Avenida das Américas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Avenida das Américas no Município do Rio de Janeiro

A avenida das Américas é a mais famosa avenida da Barra da Tijuca, e uma das maiores e mais famosas avenidas do Rio de Janeiro. Corta os bairros da Barra da Tijuca, do Recreio dos Bandeirantes e de Guaratiba, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

A Avenida das Américas possui aproximadamente 40 quilômetros de extensão, e é a principal via de circulação pelos bairros da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Guaratiba. Sendo a principal ligação destes 3 bairros com a Baixada de Jacarepaguá e vários bairros da Zona Oeste, como Santa Cruz, Campo Grande, Pedra de Guaratiba, Sepetiba, além de fazer a ligação com a Zona Sul da cidade. Paralela à Avenida Sernambetiba no trecho Barra-Recreio, ela é cercada de grandes construções, principalmente shopping centers, supermercados e condomínios residenciais e comerciais, onde se localizam sedes de grandes empresas de nível nacional.[1]

O trecho entre os quilômetros 0 a 5 foi ampliado, de 2 para 6 pistas de rodagem em cada sentido, no ano de 1994. Já o trecho entre os quilômetros 5 a 13 recebeu a mesma ampliação em 2000. Com isso, todo o trecho situado na Barra da Tijuca encontra-se expandido ao máximo.[1]

Entre os quilômetros 13 a 22, a avenida da situa no bairro do Recreio dos Bandeirantes. Recebeu ampliação de 2 para 5 pistas em 2012, com a obra da TransOeste, até o km 19. Após, a avenida sobe a Serra da Grota Funda e chega ao bairro de Guaratiba, seguindo por mais 15 km aproximadamente, até terminar na confluência com a Estrada da Pedra, já quase chegando ao bairro de Santa Cruz. Entre o km 19 no Recreio até o seu final, a avenida recebeu ampliação de 1 para 2 pistas em 2012 com a obra da TransOeste.

Antigamente a Avenida das Américas era reconhecida como rodovia estadual, sendo que sua identificação era RJ-071. Tinha-se um projeto de ligar a avenida até a Av. Brasil, passando pelo Conjunto Otacílio Câmara, conjunto Antares e o morro do Leme, em Santa Cruz, aterminando perto da alça de acesso da Rodovia Rio-Santos (BR-101).

Problemas[editar | editar código-fonte]

Construção de viaduto no cruzamento da Avenida das Américas com a Avenida Salvador Allende - Janeiro de 2011

No trecho entre os Kms 0 a 5, os principais problemas da avenida são o péssimo asfalto nas pistas laterais, e os congestionamentos, cada vez maiores e mais duradouros, que ocorrem devido ào excesso de crescimento da região, aliados ao excesso de sinais de trânsito e radares que impedem a progressão dos veículos. Hoje há grande movimentação a qualquer hora do dia, e a avenida perde no Rio de Janeiro somente para a Avenida Brasil em termos de fluxo de veículos. Com a diminuição da velocidade média do trânsito, aumento de quantidade de sinais de trânsito instalados, colocação de dezenas de radares e outros fatores, aumentou o stress da população, o que diminui a produtividade dos que necessitam trafegar pela região.

Já no trecho entre os Kms 13 a 19, o principal problema é o trânsito caótico, devido ao crescimento acelerado do Recreio dos Bandeirantes. O trecho localizado na Serra da Grota Funda é considerado perigoso devido àos deslizamentos de terra que ocorrem quando da ocorrência de chuvas fortes. Em algumas ocasiões do tipo, a pista já foi totalmente bloqueada. E o trecho localizado no bairro de Guaratiba é considerado o pior de todos nos quesitos de qualidade da construção da pista devido à empreiteira que ampliou a mesma em 2012, fazendo um mau serviço; e de segurança, visto que são comuns as ultrapassagens perigosas e acidentes causados por elas.

Com a implantação das obras da TransOeste em 2010, com conclusão em 2012, a Avenida das Américas passou a ter, nos bairros do Recreio e Guaratiba, uma grande ampliação no número de pistas para os carros, pista exclusiva para ônibus BRTs, e foram construídos o Túnel da Grota Funda e viadutos, eliminando a maioria dos problemas presentes nestes trechos.[1]

Construções[editar | editar código-fonte]

Fachada do New York City Center em 2008.

Shoppings[editar | editar código-fonte]

Há mais de vinte centros comerciais por toda a avenida, a maioria deles pequenos e integrados a outros shoppings ou condomínios adjacentes. Entre os grandes shoppings, como o complexo BarraShopping/New York City Center , Shopping Downtown, Città America[2] e Rio Design Barra[3] , na Barra da Tijuca, e Recreio Shopping, no Recreio dos Bandeirantes[1] [4] .

Supermercados[editar | editar código-fonte]

Os maiores supermercados (ou hipermercados), pertencentes a grandes redes nacionais e multinacionais, ficam nos primeiros 5 km da avenida, na Barra da Tijuca: Extra, Extra "Bon Marché", Guanabara, Pão de Açúcar "Freeway", e Carrefour (ao lado do BarraShopping). No Recreio, destacam-se as redes de supermercados "de bairro", como Mundial, Multimarket, Zona Sul Supermercados, Prezunic e Sendas (no Recreio Shopping).

Condomínios[editar | editar código-fonte]

Ao longo da Avenida das Américas se encontram diversos e imensos condomínios residenciais (ou seus respectivos acessos). Os maiores complexos são o ABM, Riviera del Fiori, Le Parc Residential Resort, Parque das Rosas, Nova Ipanema, Mandala, Novo Leblon, Santa Mônica, Americas Park, Mundo Novo, Vivendas do Sol, Rio Mar, Pedra de Itaúna, Blue, Barra Sul, Barra Bali e Barra Bonita, que abrangem juntos uma população de mais de 150 mil habitantes.

Além de condomínios residenciais, a Avenida das Américas também possui vários prédios comerciais. E próximo a ela fica o Fórum Regional da Barra da Tijuca.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]