Auxiliadora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Auxiliadora
—  Bairro do Brasil  —
A Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora.
A Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora.
Auxiliadora dentro de Porto Alegre.
Auxiliadora dentro de Porto Alegre.
Município Porto Alegre
Área
 - Total 82 hectares
População
 - Total 9,985 hab (2 000)
4,349 homens
5,636 mulheres
    • Densidade 122 hab/ha/km2 
Taxa de crescimento (-) 0,3% (de 1991 a 2000)
Domicílios 3.909
Rendimento médio mensal 19,847 salários mínimos
Fonte: Não disponível

Auxiliadora é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. Foi criado pela lei 2022 de 7 de dezembro de 1959.

Região de Planejamento[editar | editar código-fonte]

O bairro Auxiliadora está inserido na chamada Região Geral de Planejamento 1 (RGP1)[1] , uma das oito Regiões de Gestão do Planejamento (RGPs) de Porto Alegre[2] . Cada região reúne um grupo de bairros com afinidads entre si. No caso da RGP1, a qual reúne dezenove bairros incluindo o Auxiliadora, a área compreendida corresponde à parte mais antiga de Porto Alegre, que se desenvolveu ao redor do Centro Histórico e cresceu, sobretudo, em direção leste. Trata-se da porção mais urbanisticamente consolidada do município, com as mais altas densidades e a infraestrutura mais qualificada.[3]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Bebedouro para cavalos na Avenida Cristóvão Colombo, 1930.

O bairro Auxiliadora tem sua origem nas últimas décadas do século XIX. Começou a se desenvolver através da Estrada da Aldeia (atual Rua Vinte e Quatro de Outubro), que ligava a capital à Freguesia da Aldeia dos Anjos, conhecida hoje como Gravataí.[4]

Com a instalação de moinhos de vento nas propriedades de Antônio Martins Barbosa, conhecido como "Carlos Mineiro", a Estrada da Aldeia passou a ser mais freqüentada, passando a chamar-se Estrada dos Moinhos de Vento. Em 1933, a Estrada Moinhos de Vento mudou seu nome para o atual, Vinte e Quatro de Outubro.

Crescendo lentamente, o bairro ganhou novo impulso em 1893, com a implantação de uma linha de bonde em sua região. No ano seguinte, o Prado da Independência passou a levar à região mais moradores. Com sucessivas implantações de linhas de bonde e novas construções no local, o Auxiliadora foi tomando ares de bairro.

Entre 1912 e 1913 iniciou-se o processo de loteamento das terras daquela região. Poucos anos depois, em 1916, foi erguida a capela de Nossa Senhora Auxiliadora, que deu o nome atual ao bairro. A capela tornou-se paróquia em 1919. Em 1961, foi inaugurado o novo prédio da igreja, em estilo greco-romano, inspirado na Igreja de la Madeleine de Paris[5] .

Características atuais[editar | editar código-fonte]

O bairro tem como uma de suas características as ruas planejadas e um misto de casas antigas e edifícios modernos. Oferece uma boa infraestrutura, com comércio variado, com bares e danceterias e restaurantes.

Marcos[editar | editar código-fonte]

Áreas verdes
Busto de Oscar Boeira na praça homônima.
  • Praça Oscar Boeira[6]
Cultura e lazer
Educação
Outros

Limites atuais[editar | editar código-fonte]

Rua Coronel Bordini, da esquina da Avenida Cristóvão Colombo até a Rua Eudoro Berlink; desta, até a Rua Pedro Chaves Barcelos; desta, até a Rua Campos Sales; desta, até a Avenida Carlos Gomes; desta, segue em direção sul/norte através do seu projetado prolongamento até alcançar a Avenida Dom Pedro II; desta, até a Rua Cristóvão Colombo; desta, até encontrar a Rua Coronel Bordini.

Residentes notáveis[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • FRANCO, Sérgio da Costa. Porto Alegre: Guia Histórico, 2º edição. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS, 1992.
  • RIOS, Renata Ferreira. Histórico – Auxiliadora.
  • Dados do censo/IBGE 2000

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Auxiliadora