Auguste François Biard

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"O Comérciio de Escravos" de Auguste François Biard, 1840

Auguste François Biard (Lyon, 8 de outubro de 1798Fontainebleau, 22 de junho de 1882) foi um naturalista e pintor francês.

Viajou pelo Brasil entre 1858 e 1859, chegou ao Rio de Janeiro em maio, onde pintou retratos da Família Imperial. Depois passou pelo Espírito Santo, Belém e Manaus, fez uma expedição pelo Rio Madeira, voltando a Belém, de onde regressou à Europa, em novembro de 1859.

Durante sua viagem colecionou pássaros, conchas, peles de animais. Como resultado de sua viagem publicou "Deux années au Brésil", em Paris, em 1862. Por não ter formação de um naturalista, sua obra teve pouca relevância científica.

Segundo a "Brasiliana", abaixo citada, "o artista francês François-Auguste Biard foi um dos mais satíricos críticos da vida cotidiana no clima tropical brasileiro. Narrou inúmeras aventuras envolvendo insetos, répteis e animais ferozes. Seu livro (…) é ilustrado com dramáticas gravuras de nuvens de mosquitos, invasões de formigas e um extração de bicho-do-pé." No entanto, as ilustrações de "Deux années au Brésil" foram feitas por Edouard Riou.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre François-Auguste Biard
  • Brasiliana da Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, 2001.
  • BIARD, François Auguste. "Deux années au Brésil", Hachette, Paris, 1862.
  • GASPAR, Lúcia. Viajantes em terras brasileiras - Documentos existentes no acervo da Biblioteca Central Blanche Knopf. Recife: Fundação Joaquim Nabuco.
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.