Aureliano Lessa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aureliano José Lessa
Nascimento 1828 (186 anos)
Diamantina,  Minas Gerais,  Brasil[1]
Morte 21 de fevereiro de 1861
Serro, atual Conceição do Serro,  Minas Gerais,  Brasil[1]
Wikisource
O Wikisource possui obras de
Aureliano Lessa

Aureliano José Lessa (1828, Diamantina, Minas Gerais, 1828 — Serro, atual Conceição do Serro, Minas Gerais, 21 de fevereiro de 1861[1] ) foi um poeta brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Pedro José Lessa e D. Carlota Genuína Lessa, nasceu em 1828 em Diamantina.[2]

Estudou Direito em São Paulo, mas formou-se na Faculdade de Olinda, em 1851.[3]

Em São Paulo, conviveu com Castro Alves e Bernardo Guimarães. Trabalhou com procurador fiscal da Tesouraria Geral de Minas, em Ouro Preto, Minas Gerais e como advogado em Diamantina e Conceição do Serro. Não publica livros em vida; seus poemas foram reunidos no volume Poesias Póstumas, publicado em 1873, com nova edição em 1909.[4]

Faleceu de uma "lesão cardíaca consecutiva ao alcoolismo cronico", informa Pires de Almeida, aos 33 anos (21 de fevereiro de 1861), em Conceição do Serro.[5]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Poeta da segunda geração do Romantismo brasileiro, segundo o crítico Augusto de Lima, "Aureliano Lessa escrevia principalmente para o povo, se é que ele não se preocupava simplesmente com as suas próprias impressões, dando-lhes a forma que mais convinha ao meio simples em que veio viver".[4]

Obras[editar | editar código-fonte]

Alberto de Oliveira inclui em sus Antologia duas poesias de Aureliano Lessa: A Tarde, e Amargura. [1]

Referências

  1. a b c d Mário Martins. A evolução da literatura brasileira. Outubro; 1945. p. 66.
  2. José Pedro Xavier da Veiga; Cláudia Alves Melo; Maria do Carmo Salazar Martins. Efemérides mineiras, 1664-1897. Fundação João Pinheiro, Centro de Estudos Históricos e Culturais; 1998. ISBN 978-85-85930-25-7. p. 238.
  3. Pires de Almeida. A escola byroniana no Brasil. Conselho Estadual de Cultural, Comissão de Literatura; 1962.
  4. a b Enciclopédia Itaú Cultural Literatura BrasileiraAureliano Lessa, 25/03/2011
  5. Péricles Eugênio da Silva Ramos. Poesia romantica. Edições Melhoramentos; 1965. p. 179.