Baianos na Umbanda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Baianos são uma linha de trabalhadores de Umbanda pertencentes à chamada Linha das Almas, a mesma dos Pretos-Velhos / Pretas-Velhas. Suas giras são encontradas sobretudo em São Paulo. A correspondência no Rio de Janeiro é com a linha dos Malandros, cujo maior representante é Zé Pelintra. Outras linhas trabalham na gira dos baianos como por exemplo: Boiadeiros, Marinheiros e em alguns terreiros os Mineiros.

Sempre com seu coco (mistura de cachaça e mel colocada dentro de um coco), a linha baiana está sempre disposta a ajudar os filhos de fé com seus conselhos e sua proteção. Esta linha trabalha tanto na Umbanda quanto na Quimbanda, geralmente não descendo nos trabalhos de esquerda (exceto Zé Pelintra), mas tendo a sua permissão para atuar na Quimbanda no plano espiritual.

Alguns conhecidos:

  • Amigo do Vitorino
  • Mané Baiano
  • Zé Baiano
  • Zé da Estrada
  • Zé da Estrada e dos Trilhos
  • Zé do Côco
  • Zé Tenório
  • Zé Pereira
  • Zé da Faca
  • Zeca do Côco
  • Zézinho Bahiano
  • Marquinho baiano
  • Chico Baiano
  • João Baiano
  • Severino
  • Joaquim Baiano
  • Carcará
  • Lampião
  • Maria Bonita
  • Baiano Delclessiano
  • Baiana Sol
  • Pai Baiano

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre umbanda é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.