Indianapolis Colts

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Baltimore Colts)
Ir para: navegação, pesquisa
Indianapolis Colts
Temporada de 2014 da NFL
Fundado em 1953
Joga em Lucas Oil Stadium
Indianápolis, Indiana
Quartel-general do Indianapolis Colts
Centro de treinamento
Indianápolis
Indianapolis Colts logo
Afiliações na liga/conferência

National Football League (1953–presente)

Uniforme
Cores Azul, branco

         

Pessoas-chave
CEO Jim Irsay
General manager Ryan Grigson
Treinador Chuck Pagano
História do time
Títulos
Títulos da liga (4)
Campeões da conferência (7)
Campeões da divisão (14)
Aparições em playoff (24)
Estádios

O Indianapolis Colts é um time profissional de futebol americano baseado em Indianápolis, Indiana, Estados Unidos. Eles são membros da Divisão Sul da American Football Conference (AFC) na National Football League (NFL).

O clube foi fundado oficialmente em Baltimore, Maryland em 1953, mas sua história data do Dayton Triangles, um dos times fundadores da NFL criado em 1913. Após uma série de mudanças, o time passou a se chamar Baltimore Colts na decada de 50. Jogando no antigo Memorial Stadium, os Colts foram o primeiro time da NFL ter oficialmente um grupo de cheerleaders e uma banda marcial, copiando o futebol americano universitário. O time então se mudaria para Indianápolis em 1984, jogando primeiro no Hoosier Dome, rebatizado de RCA Dome, e então indo para uma nova arena, o Lucas Oil Stadium, inaugurada em 2008.

Os Colts venceram quatro campeonatos da NFL (três NFL Championships em 1958, 1959, 1968; e o Super Bowl V em 1971) enquanto ainda jogavam em Baltimore. Depois que se mudaram para Indianapolis, o time foi campeão do Super Bowl XLI em 2007. Desde 1998, o time se tornou o único time na história da NFL a vencer 12 ou mais partidas em sete temporadas consecutivas, sendo que este recorde foi estendido para sete temporadas em 2009. Os Colts também foram o primeiro time na NFL a vencer todos os outros 31 times da liga em temporada regular.[1] O Quartel-general do time e as instalações de treinamento estão localizadas em Indianápolis. O time faz seu training camp anual entre julho e agosto no campus da Universidade de Anderson em Anderson, Indiana.

História[editar | editar código-fonte]

No ano de 1953 é fundado o Baltimore Colts, antigo nome do Indianapolis Colts. Anteriormente já existira nos Estados Unidos da América, um time chamado Baltimore Colts que participou de competições no período dos anos 1947 a 1950. Enquanto em Baltimore, os Colts venceram o Super Bowl V.[2]

Nascimento do time[editar | editar código-fonte]

  • Dayton Triangles, um time de Dayton em Ohio, se desloca e muda de nome para Brooklyn Dodgers em Nova Iorque em 1930.
  • Em 1944, eles mudam o nome para Brooklyn Tigers. E no mesmo ano é fundado o Boston Yanks.
  • Os dois times se fundem temporariamente ao termino da guerra para formar o chamado "The Yanks".
  • Em 1945, a franquia dos Tigers é fechada pela liga e a fusão com o Boston Yanks torna-se permanente mudando o nome do time para New York Yanks em 1949.
  • O time do New York Yanks se muda para Dallas em 1952, com o nome de Dallas Texans.
  • No dia 23 de janeiro de 1953, o Dallas Texans se muda para Baltimore e adota o apelido "Colts" e mantém o azul e branco no uniforme do ex-time texano.

Baltimore Colts[editar | editar código-fonte]

Em 1953, a nova franquia Colts se estabelece em Baltimore no estado americano de Maryland. Os Colts foram o primeiro time da liga a ter cheerleaders e uma banda marcial copiando o futebol americano universitário.[3]

O jovem time de Maryland de inicio não consegue bons resultados apesar de não ir tão mal nas temporadas regulares. Em 1956 chega a Baltimore um jovem quarterback vindo da Universidade de Louisville chamado Johnny Unitas. Com ele, os Colts conseguem boas e importantes vitórias chegando em 1964 ao NFL Championship Game contra o Cleveland Browns mas acabou perdendo por 27 a 0.

