Baixada Maranhense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Merge-arrow 2.svg
Este artigo ou secção deverá ser fundido com Microrregião da Baixada Maranhense. (desde fevereiro de 2012)
(por favor crie o espaço de discussão sobre essa fusão e justifique o motivo aqui; não é necessário criar o espaço em ambas as páginas, crie-o somente uma vez. Perceba que para casos antigos é provável que já haja uma discussão acontecendo na página de discussão de um dos artigos. Verifique ambas (1, 2) e não esqueça de levar toda a discussão quando levar o caso para a central.).

Chama-se Baixada Maranhense a região a oeste e sudeste da Ilha de São Luís, formada por grandes planícies baixas que alagam na estação das chuvas, criando enormes lagoas entre os meses de janeiro e julho.

Baixada Maranhense no período chuvoso.

Essa região se estende por mais de vinte mil quilômetros quadrados e abrange cerca de vinte municípios, dentre os quais São Bento, Viana, Cajari, Matinha, Olinda Nova do Maranhão, Pinheiro, São Vicente Ferrer, São João Batista, Arari, Anajatuba, Pedro do Rosário, Peri Mirim, Palmeirândia entre outros, a Ilha do Caranguejo, na Baía de São Marcos, o Campo de Perizes, ainda na Ilha de São Luís e outras regiões.

O descobrimento da região teria sido no final do século XVIII, e sua colonização começou no início do século XIX por João Alves Pinheiro, que depois de ter partido de Alcântara, sede da capitania de Cumã, fixou residência, e ao redor desse local, foi fundada a vila de São Bento de Bacurituba, em 1833, depois tendo sido fundada a cidade de São Bento e outros municípios.

A economia da Baixada Maranhense é basicamente de subsistência e as principais atividades econômicas são extrativismo vegetal(babaçu) e pesca. A maior parte da água consumida nas cidades da Baixada Maranhense é proveniente dos campos alagados ou de rios como: Pericumã, Mearim, Pindaré.

No século XIX, a Baixada Maranhense era um grande pólo produtor de algodão, exportado para a França, Inglaterra e Holanda, produto que depois da independência do Brasil, deixou de ser plantado em grande escala, contribuindo para a decadência do Maranhão.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Essa região se estende por mais de vinte mil quilômetros quadrados e abrange cerca de vinte municípios, dentre os quais São Bento, Viana, Cajari, Matinha, Olinda Nova do Maranhão, Pinheiro,Santa Helena, São Vicente Ferrer, São João Batista, Arari, Anajatuba, Pedro do Rosário, Peri Mirim, Palmeirândia entre outros, a Ilha do Caranguejo, na Baía de São Marcos, o Campo de Perizes, ainda na Ilha de São Luís e outras regiões.

O descobrimento da região teria sido no final do século XVIII, e sua colonização começou no início do século XIX por João Alves Pinheiro, que depois de ter partido de Alcântara, sede da capitania de Cumã, fixou residência, e ao redor desse local, foi fundada a vila de São Bento de Bacurituba, em 1833, depois tendo sido fundada a cidade de São Bento e outros municípios.

A economia da Baixada Maranhense é basicamente de subsistência e as principais atividades econômicas são extrativismo vegetal(babaçu) e pesca. A maior parte da água consumida nas cidades da Baixada Maranhense é proveniente dos campos alagados ou de rios como: Pericumã, Mearim, Pindaré.

No século XIX, a Baixada Maranhense era um grande pólo produtor de algodão, exportado para a França, Inglaterra e Holanda, produto que depois da independência do Brasil, deixou de ser plantado em grande escala, contribuindo para a decadência do Maranhão.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.