Balada nº1 (Chopin)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Balada nº 1
Ballade 1 Gm.png
Primeiros três compassos da Balada nº 1
Composição de Frédéric Chopin
Forma: Balada
Tonalidade/Compasso: Sol menor, (Introdução) 4/4, (Corpo) 6/4, (Coda) 2/2
Andamento Largo/Lento, Moderato, Presto in coda
Data da composição: 1831, publicado em 1836
Número da composição: Op. 23

A Balada nº 1, em Sol menor, Opus 23 é a primeira das quatro baladas compostas pelo compositor polonês Frédéric Chopin para piano solo. Foi composta entre 1835 e 1836. durante os primeiros dias do compositor em Paris, e foi dedicada ao "Monsieur le Baron de Stockhausen" ("Senhor Barão de Stockhausen"), embaixador de Hanover na França.

De acordo com um comentário de Robert Schumann, Chopin teria citado o poeta Adam Mickiewicz como influência para as suas quatro baladas. A inspiração exata para cada uma das peças não está clara e é disputada.

A música foi construída sobre dois temas principais; o primeiro é introduzido a partir do sétimo compasso, depois de uma curta introdução e o segundo no 69º compasso. Ambos os temas retornam mais tarde, com diferentes aparências. A peça foi escrita em compasso composto (6/4), exceto pela pequena introdução (em 4/4) e a coda (em 2/2). Algumas seções da obra são muito exigentes, tecnicamente, e exigem posições complexas com os dedos, acordes extensos, oitavas, sequências extremamente rápidas de acordes e até mesmo uma seção de acordes cromáticos no final. Sua estrutura complexa combina idéias de formas musicais como a sonata e a variação.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Esta balada é tocada duas vezes, na interpretação de Janusz Olejniczak, no filme O Pianista, dirigido por Roman Polansky. Na primeira vez, são escutados apenas alguns compassos, quando Władysław Szpilman toca no ar, num hospital alemão abandonado. Na segunda vez, é ouvida numa cena de aproximadamente 4 minutos e uma versão integral da obra foi incluída na trilha sonora do filme.
  • Robert Schumann, numa carta escrita a Heinrich Dorn, escreveu a respeito da balada, "Recebi uma nova balada de Chopin. Parece um trabalho bastante próximo de seu gênio, embora não seja o mais genial e eu lhe disse que de todas as suas composições é a que mais gosto. Depois de um silêncio relativamente longo, ele retrucou enfaticamente: "Fico feliz em ouvir isso, pois também é a que mais gosto e a minha mais querida".
  • Na coda (Presto con fuoco) há uma passagem bastante semelhante (talvez propositalmente) a uma do terceiro movimento da sonata nº 23 de Ludwig van Beethoven (Apassionata).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]