Automóvel híbrido-elétrico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Automóvel híbrido)
Ir para: navegação, pesquisa

Um automóvel híbrido elétrico é um automóvel que possui um motor de combustão interna, normalmente a gasolina, e um motor eléctrico que permite reduzir o esforço do motor de combustão e assim reduzir os consumos e emissões.

Como exemplo, tem-se um automóvel que combine motor a combustão e motor elétrico na realidade é um veículo elétrico alimentado pela energia cinética proveniente da queima de combustível. Este é o modelo mais difundido nas locomotivas e geradores diesel-elétrico .

Embora o automóvel híbrido polua menos do que os automóveis somente com motor a combustão, seus custos são altos se comparados à diferença de emissão de poluentes. Por enquanto, apenas automóveis caros dispõem dessa tecnologia.

O governo busca implantar essa tecnologia no transporte coletivo, como em ônibus (autocarros), para melhorar a qualidade do ar nos grandes centros urbanos, que é cada vez pior. Estes diferem dos Trólebus por não possuírem fiação aérea para fornecer energia, podendo circular em qualquer lugar; o trólebus só pode trafegar onde exista esse suporte.

Economia de combustível[editar | editar código-fonte]

A economia de combustível dos veículos híbridos decorre de alguns fatores:

  1. Redução do tamanho dos motores a combustão: Na ausência de um motor elétrico, a potência máxima disponível depende de motores maiores, que dissipam mais potência e consomem mais combustível. Por outro lado, quando se pode contar com o auxílio de um motor elétrico, pode-se adotar um motor a combustão dimensionado para a potência média, e, portanto, menor.[1] .
  2. Utilização do Ciclo de Atkinson que propícia maior eficiência energética do que o Ciclo de Otto.
  3. Frenagem regenerativa parte da potência de frenagem é eletromagnética e transforma energia cinética em energia elétrica que pode ser armazenada.
  4. Desligamento do motor a combustão em situações nas quais a potência do motor elétrico é suficiente (ex. engarrafamentos), o que evita que o motor a combustão fique trabalhando abaixo do ponto no qual propícia baixa proporção de energia útil (energia total - energia dissipada)[2] [3] .
  5. Possibilidade de captação de energia solar[4] [5] ou eólica[6] [7] [8] [9] .

Classificação dos híbridos[editar | editar código-fonte]

Segunda geração do Ford Fusion Hybrid na Bienal do Automóvel de Belo Horizonte de 2013.
Segunda geração do Toyota Camry Hybrid em Brasília.

Há três tipos de automóvel híbrido[10] :

  • Nos primeiros automóveis híbridos o motor a explosão é responsável pela locomoção do automóvel e o elétrico era um auxílio extra para melhorar o desempenho do mesmo. Este tipo é bastante usado em automóveis de pequeno porte e é conhecido como híbrido-paralelo (ex. Honda Insight[11] ).
  • Outro método utilizado é o motor elétrico ser responsável pela locomoção do automóvel, sendo que o motor a explosão apenas movimente um gerador responsável por gerar a energia necessária para o automóvel se locomover e para carregar as baterias. Geralmente automóveis de grande porte utilizam esse sistema, conhecido como híbrido-série
  • O terceiro é o sistema híbrido misto, que combina aspectos do sistema em série com o sistema paralelo, que tem como objetivo maximizar os benefícios de ambos. Este sistema permite fornecer energia para as rodas do veículo e gerar eletricidade simultaneamente, usando um gerador, diferentemente do que ocorre na configuração paralela simples. É possível usar somente o sistema elétrico, dependendo das condições de carga. Também é permitido que os dois motores atuem de forma simultânea (ex. Toyota Prius[12] ).

História[editar | editar código-fonte]

O Toyota Prius, lançada no mercado japonês em 1997, foi o primeiro veículo híbrido produzido em serie e virou o automóvel híbrido mais vendido do mundo.[13] Em 2001 foi lançado em outros mercados a nível mundial. A terceira geração do Prius foi lançada em 2009 e até setembro de 2011 as vendas globais atingiram 1 milhão de unidades.[14] Em 2011 o Prius é vendido em mais de 70 países e regiões, sendo o Japão e Estados Unidos os maiores mercados.[13] Em maio de 2008, as vendas globais do Prius atingiram a marca de un milhão de veículos,[15] e em setembro de 2010, o Prius conseguiu vendas acumuladas de 2 milhões de unidades no mundo inteiro.[13] Em outubro de 2012 as vendas do Prius convencional atingiram um total de 2,8 milhões de unidades.[16]

Brasil[editar | editar código-fonte]

O Mercedes-Benz S400 foi o primeiro automóvel híbrido lançado no Brasil a um preço de R$426.000 e disponível desde abril de 2010. A versão brasileira do Ford Fusion Hybrid foi apresentada no Salão do Automóvel de São Paulo em outubro de 2010. As vendas começaram em novembro de 2010 a um preço de R$133.900. O Fusion Hybrid é o primeiro modelo do tipo híbrido completo (em inglês: full hybrid) devido a que o S 400 é um híbrido leve (em inglês: mild hybrid), no qual a função do motor elétrico somente é complementar e não pode sozinho movimentar o carro.[17]