Em 1968, com a contusão de Unitas, o quarterback reserva Earl Morrall chega para ser o titular e consegue ser o MVP após uma temporada de 13 vitórias e 1 derrota. Naquele ano, o time chega ao Super Bowl III mas acabou perdendo para o New York Jets em uma das maiores zebras da história da liga.

Finalmente em 1970, Johnny Unitas e os Colts chegam ao Super Bowl V após uma campanha de 11 vitórias, 2 derrotas e 1 empate. O jogo aconteceu no estádio Miami Orange Bowl, em Miami na Flórida, e os Colts venceram o Dallas Cowboys por 16 a 13.

Com a saída de Johnny Unitas em 1972, os Colts passaram a ter um péssimo rendimento em temporada regular sendo que nos anos 80 foram duas primeiras escolhas em drafts da NFL. Em 1983, o time selecionou o QB John Elway na primeira rodada do Draft, mas Elway não se deu bem com Frank Kusho, treinador do time. Por fim, ele arranjou uma troca e foi para o Denver Broncos, onde tem uma carreira de enorme sucesso.

De Baltimore para Indianápolis[editar | editar código-fonte]

Peyton Manning na temporada de 2010 defendendo o Indianapolis Colts.

Antes da temporada de 1984, o time do Baltimore Colts se mudou para Indianápolis, no estado de Indiana, fundando assim o Indianapolis Colts. Esta mudança foi marcada pelo famoso incidente, que chocou a cidade, com a superlotação pelos caminhões da Mayflower Transit, uma das empresas que incentivaram e patrocinaram a mudança de cidade do time. A realocação de Maryland para Indiana, que aconteceu no meio da noite, deveu-se as insuficiente propostas da prefeitura de Baltimore em melhorar o estádio local e conceder outros benefícios aos Colts. Essa animosidade por fim resultou na mudança. Os nomes, por muito tempo, geraram grande confusão mental entre os torcedores, provocando muita raiva, até eles conseguirem desassociar as duas equipes, já que mais tarde Baltimore ganharia outro time, os Ravens.[4]

Após a mudança, o novo Indianapolis Colts amargaria péssimas campanhas em temporada regular, sendo na época considerado um dos piores times da liga. Em 1990, o quarterback Jeff George é selecionado na primeira rodada do draft da NFL mas ele não consegue emplacar, é dispensado e o time volta a estaca zero. Em 1998, os Colts voltam a ter a primeira escolha no draft e tem a disposição dois grandes astros do futebol americano universitário: Ryan Leaf (Washington State) e Peyton Manning (University of Tennessee). Contrariando especialistas, os Colts de Indianapolis escolhem Manning dando inicio a uma das eras mais prolíficas e rentáveis da história da franquia.[4]

A era Peyton Manning[editar | editar código-fonte]

Os Colts jogando a final da AFC em 2010.

Peyton Manning foi o quarterback e principal jogador do Indianapolis Colts por 14 anos. Sua chegada ao time do estado de Indiana veio através do draft para a temporada de 1998. Antes disso, Peyton atuou na Universidade do Tennessee, onde ele já era considerado um jogador diferenciado. Sua habilidade foi herdada de seu pai, ex-jogador do New Orleans Saints, Archie Manning.

Em 1998, Peyton foi selecionado na primeira rodada do draft da NFL como a primeira escolha. Em sua primeira temporada como profissional terminou quebrando vários recordes para um calouro. Ele fechou seu primeiro ano na liga com 26 touchdowns e 28 interceptações, além de ter lançado para 3 739 jardas sendo todos esses números recordes para um rookie (novato). Os Colts fecharam o ano com 3 vitórias e 13 derrotas, mas Manning evolui rapidamente no ano seguinte levando seu time a uma campanha de 13 vitórias e 3 derrotas.

Nos anos que se seguiram, Manning liderou os Colts em campanhas bem sucedidas em temporada regular, conseguindo nos 7 anos seguintes pelo menos 10 vitórias por temporada e 5 títulos de divisão consecutivos. Em 2004, quebrou o recorde que pertencia a Dan Marino, ex-quarterback do Miami Dolphins, com 49 TDs em uma temporada (recorde que seria batido por Tom Brady do New England Patriots que fez 50 TDs em 2007) e o melhor rating com 121,1 (recorde que agora pertence a Aaron Rodgers que fez 122,5 em 2011). É também o QB com o maior número de temporadas com mais de 4 mil jardas, sendo 11. Peyton Manning teve como seu principal alvo o WR Marvin Harrison. Juntos detém vários recordes tais como o de recepções, jardas e touchdowns sendo reconhecidos como uma das maiores duplas QB-WR da história da liga.

