Bande à part

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bande à part
Bande à part (PT)
Banda à parte (BR)
 França
1964 • P&B, cor • 97 min 
Direção Jean-Luc Godard
Roteiro Jean-Luc Godard
Dolores Hitchens
Elenco Anna Karina
Danièle Girard
Louisa Colpeyn
Chantal Darget
Sami Frey
Claude Brasseur
Georges Staquet
Ernest Menzer
Jean-Claude Rémoleux
Género drama, policial
Idioma francês, inglês
Página no IMDb (em inglês)

Bande à part é um filme francês, pertencente à nouvelle vague, dirigido por Jean-Luc Godard em 1964. A história, que adapta a novela americana Fool's Gold, de Dolores Hitchens, é uma mescla de filme noir, comédia e drama. O próprio diretor a descreveu como "o encontro entre Alice e Franz Kafka".

Trama[editar | editar código-fonte]

Odile (Anna Karina) uma moça delicada e ingênua, seduzida por uma dupla de ladrões que frequentam sua aula de inglês. Ao saberem da fortuna da tia de Odile, tramam um plano para roubar seus bens. A peça chave do plano é fazer com que a moça se apaixone por um dos ladrões, para que ela mesma abra as portas da mansão e colabore no furto.

Cenas célebres[editar | editar código-fonte]

Diversas cenas nesse filme ganharam destaque: a corrida no Museu do Louvre, em que os personagens tentam estabelecer um record de menor tempo para percorrer todo o museu. Esse recorde é quebrado pelos personagens de Bernardo Bertolucci no filme The dreamers (2003). Em outro momento do filme, os personagens se encontram num bar barulhento e decidem fazer um minuto de silêncio (em realidade, 36 segundos), tempo em que não se escuta absolutamente nada no filme. Nesse mesmo bar, executam a famosa sequência de dança coreografada e sem música (cena que inspirou a Quentin Tarantino e Hal Hartley em seus filmes).

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.