além disso, a interferência da sonoplastia artística induz o ouvinte a um significado que provavelmente ele não teria se o áudio fosse gravado com a chamada "leitura branca" que, mesmo desprovida de recursos artísticos e de sonoplastia, obedece às regras da boa impostação de voz e pontuação, pois parte do princípio de que quem tem de construir o sentido do que está sendo lido é o leitor e não o ledor (pessoas que utilizam a voz para mediar o acesso ao texto impresso em tinta para pessoas visualmente limitadas).[1]

Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Audiobook

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. JESUS, Patrícia Silva de. Letras e Vozes: O Livro Falado e a preservação da subjetividade. Salvador: [s.n], 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.