Mas mesmo com excelentes números, Manning não conseguia vencer na pós-temporada. Fracassando repetidas vezes, em especial para o New England Patriots liderados por Tom Brady. Mas na final da temporada 2006-2007 da NFL, Peyton liderou os Colts muito bem até bater os Patriots na final da AFC e levar seu time ao Super Bowl.

Antes da decisão do Super Bowl XLI, Manning obtinha a fama de ser "amarelão", mas ele conseguiu superar essa fama e levou com muita garra a sua equipe ao título no estádio do Miami Dolphins, na Flórida. A vitória no Super Bowl foi sobre o Chicago Bears por 29 a 17, sendo Manning eleito MVP da final.

Em 7 de março de 2012, depois de quatorze anos em Indianapolis, Peyton Manning anunciou sua saida do time após três complicadas cirurgias. Ele deixou o time com todos os recordes da franquia (passes, jardas, touchdowns).[5]

Superbowl XLI: A super conquista[editar | editar código-fonte]

George Bush recebe o time de Indianapolis após vitória no Super Bowl em 2007.

O Super Bowl XLI realizado em fevereiro do ano de 2007, o Colts vinha de uma temporada arrasadora, na qual perdeu poucos jogos. A final da NFL foi realizada em Miami, EUA, e mais uma vez a estrela de Peyton Manning brilhou. Manning, que tinha acertado mais de uma centena de lançamentos para touchdown antes do Superbowl, levou o time à vitória contra o Chicago Bears, no estádio do Miami Dolphins, pelo placar 29 a 17.[6]

Tony Dungy: o primeiro[editar | editar código-fonte]

Tony Dungy, técnico dos Indianapolis Colts entre as temporadas de 2002 e 2008, participou do Super Bowl XLI e consagrando-se como campeão, teve uma marca bem merecida. Ele foi o primeiro técnico afro-americano a vencer esta competição de tamanha grandeza nos Estados Unidos.

Após o termino da temporada de 2008-2009, T. Dungy decidiu, junto com a sua família, se aposentar da função de técnico dos Colts. Seu assistente Jim Caldwell assumiu o cargo.

Tendo um título de Super Bowl como jogador (XIII) e outro como treinador (XLI), Dungy é um dos técnicos mais vitoriosos da liga com 139 vitórias e 69 derrotas com um percentual 66.8% em 208 jogos como Head Coach dos colts em temporada regular e nos playoffs tem 9 vitórias e 10 derrotas.

No início da temporada 2009-2010, Tony Dungy estreou como comentarista em partidas da NFL por uma grande rede de televisão norte americana.

A era Andrew Luck[editar | editar código-fonte]

Andrew Luck e os Colts em 2013.

Após a saída de Peyton Manning, depois de quatorze anos nos Colts, o dono do time, Jim Irsay, afirmou que a partir de 2012 o time iria começar sua reconstrução interna,[7] contratando um novo general manager, Ryan Grigson,[8] e um novo treinador, Chuck Pagano.[9] O time de Indianápolis também dispensou diversos jogadores veteranos da era Manning, como Joseph Addai, Dallas Clark e Gary Brackett.[10] Os Colts usaram a primeira escolha no draft de 2012 no quarterback Andrew Luck, vindo de Stanford, e na segunda rodada o tight end Coby Fleener, que veio na mesma faculdade de Luck.[11] [12] O time também mudou de postura de defesa, para uma formação 3-4. Em setembro de 2012, Andrew Luck estreou com os Colts em uma derrota para o Chicago Bears por 41 a 21, onde o quarterback completou 23 de 45 passes. Ele também lançou para um touchdown e também três interceptações e também cometeu um fumble, com um ratting de 52,9.[13]

