Aulo Pláucio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Aulo Pláucio (em latim Aulus Plautius) foi um político e general do Império Romano de meados do século I. Dirigiu a conquista romana da Britânia em 43 e tornou-se no primeiro governador da nova província, ocupando o cargo entre 43 e 47.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Conhecem-se poucos dados em relação aos começos da carreira de Aulo Pláucio. Uma inscrição revela que se viu envolvido na repressão de uma revolta de escravos em Apúlia, possivelmente em 24, com Marco Élio Celer.[1] Foi cônsul sufeito durante ao segunda metade de 29 e ocupou o governo de uma província romana, possivelmente Panônia, nos primeiros anos do reinado de Cláudio. Outra inscrição comenta que supervisou a construção da estrada entre Trieste e Rijeka nessa época.

Cláudio escolheu-o para que dirigisse a sua invasão da Britânia em 43, em apoio de Verica, rei dos Atrébates e aliado de Roma, que fora deposto pelos seus vizinhos orientais, os catuvelaunos. O exército enviado estava composto por quatro legiões, a IX Hispana, que se encontrava na Panônia, a II Augusta, a XIV Gemina, e a XX Valeria Victrix. Além disso, contava com cerca de 20 000 soldados auxiliares, incluindo Trácios e Batavos. Uma das legiões, a II Augusta, era dirigida por Vespasiano, naquele tempo legado, e que chegaria a ocupar o trono de imperador. Também é conhecida a participação na invasão de outros três homens com suficiente posição como para terem dirigido a uma legião: o irmão de Vespasiano, Tito Flávio Sabino, e Cneu Hosídio Geta aparecem no relato de Dião Cássio sobre a invasão, e Cneu Séntio Saturnino é mencionado por Eutrópio, embora como antigo cônsul pudesse ostentar posição demais para participar sob as ordens de Plautio, pelo qual poderia ter acompanhado depois a Cláudio.[2]

Nas praias a norte da Gália, Pláucio enfrentou um motim das suas tropas, que estavam reticentes a cruzar o oceano e lutar para além dos limites do mundo conhecido. Foram persuadidos depois que o liberto de Cláudio, o secretário Tibério Cláudio Narciso se dirigisse a eles em nome do imperador. Vendo um antigo escravo no posto de comandante, os soldados gritaram "Io Saturnalia!". (Saturnalia era um festival romano no qual os roles sociais de escravos e senhores se revertiam durante um dia), e o motim terminou.

A força invasora zarpou em três divisões, e acredita-se que teria arribado perto de Richborough, Kent, embora parte dela pudesse ter chegado a outras zonas. Os britanos, dirigidos por Togoduno e Carataco, dos catuvelaunos, decidiram evitar a batalha e adotaram táticas de guerrilha. Contudo, Pláucio derrotou primeiro Carataco e depois Togoduno, na Batalha do Rio Medway e na batalha do rio Tâmisa. Togoduno faleceu pouco tempo depois, embora Carataco sobreviveu e terminou os seus dias como hóspede de Roma, após pedir clemência a Cláudio, tanto para ele como o restante da sua família que se prostrou aos pés do imperador.

Após atingir o Tâmisa, Pláucio deteve-se e mandou chamar Cláudio, que chegou com elefantes e artilharia pesada, e terminou a marcha triunfal contra a capital dos catuvelauni, Camuloduno (atual Colchester). Foi criada uma nova província romana no território conquistado e acordaram-se alianças com as nações que se encontravam fora do controle de Roma. Pláucio converteu-se no governador desta nova província até 47, em que foi substituído por Públio Ostório Escápula.[3]

Ao seu retorno para Roma à vida civil, Pláucio recebeu uma ovação, durante a qual o próprio imperador marchou ao seu lado [4]

Outros personagens com o mesmo nome[editar | editar código-fonte]

Conhecem-se outros três personagens com o mesmo nome:

Precedido por:
-
Governador da Província Romana da Britânia
43 - 47
Sucedido por:
Públio Ostório Escápula

Referências

  1. Uma inscrição de Celer diz assim:
    LEGATVS·MISSVS·[A·TI·CAES·AUG·C]UM·A·PLAVTIO·IN·APVLIA·[AD·SERVOS·TO]RQVENDOS
    "legado enviado por Tibério com Aulo Pláucio a Apúlia para trazer de volta os escravos" (Birley p. 38)
  2. Dião Cássio, História romana 60:19-22; Suetônio, Vidas dos Doze Césares: Vespasiano 4; Eutrópio, Breviário da História de Roma 7:13
  3. Tácito, Agrícola 14
  4. Dião Cássio, História romana 60:30.2; Suetonius, Vidas dos Doze Césares: Claudius 24
  5. Dião Cássio, História romana 39.16
  6. Suetônio, Vidas dos Doze Césares: Nero 35
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em espanhol, cujo título é «Aulo Plaucio».