Bótia-palhaço

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde abril de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma caixa taxonómicaBótia-palhaço
Botias num aquário

Botias num aquário
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Cypriniformes
Família: Cobitidae
Género: Chrombotia
Espécie: C. macracanthus
Nome binomial
Chromobotia macracanthus
(Bleeker, 1852)

Bótia Palhaço (Botia macracanthus ou Botia macracantha) é um peixe geralmente criado como animal de estimação em aquários. É um dos integrantes mais colorido do gênero Botia.

Esse peixe chama a atenção devido ao contraste formado pela listras verticais que possui no corpo e o avermelhado das nadadeiras, o que lhe rendeu o apelido de "Coridora de Luxo", apesar das bótias e coridoras não fazerem parte da mesma família. Ao contrário das outras bótias, a Botia macracantha demonstra-se bastante ativa quando está em grupo, o que torna imprescindível ter no mínimo três indivíduos desse peixe no aquário, caso contrário se mostra um peixe tímido e assustadiço que passa o dia escondido, talvez devido ao fato de, na natureza, o peixe ser encontrado sempre em cardumes.

Originário da Tailândia, Malásia e Java, trata-se de um peixe pacífico, que costuma atingir por volta de 15 centímetros em aquários, e 30 na natureza, por isso, o aquário para o bótia-palhaço deve ter no mínimo 200 litros, além disso, plantas e troncos criando refúgios serão muito apreciados, um pH entre 5,0 e 7,5 e a temperatura entre 24 e 30°C.[1]

Enquanto pequena não causa maiores danos às plantas, então pode habitar um aquário plantado sem problemas sendo até útil, pois sua boca prolongada, permite que o bótia encontre os restos de rações que se escondem entre as folhas, nos lugares de difícil acesso.

A alimentação deve ser contituída de ração em flocos, caramujos, artêmia salina, dáfnias, tubifex, etc. Apesar de ser uma predadora de caramujos, o aquarista deve ter em mente que se houver outros alimentos em abundância, ela perderá parte do interesse por eles.

Ao manusear o aquário, tome cuidado com os espinhos que se situam logo abaixo dos olhos do bótia, apesar de serem imperceptíveis a um olhar desavisado, são uma arma contra predadores e que podem ferir as mãos do aquaristas. Uma curiosidade do bótia é que ao dormir, o peixe quase deita-se ao fundo do aquário, o que pode assustar quem não conhece esse seu comportamento, passando a impressão de que o peixe está morto ou doente.

O bótia é ovíparo. Técnicas de reprodução são praticamente desconhecidas em aquários, já que não há dimorfismo sexual, além do que, acredita-se que esse peixe raramente atinja a maturidade sexual em aquários, daí o motivo da falta de sucesso na reprodução.

Referências

  1. Chromobotia (Botia) macracantha (em inglês). Visitado em 5 de junho de 2013.
Ícone de esboço Este artigo sobre peixes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.