Aurélia de Sousa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aurélia de Sousa
Auto-retrato de Aurélia de Sousa (c. 1900)
Nome completo Maria Aurélia Martins de Sousa
Nascimento 13 de Junho de 1866
Valparaíso, Chile
Morte 26 de Maio de 1922 (55 anos)
Porto, Portugal
Nacionalidade Portugal portuguesa
Ocupação Pintora

Maria Aurélia Martins de Sousa (Valparaíso, 13 de Junho de 1866[1]Porto, 26 de Maio de 1922) foi uma pintora portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha de emigrantes portugueses no Brasil e no Chile, Aurélia de Sousa nasceu em Valparaíso, filha de António Martins de Sousa e de Olinda Peres. Era a quarta de sete filhos do casal. Mudou-se para Portugal, juntamente com os pais, com apenas três anos. Passou a habitar a Quinta da China, junto ao rio Douro, no Porto, comprada por seu pai, que veio a falecer em 1874, quando Aurélia tinha apenas oito anos.

Aos dezesseis anos, ela começou a ter lições de desenho e pintura com António da Costa Lima e pintou o seu primeiro auto-retrato. Em 1893, entrou para a Academia de Belas-Artes do Porto, onde foi aluna de João Marques de Oliveira, o qual muito influenciou a sua obra. Em 1898, Aurélia mudou-se para Paris onde frequentou, na Academia Julian, os cursos de Jean-Paul Laurens e de Jean-Joseph Benjamin-Constant[2] .

Realizou as primeiras exposições e, durante os três anos seguintes, viajou e visitou os museus de Bruxelas, Antuérpia, Berlim, Roma, Florença, Veneza, Madrid e Sevilha. Tendo regressado a Portugal em 1901, desenvolveu intensa atividade como ilustradora e participou regularmente na vida artística portuense, expondo na Sociedade de Belas-Artes do Porto, na Galeria da Misericórdia e, anualmente, na Sociedade Nacional de Belas-Artes, em Lisboa.

Passou a última fase de sua vida residindo na Quinta da China, onde faleceu em 1922 com cinquenta e cinco anos.

Obra[editar | editar código-fonte]

A sua obra denota influência dos estilos de pintura mais inovadores do seu tempo. Pintou num estilo naturalista muito pessoal, às vezes com influências realistas, impressionistas e pós-impressionistas.

Nas palavras da biógrafa Raquel Henriques da Silva, a obra de Aurélia de Sousa "regista a silenciosa narrativa da casa: a presença da velha mãe, os afazeres das mulheres e das crianças, os cantos escuros da cozinha e do atelier, as tardes em que a luz se confunde com os fatos de verão, os caminhos campestres ou as vistas do rio. Pratica uma pintura vigorosa, raramente volumétrica, detida na análise das sombras para nelas captar a luz"[3] .

Entre as suas principais obras, caracterizadas pela força da expressão técnica e artística, encontram-se "Santo António", "Cabeça de italiano", "Cena familiar", "Moinho-Granja", "Porcelanas antigas", "Cristo ressuscitando e a filha de Jairo", "Rio Douro-Areinho" e o seu "Auto-retrato" (c. 1900), uma das obras-primas da pintura portuguesa de todos os tempos.

Parte da sua obra encontra-se hoje no Museu Nacional de Soares dos Reis e na Casa-Museu Marta Ortigão Sampaio, ambos no Porto.

Referências

  1. Data de nascimento - "Aurélia de Souza nasceu em 1866, e não em 1865, como aparece referido em todas as obras" no livro de Raquel Henriques da Silva, op. cit., p. 13, nota 2.
  2. Aurélia de Sousa
  3. Aurélia de Sousa, quem foi?

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aurélia de Sousa
  • SILVA; Raquel Henriques da, Aurélia de Souza, Col. Pintores Portugueses. Lisboa: Edições Inapa, 2004.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]