Banco da Amazônia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Banco da Amazônia S/A
Slogan Movimentando a Amazônia e a sua Vida!
Tipo sociedade anônima
Cotação BM&F Bovespa: BAZA3
Indústria Banco Comercial
Fundação 9 de julho de 1942
Sede Belém
Locais Belém
Pessoas-chave Valmir Pedro Rossi (presidente)
Empregados 3.085
Produtos serviços bancários
Acionistas 51% tesouro nacional 49% outros [1]
Lucro R$ 78,5 Milhões
Faturamento R$ 972,6 Milhões
Página oficial Pagina oficial

Banco da Amazônia S/A, ou também como ficou conhecido, BASA, é um Banco comercial de economia mista, organizado sob a forma de sociedade anônima de capital aberto onde o Governo Federal Brasileiro detém a maioria das ações. Fundado durante a II Guerra Mundial por Getúlio Vargas sob o nome de Banco de Crédito da Borracha, sua criação é resultado da estratégia de guerra dos aliados e contava com a participação acionária dos Estados Unidos e Brasil. Inicialmente, seu objetivo era reativar a atividade seringueira, matéria-prima da borracha, em declínio desde a I Guerra Mundial na Amazônia, já que era a única região - livre do conflito - que detinha condições de produzir látex nas proporções desejadas (O Segundo Ciclo da Borracha).

Em 1966 o governo militar muda seu nome para Banco da Amazônia S/A ou simplesmente BASA.[2] [3] É a principal instituição financeira federal de fomento com a missão de promover o desenvolvimento da região amazônica. Possui papel relevante tanto no apoio à pesquisa quanto no crédito de fomento, respondendo por mais de 60% do crédito de longo prazo da Região. Com 120 Agências distribuidas em 09 Estados diferentes, incluindo, Brasília e São Paulo, o Banco da Amazônia é focado na região Região Norte do Brasil e sua presença é vital e estratégica para o desenvolvimento econômico dos empreendimentos rurais e urbanos da região, especialmente, pelo fato da região representar 59% do território brasileiro. Especialista em fomento, 38% da sua Receita Bruta (2011) provém de Del Crede da administração de Fundos Constitucionais como: FDA (Fundo de Desenvolvimento da Amazônia), FAT (Fundo de Amparao do Trabalhador), FMM (Fundo da Marinha Mercante) e FNO Fundo Constitucional de Financiamento do Norte. Sobre este último, detém a exclusividade de administração e operação. Além destes fundos, o Banco opera com linhas do OGU (Orçamento Geral da União), RO (Recursos Obrigatórios) e com as linhas do BNDES, principalmente, nas regiões fora da Amazônia Legal. Sua sede está situada na Avenida Presidente Vargas, em Belém do Pará.[4]

Seu código de compensação é o 003.[5]

O Banco da Amazônia é associado à Federação Brasileira de Bancos (Febraban).[5]

As cidades onde o Banco da Amazônia está presente:

PARÁ TOCANTINS MARANHÃO RONDÔNIA AMAZONAS MATO GROSSO ACRE AMAPÁ RORAIMA OUTROS
Abaetetuba Araguaçú Açailândia Ariquemes Boca do Acre Barra do Garças Brasiléia Macapá Boa Vista São Paulo
Alenquer Araguaína Alto Parnaíba Buritis Carauari Cáceres Cruzeiro do Sul Santana Caracaraí Brasília
Altamira Araguatins Bacabal Cacoal Coari Cuiabá Feijó
Belém Colinas do Tocantins Balsas Guajará-Mirim Humaitá Guiratinga Rio Branco
Bragança Dianópolis Carolina Jaru Itacoatiara Lucas do Rio Verde Sena Madureira
Cametá Guaraí Caxias Ji-Paraná Manacapuru Rondonópolis Tarauacá
Canaã dos Carajás Gurupi Coroatá Pimenta Bueno Manaus Sinop Xapuri
Capanema Miracema do Norte Estreito Porto Velho Maués Tangará Av Ceará R. Branco
Castanhal Miranorte Imperatriz Rolim de Moura Parintins Várzea Grande Plácido de Castro
Conceição do Araguaia Natividade Pinheiro São Miguel do Guaporé
Dom Eliseu Palmas Santa Inês Vilhena
Eldorado dos Carajás Paraíso do Tocantins São Luis
Icoaraci Pedro Afonso Vitória do Mearim
Igarapé-Miri Porto Nacional
Itaituba Tocantinópolis
Jacundá Xambioá
Marabá
Monte Alegre
Novo Progresso
Novo Repartimento
Óbidos
Pacajá
Paragominas
Parauapebas
Redenção
Rondon do Pará
Rurópolis
Santarém
São Félix do Xingu
São Miguel do Guamá
Soure
Tailândia
Tomé-Açu
Tucumã
Tucuruí
Uruará
Xinguara
Nova Ipixuna
Placas

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Comunicado ao mercado: participação acionaria acessodata 11 de maio de 2014.
  2. Acesso em: 18 out. 2010.
  3. Acesso em: 18 out. 2010.
  4. [1]
  5. a b Segundo lista publicada no site da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Acesso em: 18 out. 2010.

Notas e referências