Banana Mecânica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Banana Mecânica
Banana Mecânica (PT/BR)
Brasil
1974 • cor • 95 min 
Direção Braz Chediak
Roteiro Braz Chediak, Jesus Chediak, Carlos Imperial e Sindoval Aguiar
Género Comédia
Idioma português

Banana Mecânica é um longa-metragem brasileiro, do gênero comédia, filmado em 1974.

O filme foi produzido pela Carlos Imperial Produções Cinematográficas e distribuído pela Sincro Filmes, com duração de 97 minutos.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Um psicanalista (Dr. Ferrão) mantém coluna de jornal e um consultório nos altos da boutique de Marcela, mulher que faz tudo para ajudá-lo em suas conquistas amorosas.

Entre seus clientes destaca-se Paulo Frederico, jovem de maneiras efeminadas em tratamento de recuperação. Preocupado em demonstrar uma nova tese sobre o amor conjugal, Dr. Ferrão utiliza em suas experiências mil mulheres, como cobaias.

Nessas experiências entram Dona Neuza e Cristina, esposa e sobrinha de seu amigo Cornélio que, desconfiado das intenções do psicanalista, contrata um detetive particular para investigar o caso. Mas o detetive revela-se mais interessado em espiar as experiências do Dr. Ferrão do que em descobrir alguma coisa.

Fisgado pelos encantos de Cristina, Dr. Ferrão é, no entanto, repelido quando trata de antecipar uma experiência conjugal, terminando por pedir a moça em casamento. As experiências do Dr. Ferrão culminam com o que denomina "sex-surprise", reservando para si a doce Cristina. Enquanto isso, Marcela acaba se tornando a musa inspiradora na recuperação de Paulo Frederico, o rapaz efeminado.

O título faz referência ao filme Laranja Mecânica (na época, proibido no Brasil), mas a semelhança só fica nisso.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Distribuição: Sincro Filmes
Argumento: Braz Chediak e Jesus Chediak
Produção: Carlos Imperial
Co-produção: Carlos Imperial Produções Artísticas
Música: Carlos Imperial
Fotografia: Hélio Silva
Fotografia de cena: Fred Confanolieri
Cartaz: Benício
Desenho de Produção: Fred Confalonieri
Edição: Raimundo Higino

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Melhor Atriz Secundária (Henriqueta Brieba), Festival de Cinema de Belém do Pará, PA, 1974.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.