Augusta de Cambridge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Augusta
Grã-duquesa de Mecklemburgo-Strelitz
Princesa da Grã-Bretanha
Augusta Caroline, Grand Duchess of Mecklenburg-Strelitz, Augusta Caroline of England (1822 - 1916) in 1863.jpg
Augusta de Cambridge
Governo
Consorte Frederico Guilherme de Mecklemburgo-Strelitz
Vida
Nascimento 19 de Julho de 1822
Palácio de Montbrillant, Hanôver
Morte 5 de dezembro de 1916 (94 anos)
Neustrelitz, Mecklemburgo-Strelitz
Filhos Frederico Guilherme de Mecklemburgo-Strelitz
Adolfo Frederico V de Mecklemburgo-Strelitz
Pai Adolfo, duque de Cambridge
Mãe Augusta de Hesse-Cassel

Augusta de Cambridge (19 de julho de 1822 - 5 de dezembro de 1916) foi um membro da família real britânica, uma neta do rei Jorge III do Reino Unido. Casou-se com o grão-duque de Mecklemburgo-Strelitz e tornou-se grã-duquesa.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

A princesa Augusta nasceu no dia 19 de julho de 1822 no Palácio de Montbrillant em Hanôver. O seu pai era o príncipe Adolfo, duque de Cambridge, o sétimo filho do rei Jorge III e da princesa Carlota de Mecklemburgo-Strelitz. A sua mãe era a princesa Augusta de Hesse-Cassel. A jovem princesa foi baptizada no mesmo palácio em que tinha nascido no dia 16 de Agosto de 1822, pelo reverendo Curtis Kemp. Três dos seus padrinhos estavam presentes no baptizado: a landegravina Carolina de Hesse-Cassel, sua avó materna e duas irmãs dela. Os restantes não estavam presentes, mas foram representados pelo duque de Iorque, pela rainha Carlota de Württemberg, a princesa Augusta Sofia, a landegravina de Hesse-Homburg, a duquesa de Gloucester e a princesa Sofia, todos tios paternos de Augusta. Além destes estavam também presentes a eleitora de Hesse, esposa do eleitor Guilherme II, primo da sua mãe, a grã-duquesa de Mecklemburgo, sua tia materna e a princesa Carlota, landegravina Guilherme de Hesse-Cassel, esposa do seu tio materno.[1]

A princesa passou os seus primeiros anos em Hanôver, onde o seu pai era vice-rei em nome do seu irmão, o rei Jorge IV.

A princesa Augusta tinha um irmão, o príncipe Jorge, 2.º duque de Cambridge, e uma irmã, a princesa Maria Adelaide, depois duquesa de Teck. Como tal, a princesa Augusta era prima directa da rainha Vitória e tia da princesa Maria de Teck, consorte do rei Jorge V.

Casamento[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de junho de 1843, a princesa Augusta casou-se com o seu primo directo Frederico Guilherme de Mecklemburgo-Strelitz, no Palácio de Buckingham em Londres. (os dois também eram primos em segundo grau pelo lado do pai). Após o casamento, o título de Augusta foi elevado para SAR, a grã-duquesa herdeira de Mecklemburgo-Strelitz e, no dia 6 de Setembro de 1860, para SAR, a grã-duquesa de Mecklemburgo-Strelitz, depois da morte do seu sogro.

O casamento produziu dois filhos:

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Augusta na sua velhice.

Apesar de ter passado grande parte da sua vida adulta na Alemanha, a grã-duquesa Augusta manteve laços de amizade fortes com a família real britânica, visitando frequentemente a sua mãe, a duquesa de Cambridge, nos seus aposentos no Palácio de Kensington.

Após a morte da mãe em 1889, a grã-duquesa comprou uma casa na área de Buckingham Gate onde passava uma grande parte do ano até que a sua idade avançada a impediu de viajar para o estrangeiro.

Quando estava a fazer os preparativos para a coroação do rei Eduardo VII e da rainha Alexandra em 1901, o duque de Norfolk consultou-a sobre etiqueta e guarda-roupa, uma vez que ela tinha estado presente na coroação do rei Guilherme IV e da rainha Adelaide setenta e um anos antes. Tinha nove anos da altura e lembrava-se de ter beijado a mão da rainha. Já antes tinha dado conselhos para a coroação da rainha Vitória, nenhum dos quais se encontra escrito, uma vez que na altura Augusta tinha apenas dezasseis anos.

A grã-duquesa era particularmente chegada à sua sobrinha, a futura rainha Maria. Contudo, a sua idade avançada fez com que não lhe fosse possível estar presenta na sua coroação na Abadia de Westminster no dia 22 de Junho de 1911.

Após o rebentar da Primeira Guerra Mundial, o governo britânico suspendeu a pensão que Augusta recebia como membro da família real britânica.[2] Durante a guerra, a embaixada sueca passava cartas da rainha para a sua tia que continuou a viver na Alemanha.

Na sua velhice, Augusta era conhecida por causar zangas entre a família. Quando a princesa Maud de Gales se tornou rainha da Noruega, afirmou que ela "tinha herdado um trono revolucionário" e durante as celebrações do jubileu de diamante da rainha Vitória, perguntou em voz alta "porque é que ela está a agradecer a Deus no meio da rua?" quando a rainha estava sentada na sua carruagem a receber a bênção.

Também era conhecida por ser muito perspicaz e inteligente. No seu livro "Queen Mary" (a biografia oficial da rainha), James Pope-Hennessy diz que Augusta não gostava da nova arte da fotografia, temendo que esta fosse prejudicar a vida privada das figuras reais.

A grã-duquesa viúva morreu em Neustrelitz e foi enterrada em Mirow. Sendo a última neta sobrevivente do rei Jorge III, foi o último elo de ligação entre a família real britânica e a Casa de Hanôver.

Na altura da sua morte Augusta, que tinha 94 anos, 4 meses e 16 dias de idade, era a princesa britânica mais velha de sempre, um recorde apenas ultrapassado em 1977 pela princesa Alice, Condessa de Athlone que morreu aos 97 anos.

Referências

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Augusta de Cambridge