Bíblia Lamsa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Bíblia Lamsa foi publicada em 1933 por George M. Lamsa. É uma derivação, tanto o Velho como o Novo Testamento, da Peshitta, a Bíblia em dialeto Siríaco, do Aramaico oriental.

George Lamsa reivindicou a primazia aramaica, indo contra a opinião dos eruditos quanto à origem de textos do Novo testamento, e reivindicou que a Peshitta era superior aos textos baseados nos manuscritos gregos existente, desconsiderando que a mesma tenha se derivado em textos gregos.

É considerada uma boa fonte para quem se interessa pelos escritos com origem no aramaico, ainda que tenha havido críticas no tocante a defesa de Lamsa quanto a primazia aramaica.

Controvérsia em torno dessa versão[editar | editar código-fonte]

A principal controvérsia em torno da Bíblia de Lamsa residiu na tradução da passagem em que Jesus crucificado, clama ao Pai,[1] dizendo: Eli, Eli, lama sabachthani.

Na versão, em inglês, King James:[2]

And about the ninth hour
Jesus cried with a loud voice, saying,
Eli, Eli, lama sabachthani?
that is to say,
My God, my God, why hast thou forsaken me?

Na versão, em inglês, Lamsa:[3]

And about the ninth hour,
Jesus cried out with a loud voice and said,
Eli, Eli, lemana shabachthani!
My God, my God, for this I was kept!

Segundo a versão traduzida em português por João Ferreira de Almeida:[4]

E perto da hora nona,
Exclamou Jesus em alta voz, dizendo:
Eli, Eli, lamá sabactâni;
Isto é: Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste?

Referências

  1. Mateus 27:46
  2. Versão King James onde Jesus clama ao Pai..
  3. Capítulo 27 do evangelho segundo Mateus, na versão Lamsa.
  4. Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, Edição Corrigida e Revisada, 1995.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]