Aura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A aura, em sentido científico, corresponde a uma das etapas cefaleia enxaquecosa clássica. Corresponde ao período imediatamente posterior ao pródromo e anterior à dor de cabeça em si. A dor de cabeça é seguida pelo pósdromo. A aura não ocorre na cefaleia enxaquecosa comum, onde ao pródomo segue-se diretamente a dor de cabeça. [1] .

Uma ilustração de "A Aura Humana em uma mulher sadia", baseada em um diagrama de Walter John Kilner (18471920). As cores indicam as "auras interiores e exteriores" de Kilner, mas não possuem relevância como cores)

Em outra acepção, a doravante enfocada, a aura é, segundo várias religiões e tradições esotéricas, um elemento etéreo, imaterial, que emana e envolve seres ou objetos. É por vezes também considerada como um atributo inerente aos seres vivos.

Apesar da disponibilidade de detectores de alta sensibilidade para campos eletromagnéticos e radiação eletromagnética, propriedades comumente atribuídas a aura, não existe nenhum estudo que demonstre empiricamente a existência desta última. Adicionalmente nenhuma pessoa conseguiu até o momento demonstrar sob condições controladas a habilidade de detectar auras, apesar do enorme número de pessoas que se dizem capazes de tal feito.

Campo energético[editar | editar código-fonte]

Tudo o que existe e se manifesta no plano físico, desde uma pedra, uma planta até os animais e o homem, possui também uma manifestação de energia mais sutil que pode ser chamada de campo energético. Os cientistas utilizam a freqüência da velocidade da luz como uma referência para designar o que é matéria física de energias mais sutis. Todas as manifestações físicas que podem ser percebidas com os cinco sentidos vibram numa freqüência abaixo da freqüência da velocidade da luz. Porém, o que podemos chamar de campo energético ou de aura são manifestações da energia que vibram numa freqüência acima da velocidade da luz e que não podem ser percebidas com os cinco sentidos.

Exemplos de velocidades de Campos Energéticos: Espiritual - infinita.  Mental - infinita. Elétrica - não conhecida. Raio Cósmico - oitilhão (26 zeros) por segundo. Raio Gama – quintilhões por segundo. Raio X – quatrilhões por segundo. Luz-Cor (Ultravioleta e Infravermelho) – trilhões por segundo. Calor – bilhões por segundo. Eletricidade – milhões por segundo. Som – de 16 a 30 mil por segundo. Sólidos (são os mais densos) – percebemos pelos cinco sentidos.

Interpretação Mística[editar | editar código-fonte]

Segundo diversas tradições esotéricas e cultos ligados ao espiritualismo e Nova Era, a aura é um campo energético que envolve o nosso corpo físico e nos dá toda a leitura emocional do nosso corpo físico. Nossos medos, nossas angústias, nossas raivas, enfim, todo o emocional. Nossa aura tem 7 faixas, cada faixa tem uma cor, cada cor está relacionada com a cor dos nossos chakras. Assim, quando você está de bem com a vida,num estado de espírito muito bom, as cores da aura são bem vivas e bem fortes.

A forma e a cor da aura refletem o estado físico, mental e emocional da pessoa. Problemas de ordem física e/ou psicológica, ao alimentar sentimentos negativos, dariam à aura uma cor escura, como o marrom; cores claras significariam que a pessoa goza de boa saúde emocional. A aura é visualizável quando a vibração está dentro do espectro da luz entre o vermelho e o violeta. Emoções conscientes tendem a modificar a cor da pele da pessoa observada, dando às vezes uma impressão de alteração da sua textura. Estados emocionais semi-conscientes teriam maior propensão a projetar um halo luminoso, de uma distância de alguns centímetros até um metro do corpo, o que cria um efeito de campo detectável por quem esteja próximo, uma explicação para produção de simpatias ou antipatias, aparentemente gratuitas, mas que são efeitos de um fenômeno similar à influência de um campo magnético.

Muitas vezes erroneamente ligado ao fenômeno, a fotografia Kirlian não é uma representação da aura e sim uma imagem de campo elétrico que circunda os objetos eletricamente carregados. A aura e a fotografia Kirlian também não guardam relação com a bioeletricidade quando corretamente definida.

Na Ficção[editar | editar código-fonte]

De forma muito similar ao ki, a Aura é usada como uma fonte de poder paranormal/sobrenatural, no qual um mestre no uso da "Aura", pode usar isso para ter percepção extra sensorial, aumento nas técnicas de luta, grande equilíbrio físico, mental e espiritual e ainda por cima pode usar a aura como fonte de poder para magia e feitiços.

Sintoma[editar | editar código-fonte]

Percepção de uma perturbação sensorial, (visual, auditiva ou da abrangência de outros órgãos sensoriais), geralmente de com duração de alguns segundos até uma hora, que antecede uma enxaqueca ou um episódio de epilepsia.

Referências

  1. Carter, Rita; et alii - O Livro do Cérebro - Rio de Janeiro - Agir - 2012 - ISBN: 978-85-220-1361-6