BTG Pactual

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Banco BTG Pactual
Tipo Empresa de capital aberto
Cotação BM&F Bovespa: BBTG11
Euronext: BTGP
Indústria Serviços financeiros
Gênero Sociedade anônima
Fundação 1983
Fundador(es) André Esteves
Luiz Cezar Fernandes
Paulo Guedes
Sede São Paulo,  Brasil
Locais Mundo
Presidente André Esteves
Empregados 4.800 (em 2014)[1] [2]
Produtos Banco de investimentos
Gestão de patrimônios
Gestão de ativos empresariais
Valor
de mercado
Aumento R$ 34,388 bilhões (Set/2014)[3]
Lucro Aumento R$ 2,645 bilhões (2013)
Faturamento Aumento R$ 8,889 bilhões (2013)[4]
Página oficial www.btgpactual.com

BTG Pactual é uma instituição financeira global de origem brasileira que atua como banco de investimento, gestor de patrimônios familiares e administrador de ativos empresariais.

Possui sede na Avenida Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo, filiais nas principais cidades brasileiras como Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília, além de escritórios de representação em Santiago, Buenos Aires, Lima, Bogotá, Medelín, São José, Cidade do México, Nova York, Joanesburgo, Nairobi, Genebra, Londres, Milão, Kiev, Luxemburgo, Moscou, Xangai, Hong Kong e Cingapura.

O banco oferece às empresas, sociedades anônimas e governos serviços financeiros como: assessoria em fusões e aquisições, ofertas públicas e privadas de ações, empréstimos e financiamentos, operações cambiais, análise de tendências econômicas, fundos de investimento, gestão de ativos e administração de patrimônios familiares.

O BTG Pactual é uma empresa de capital aberto, listada na Bolsa de Valores, de São Paulo e controlada por uma sociedade de 156 executivos. Possui capitalização de mercado de R$ 28 bilhões, patrimônio líquido de R$ 18 bilhões e ativos totais de R$ 205 bilhões.

Linhas de Negócio[editar | editar código-fonte]

Investment Banking[editar | editar código-fonte]

O BTG Pactual é líder em assessoria financeira em fusões e aquisições de empresas e em subscrição de títulos (mercados de capital de dívida e de renda variável) desde 2009. O banco assessorou transações importantes como a venda da cervejaria Schincariol para a empresa japonesa Kirin, a compra de parte da Usiminas pela Ternium, a reorganização societária do Grupo Oi, a aquisição da AES Atimus pela TIM, e a incorporação da WTorre pela BR Properties. Cerca de 45% de todas as fusões e aquisições realizadas no mercado brasileiro em 2013 tiveram assessoria do BTG Pactual.

Empréstimos e Financiamentos Empresariais[editar | editar código-fonte]

Envolve o financiamento e estruturação de garantias de créditos e empréstimos para grandes corporações. O banco tem crescido neste mercado de forma exponencial desde as suas capitalizações de 2009 e 2012, e permanece bem desalavancado pelas métricas da Basiléia (BIS).[5]

Sales and Trading[editar | editar código-fonte]

A primeira linha de negócio a ser desenvolvida, o Sales and Trading oferece produtos e serviços a um grupo diverso de clientes nos mercados locais e internacionais, incluindo serviços de formação de mercado (market making), corretagem e compensação, e derivativos, juros, câmbio, renda variável, energia e commodities para os fins de hedging e trading.[6]

Gestão de Ativos Empresariais[editar | editar código-fonte]

O banco administra ativos através de um amplo leque de classes de ativos para clientes locais e internacionais. Além dos fundos long-only administrados pelo banco, desde 2009 o BTG Pactual vem consolidando uma presença relevante no mercado local de private equity (capital para crescimento e infraestrutura) e no segmento imobiliário, com participações nas seguintes empresas:[7]

  • Estapar (administração de estacionamentos)
  • Brazil Pharma (rede de farmácias)
  • Mitsubishi Motors do Brasil (montadora de carros)
  • Bravante (serviços offshore para o setor de Oil&Gas)
  • Estre (remoção e tratamento de resíduos)
  • CCRR (papéis especiais)
  • UOL (portal do web e operador de centro de dados)
  • BodyTech (rede de academias)
  • Leader (rede de varejo de roupa e eletroeletrônicos)
  • BR Properties (dono e administrador imobiliário)

