Auto-de-Fé (romance)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Auto-de-fé
Autor (es) Elias Canetti
Género romance
Editora Cavalo de Ferro / Cosac Naify

Auto-de-fé é um romance escrito por Elias Canetti e publicado pela primeira em Viena, na Áustria, em 1935.

Resumo[editar | editar código-fonte]

A personagem principal do livro, o professor Peter Kien, é um filologista e sinologista, que evita todo o contacto físico e social. Misantropo, solitário e excêntrico, possui uma vasta biblioteca, na qual se refugia e que transporta sempre consigo na sua cabeça.

O ponto de viragem da sua vida é o casamento com Teresa, a sua governanta. Expulso da sua própria casa, Kien é obrigado a percorrer o mundo exterior, travando conhecimento com inúmeros dos seus personagens, que o acompanharão neste seu longo exílio. Figuras sombrias, medíocres, grotescas e memoráveis, como o anão Fischerle e a prostituta, sua mulher, ou o porteiro Pfaff. Pela mão destes, Kien, julgando controlar a situação, descerá pouco a pouco ao inferno, apressando o passo para um final sublime e trágico: um verdadeiro auto-de-fé.

Edição em Portugal e no Brasil[editar | editar código-fonte]

Em Portugal o romance foi editado pela Cavalo de Ferro[1] . No Brasil Auto-de-Fé foi editado pela Cosac Naify, com tradução de Herbert Caro[2] .

Referências

  1. Cavalo de Ferro. Visitada a 19-02-2014
  2. Cosac Naify. Visitada a 19-02-2014.