Os Colts terminaram a temporada de 2012 com 11 vitórias e 5 derrotas, com o time fazendo a campanha "Chuck Strong" ("Chuck Forte") em referencia ao treinador Chuck Pagano que estava numa luta contra a leucemia. Naquela temporada, o time surpreendeu os especialistas com uma sólida campanha e bons números do novato Andrew Luck e do veterano Reggie Wayne, que lideraram o time. No ano anterior, a equipe tinha conseguido apenas duas vitórias em dezesseis jogos e em 2013 conseguiu ir para os playoffs. Na pós-temporaa, o time acabou perdendo para a equipe que viria a ser campeão daquele ano, o Baltimore Ravens.[14] Em 2013, o time continuou com seu processo de reconstrução, chamando o running back Trent Richardson para o elenco. Seguindo em uma temporada forte, na semana 7, Luck liderou Indianápolis em uma vitória por 39 a 33 sobre o, até então invicto, Denver Broncos, que era liderado pelo ex astro dos Colts, Peyton Manning.[15]

Estádio[editar | editar código-fonte]

Frente do Lucas Oil Stadium

O Indianapolis tem seus jogos em um dos mais novos estádios da NFL, o Lucas Oil Stadium um dos únicos três estádios com teto retrátil da liga, tomando lugar do RCA Dome, que foi a casa dos Colts por 24 temporadas (1984-2007), sendo demolido para ser feita uma extensão do Indiana Convention Center. O Lucas Oil Stadium tem capacidade de receber 63000 espectadores em jogos da NFL e seu teto retrátil pode ser aberto ou fechado em menos de dez minutos.

Símbolos e Logomarcas[editar | editar código-fonte]

O time tem como suas cores o azul-escuro (jogando em casa) e o branco (jogando fora), estas mesmas compõem maior parte do uniforme da equipe. A logomarca principal da equipe é uma ferradura de cavalo, que é utilizada no uniforme e no seu capacete.

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Jogadores[editar | editar código-fonte]

Elenco do Indianapolis Colts
Quarterbacks

Running Backs

Wide Receivers

Tight Ends

Offensive Linemen

Defensive Linemen

Linebackers

Defensive Backs

Special Teams

Reserve Lists

Practice Squad

Calouros em itálico
Roster atualizado 2 de dezembro de 2014
Depth ChartTransações

53 Ativos, 12 Inativos, FAs

Números aposentados[editar | editar código-fonte]

Número Jogador Posição Anos
18 Peyton Manning QB 1998-2011
19 Johnny Unitas QB 1956-72
22 Buddy Young RB 1953-55
24 Lenny Moore HB 1956-67
70 Art Donovan DT 1950, 1953–61
77 Jim Parker OL 1957-67
82 Raymond Berry WR 1955-67
89 Gino Marchetti DE 1953-66

Pro Football Hall da Fama[editar | editar código-fonte]

Ring of Honor[editar | editar código-fonte]

Os membros do Ring of Honor do time:

Referências

  1. Colts clip Raiders for fifth straight AFC South title ESPN.com (16 de dezembro de 2007). Visitado em 20 de dezembro de 2007.
  2. "Baltimore Colts (1953-1983) - The Sports E-Cyclopedia". Página acessada em 16 de novembro de 2013.
  3. Gibbons, Michael (7 de agosto de 2006). Baltimore's Colts: A Team for the Ages Press Box Online. Visitado em 19 de agosto de 2007.
  4. a b "History of the Indianapolis Colts". Página acessada em 16 de novembro de 2013.
  5. Indianapolis Colts confirmam saída de Peyton Manning do time após 14 anos ESPN.com.br. Visitado em 7 de março de 2012.
  6. "ESPN.com - NFL - Super Bowl XLI: Colts at Bears". Página acessada em 16 de novembro de 2013.
  7. James, Tom. Irsay: Colts are in 'rebuilding stage' Tribune-Star. Visitado em 4 de julho de 2012.
  8. Colts hire Ryan Grigson as new GM ESPN. Visitado em 4 de julho de 2012.
  9. Colts name Chuck Pagano coach ESPN. Visitado em 4 de julho de 2012.
  10. Colts release five players WTHR. Visitado em 4 de julho de 2012.
  11. Colts draft Andrew Luck at No. 1 ESPN. Visitado em 4 de julho de 2012.
  12. Colts draft Fleener in round 2 WLFI. Visitado em 4 de julho de 2012.
  13. "NFL Week 1 storylines: Peyton Manning returns, Andrew Luck debuts". Página acessada em 16 de novembro de 2013.
  14. "Ravens beat Colts in wild-card round, win Ray Lewis' home finale". Página acessada em 16 de novembro de 2013.
  15. "No jogo mais esperado da NFL, Indianaplis Colts vence Denver Broncos por 39 a 33". Página acessada em 16 de novembro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]