O banco consolidou uma presença relevante também no mercado de administração de fundos de hedge globais através do seu carro-chefe, o fundo GEMM Fund que administra 22 bilhões de dólares ao redor do mundo e está entre os 20 fundos mais rentáveis do mundo,[8] o qual foi contemplado com o prêmio de Melhor Fundo Macro pela EuroHedge em 2010 e 2012.[9]

Gestão de patrimônios[editar | editar código-fonte]

Em 2014 o BTG Pactual era um dos lideres em gestão de patrimônio no Brasil,[10] com 70,5 bilhões de reais sob gestão do banco.[11] Seus serviços vão de asset management a assessoria de planejamento patrimonial no Brasil, no Chile, na Colômbia e na Europa.[12]

Principal Investments[editar | editar código-fonte]

O Banco investe seu capital em mercados globais, private equity (capital de crescimento e infraestrutura) e no segmento imobiliário. A maioria destes investimentos é conduzida através de fundos administrados pelos seus negócios de asset management, junto aos clientes do banco, em 2011 a divisão de Principal Investments representou 5,6% de todo o faturamento do BTG Pactual.[13]

Responsabilidade social[editar | editar código-fonte]

O BTG Pactual apoia projetos sociais que visa o desenvolvimento humano por meio de ações educacionais e culturais. Na Educação, o Banco investe em projetos que incentivam empreendedorismo e contribuem para a capacitação de jovens e futuros líderes do país. Somos parceiros da Endeavor, USP, Fundação Estudar, Insper e um dos mantenedores do Endowment da Poli, a faculdade de engenharia da Universidade de São Paulo.

O banco também apoia a produção de artistas brasileiros como Beatriz Milhazes, Carlos Vergara, Goeldi, Ivan Serpa, Volpi, Adriana Varejão, Hélio Oiticica, Flávio de Carvalho, Manabu Mabe e Tomie Ohtake, como também a Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) e o Theatro Municipal de São Paulo.

O BTG Pactual também investe em iniciativas que ampliam o acesso à educação infanto-juvenil em entidades como TUCCA, GRAAC, Alfabetização Solidária, Instituto Reciclar, Lar das Crianças e Fraternidade Irmã Clara.

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

A inglesa The Banker, revista do Grupo Financial Times sobre o mercado financeiro global, elegeu o BTG Pactual como o Banco de Investimentos mais inovador da América Latina em 2013. Outras premiações incluem: 

  • Melhor Banco de Investimentos do Brasil e do Chile segundo a revista World Finance(2013);  
  • Melhor Merger & Acquisition House no Brasil, Chile e América Latina de acordo com a revista Euromoney (2013); 
  • Líder em volume e número de transações de renda fixa de empresas brasileiras no mercado internacional no ranking Dealogic (2013) e em operações de Merger &Acquisition no Brasil no ranking Thomson Reuters (2013); 
  • Melhor Private Bank do Brasil segundo as revistas The Banker e Euromoney (2013); 
  • Considerada a melhor casa de Research da América Latina (2012) e do Brasil (2013 e 2012) e líder em Sales & Trading na América Latina (2013) e no Brasil (2013 e 2012) pela revista Institutional Investor; 
  • Melhor Gestora de Fundos do Brasil pela revista Exame/FGV, por dois anos consecutivos (2012 e 20 
  • Líder em emissões de ações na América Latina desde 2004 (Dealogic) e no Brasil (Bloomberg) - 2012 

História[editar | editar código-fonte]

