Autarito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Autarito (m. 238 a.C.) foi um chefe mercenário gaulês às ordens de Cartago.

Combateu contra os romanos em Agrigento, Sicília, durante a Primeira Guerra Púnica, e durante esta, permaneceu fiel a Cartago quando os seus companheiros desertaram em massa para as filas romanas.

Finalizada a Primeira Guerra Púnica, e de volta na África, converteu-se num dos líderes da revolta mercenária (241 a.C.). Liderou um contingente de aproximadamente dois mil mercenários gauleses e combateu junto a Spendios contra o exército cartaginês de Amílcar Barca durante a Guerra dos Mercenários.

Os seus dotes de oratória e os seus conhecimentos da língua fenícia convenceram os rebeldes para que assassinassem Giscão e os emissários cartagineses,[1] ato que realizaram com extrema crueldade.

Bloqueado por Amílcar no desfiladeiro de "A Serra", rendeu-se aos cartagineses junto a Spendios e Zarza, o Africano. Foi crucificado com eles diante das muralhas de Tunes, a capital dos mercenários controlada por Mathô (238 a.C.).[2]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SMITH, William (editor); Dictionary of Greek and Roman antiquities , [1], Boston. Reimpr. em Londres por: C. Little, and J. Brown, 1870 cf. Matho, vol 2, (em inglês)
  • SANTOS YANGUAS, N. V.. (1990). "La guerra inexpiable: la rebelión de los mercenarios en Cartago" (em espanhol) (170). Historia 16. 0210-6353.

Referências

  • SMITH (1870), pp. 971-972,
  • SANTOS YANGUAS (1990), pp. 67-77
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em espanhol, cujo título é «Autarito».

Ver também[editar | editar código-fonte]