A Toyota inicialmente anunciu em outubro de 2011 o lançamento do Toyota Prius no mercado brasileiro no segundo semestre de 2012. O preço do Prius estaria numa faixa entre R$100.000 e R$130.000, sem incentivos fiscais que ainda estvam sendo negociados com o governo federal.[18] [19] As vendas do Toyota Prius no Brasil começaram em Janeiro de 2013 a um preço de R$120.830.[20]

Incentivos[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2014 a Prefeitura de São Paulo aprovou a Lei 15.997/14 que prevê que carros elétricos, híbridos e a célula de hidrogênio emplacados na cidade recebam de volta 50% do IPVA pago, que corresponde a parte que cabe à Prefeitura, já que o imposto é estadual. A devolução do IPVA é limitada a R$10.000 e vale 5 anos. O carro não pode custar mais de R$150.000. Estes carros com propulsão alternativa também estarão isentos do rodízio de veículos de São Paulo.[21] [22] A prefeitura tem 30 dias para regulamentar a lei e detalhar como ela será cumprida.[22] A legislação de São Paulo procura estimular a adoção de políticas semelhantes em outras cidades brasileiras. Até setembro de 2014 o governo federal ainda está availiando opções para definir uma política que incentive carros elétricos e híbridos no país. Em julho de 2013 a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) entregou proposta para viabilizar a venda e o desenvolvimento destes modelos no Brasil ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).[22]

Lista de automóveis híbridos[editar | editar código-fonte]

Ônibus híbrido biodiesel-elétrico fabricado pela Volvo no Brasil operando em Curitiba.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Hybrid-car Performance, em inglês, acesso em 31 de outubro de 2013.
  2. Improving Fuel Economy, em inglês, acesso em 31 de outubro de 2013.
  3. Carro híbrido, acesso em 01 de novembro de 2013.
  4. Toyota vai equipar carro híbrido com painéis solares, acesso em 01 de novembro de 2013.
  5. Ônibus com painel solar saem da linha de produção, acesso em 01 de novembro de 2013.
  6. Primeiro carregador de carros elétricos movido a energia eólica, acesso em 01 de novembro de 2013.
  7. Solucionando os problemas dos modelos recarregáveis, acesso em 01 de novembro de 2013.
  8. How the Venturi Eclectic Works, em inglês, acesso em 01 de novembro de 2013.
  9. O inovador carregador eólico de carros elétricos, acesso em 01 de novembro de 2013.
  10. A Closer Look At Synergy Drive - Toyota's Hybrid System Explained, em inglês, acesso em 02 de novembro de 2013.
  11. The Honda Insight, em inglês, acesso em 01 de novembro de 2013.
  12. The Toyota Prius, em inglês, acesso em 01 de novembro de 2013.
  13. a b c Worldwide Prius Cumulative Sales Top 2M Mark; Toyota Reportedly Plans Two New Prius Variants for the US By End of 2012 (em inglês) Green Car Congress (2010-10-07). Visitado em 2010-10-07.
  14. Sebastian Blanco (2011-09-14). 2012 Toyota Prius Plug-In Hybrid now offers 111 MPGe AutoblogGreen. Visitado em 2011-09-16.
  15. Toyota tops 2 million hybrid sales worldwide (em inglês) AutobloGreen (2009-09-04). Visitado em 2009-10-24.
  16. Wladimir D'Andrade e Gustavo Porto (2012-10-22). Híbrido Prius, da Toyota, chega ao Brasil em janeiro Revista Exame. Visitado em 2012-10-23.
  17. Luís Guilherme Barrucho. "Fusão verde: o primeiro híbrido completo do Brasil", Veja (revista), 2010-10-23. Página visitada em 2010-10-24.
  18. Beatriz Ferrari. "Toyota lança o híbrido Prius no Brasil, mas vendas começam só em 2012", Veja (revista), 2011,10-05. Página visitada em 2011-10-09.
  19. Murilo Góes (2011-10-06). Toyota anuncia híbrido Prius no Brasil em 2012; teto do preço é de R$ 127 mil Universo Online (UOL). Visitado em 2011-10-09.
  20. Jornal do Carro (2013-01-17). Prius chega às autorizadas Toyota por R$120.830 O Estado de S. Paulo. Visitado em 2013-02-02.
  21. "Elétrico, BMW i3 chega com preço de 9 populares e isenção do rodízio em SP", Universo Online (UOL), 2014-09-10. Página visitada em 2014-09-20.
  22. a b c "Elétricos e híbridos: São Paulo aprova lei de incentivo", Automotive Business, 2014-05-28. Página visitada em 2014-09-21.

http://g1.globo.com/carros/salao-de-frankfurt/2011/noticia/2011/09/audi-diz-que-linha-s-q5-hybrid-e-r8-e-tron-chegam-ao-brasil-em-2012.html

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Automóvel híbrido-elétrico