A história do Banco BTG Pactual se inicia em 1983, com a fundação da Pactual DTVM no Rio de Janeiro pelos empreendedores Luiz Cezar Fernandes, André Jacurski e Paulo Guedes. A atividade da Pactual DTVM era negociação de propriedades, venda de títulos mobiliários.[14] Em junho de 1999, a Pactual DTVM teve alterações societárias que resultaram na substituição dos ex-diretores executivos por uma equipe liderada por Andre Esteves (hoje, presidente do BTG Pactual), Eduardo Plass, Marcelo Serfaty e Gilberto Sayão. A mudança na administração possibilitou nova direção estratégica e o desenvolvimento de novos negócios como banco de investimentos, administração de patrimônios familiares e gestão de ativos empresariais. A estratégia foi implementada como forma de diversificar fontes de receita e de criar uma franquia nos mercado financeiro do Brasil.[15] Deu-se então a reformulação da Pactual DTVM e consequentemente a criação do Banco Pactual.

A trajetória bem sucedida do Banco Pactual e a solidez do mercado financeiro nacional chamou a atenção de investidores internacionais. Em dezembro de 2006, o banco suíco UBS comprou o Pactual por US$ 3,1bi. A negociação deu origem ao Banco UBS Pactual. A maioria dos executivos continuou no novo empreendimento e, alguns deles, como Andre Esteves, assumiu posições no UBS no exterior. No caso, como Chefe Global de Renda Fixa, em Londres, entre 2007 e 2008.

Em junho de 2008, André Esteves deixou UBS para fundar a BTG Investments, empresa de gestão de ativos empresariais. A expressão "BTG" significa "Back to the Game", em alusão ao retorno do executivo ao mercado financeiro brasileiro. O novo empreendimento foi formado com outros nove sócios-fundadores do UBS A.G. e do UBS Pactual, além de Persio Arida, ex-presidente do Banco Central e formulador do plano que originou a atual moeda brasileira, o Real. A BTG Investments tinha escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Nova Iorque, Hong Kong e Londres e atuação em investimentos e gestão de ativos globais.

Em maio de 2009, a BTG Investments foi adquirida pelo UBS Pactual por US$ 2,5 bi. A negociação originou, portanto, o atual o BTG Pactual. Desde então, o Banco BTG Pactual vem apresentando resultados positivos. O lucro anual passou de R$ 1,3 bilhão em 2009 para R$ 2,7 em 2013.

André Esteves é o CEO e Presidente do BTG Pactual e comanda o Banco junto aos comitês de gestão globais e brasileiros. Preservou a estrutura de uma sociedade, em que todos os sócios são executivos com responsabilidade no dia a dia da organização. Os porcentuais da sociedade são revisados anualmente, de acordo com o desempenho individual e a contribuição do grupo, além de serem feitos convites para colaboradores se tornarem novos sócios.

Em dezembro de 2010, o banco passou por uma captação de recursos que lhe trouxe US$ 1,8 bilhão em equity investments de um consórcio de investidores internacionais incluindo fundos de sovereign wealth (CIC, da China, GIC, de Singapura e ADIC, de Abu Dhabi), famílias estratégicas (Mottas, de Panamá, Rothschilds da Inglaterra, Agnelli da Itália e Santo Domingo de Colômbia) e investidores institucionais (Ontario Teachers’ Pension Plan e J.C. Flowers & Co.). Os sócios do BTG Pactual mantiveram o controle do banco, com uma participação de aproximadamente 80% do seu capital.[16]

Em janeiro de 2011, o BTG Pactual comprou uma participação de controle no Banco Panamericano por R$ 450 milhões, do Grupo Silvio Santos. A aquisição deu ao Banco direito participação econômica de 34,64% no Panamericano, com 51% do capital votante e acordo de controle conjunto com a Caixa Econômica Federal (CEF). Pelo acordo, a CEF aceitou manter participação no Panamericano e oferecer financiamento por um período de oito anos, sustentando assim o futuro da negociação. [17]

Em dezembro de 2011, o banco fechou a aquisição da Brazilian Finance & Real Estate por R$ 1,2 bilhão, uma gestora de ativos local e também uma financiadora com foco no setor imobiliário. Com a aquisição, o BTG Pactual se tornou a maior administradora brasileira de fundos de investimento dedicados ao setor imobiliário, e um competitor relevante no setor.[18]

Em abril de 2012, BTG Pactual se tornou uma empresa de capital aberta e captou R$ 3,656 bilhões junto aos investidores da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). A oferta primária incluiu ações de duas entidades diferentes: o Banco BTG Pactual S.A., que controla as operações de investment banking, e o BTG Pactual Participations, companhia offshore para investimentos líquidos e ilíquidos criados para fins de planejamento fiscal/tributário. O BBTG11, nome da ação do grupo na Bovespa, compõe três ações de cada entidade. Os investidores de private placement (colocação privada) e de IPO (sigla em inlgês para oferta pública inicial de ações) detêm participação conjunta de aproximadamente 30% no banco. A IPO do BTG Pactual foi considerada, na época, a maior do Brasil desde 2009.[19]

Também em 2012, o BTG Pactual concluiu a aquisição de duas operações relevantes de serviços financeiros. A primeira foi o banco de investimento chileno Celfin Capital, adquirido por US$ 245 milhões. A negociação concretizou a estratégia do BTG Pactual de se tornar um banco de investimento líder na América Latina. [20] Em junho de 2012, o BTG Pactual comprou a corretora colombiana Bolsa y Renta por US$ 52 milhões, permitindo assim continuar a estratégia de expansão nas economias mais importantes do continente latino.[21]

Em julho de 2014, o BTG Pactual fez duas aquisições na Europa. A primeira foi a resseguradora britânica Ariel Re. A segunda foi o banco suíço BSI, instituição financeira com 140 anos de trajetória na indústria de private banking com US$100 bilhões em ativos sob gestão e 2.000 funcionários em mais de 10 países. A aquisição da BSI reflete a confiança do BTG Pactual na solidez e na tradição da Suíça como centro financeiro e na oportunidade de construção de uma das maiores plataformas globais de private banking.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. https://www.btgpactual.com/home/download/noticias/BTG%20Pactual%20adquire%20BSI_v5.pdf
  2. http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/07/1485450-btg-acerta-a-compra-do-suico-bsi-por-r-373-bilhoes.shtml
  3. http://www.bloomberg.com/quote/BBTG11:BZ
  4. http://www.bastter.com/mercado/acao/BPAC.aspx
  5. http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/lucro-liquido-do-btg-pactual-soma-r-768-mi-no-4o-tri
  6. http://www.reuters.com/article/2014/05/07/btgpactual-results-commodities-idUSL2N0NT1EA20140507
  7. https://www.btgpactual.com/home/AssetManagement.aspx
  8. https://www.btgpactual.com/home_en/AssetManagement.aspx/GlobalHedgeFunds
  9. http://www.asofiduciarias.org.co/p/Ricardo%20Kaufmann%20BTGP_CorporatePresentation_4Q2013%20ASO.pdf
  10. http://ir.btgpactual.com/btgpactual/web/mobile/conteudo_mobile.asp?idioma=0&conta=28&tipo=40143
  11. https://www.btgpactual.com/home_en/WhoWeAre.aspx/FinancialHighlights
  12. http://online.wsj.com/news/articles/SB10001424052702304688104579467841035218948
  13. http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/o-que-fez-btg-pactual-dobrar-de-tamanho-no-ano-passado
  14. http://revistaepoca.globo.com/vida/noticia/2012/04/da-tijuca-para-o-mundo.html
  15. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi22069923.htm
  16. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/28030-btg-pactual-se-prepara-para-lancar-acoes-na-bolsa.shtml
  17. http://veja.abril.com.br/noticia/economia/silvio-santos-vende-panamericano-para-btg-pactual
  18. http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/financas/20111228/btg-pactual-adquire-brazilian-finance-real-estate-por-bilhao/93273.shtml
  19. http://br.reuters.com/article/topNews/idBRSPE83O00020120425
  20. http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,btg-compra-chileno-celfin-e-ja-estuda-novas-aquisicoes-na-al-imp-,833337
  21. http://www.reuters.com/article/2012/06/14/bolsayrenta-colombia-btgpactual-idUSL1E8HEFX020120614
Ícone de esboço Este artigo sobre um banco ou instituição financeira é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre BTG Pactual