Bar Hebraeus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Gregório Bar Hebraeus (Militene, 1226 - Maragheh, 30 de julho de 1286) foi um católico da Igreja Ortodoxa Síria no século XIII. É conhecido por suas obras que abordam filosofia, poesia, linguagem, história e teologia.[1] Nasceu como Abū'l-Faraj bin Hārūn al-Malaṭī[2] tendo possivelmente adicionado "Gregório" a seu nome em sua consagração como bispo. Ao longo de sua vida ele foi referido como Bar ʿEbrāyā (transliterado como Bar ʿEbroyo).[3] que deu origem ao latinizado Bar Hebraeus, "Filho do Hebraico".[4]

Sob os cuidados de seu pai começou os estudos de medicina e de muitos outros ramos do conhecimento que ele prosseguiu em Antioquia e Trípoli, nunca tendo abandonado em sua vida. Em 1246 foi consagrado bispo de Gubos pelo patriarca Ignátio II e no ano seguinte foi transferido para a Sé de Lacabene. Foi colocado na diocese de Alepo por Dionísio em 1252 e foi consagrado Primaz do Oriente por Ignátio III em 1264. Devido as inúmeras viagens realizadas em sua província acumulou imensa erudição tornando-se familiarizado com boa parte dos ramos seculares e religiosos; Bar Hebraeus vivenciou as invasões mongóis do Oriente Médio. Hebraeus faleceu em 1286 tendo sido sepultado no convento de Mar Mateus perto de Mosul.[4]

Escritos[editar | editar código-fonte]

Seu mais proeminente trabalho enciclopédico é seu Hewath Hekhmetha, "O Creme da Ciência" que detalha quase todos os ramos do conhecimento humano, compreendendo toda a disciplina aristotélica além de escritos árabes. Além desta outras enciclopédias como Teghrath Teghratha, "Comércio de Comércios (resumo do anterior), Kethabha dhe-Bhabhatha, "Livro das pupilas dos olhos (lógica e dialética) e Kethabha dhe-Sewadh Sophia, "Livro da Sabedoria e Expressão" (física e metafísica) são outras enciclopédias proeminentes produzidas por ele.[4]

No ramo bíblico seu trabalho mais célebre foi Aucar Raze, "Armazém de Segredos", um tratado com comentários críticos e doutrinários sobre a Bíblia. Nesta ressalta expõe trechos de autores anteriores a eles, o que foi importante para o processo de conservação dos mesmos. Hebraeus deixou um grande trabalho histórico intitulado Makhtbhanuth Zabhne, "Chronicon", onde elucida a história desde a criação até sua época; dividi-se em duas partes: Chronicon syriacum que narra a história civil e Chronicon ecclesiasticum que narra a história religiosa. No campo da teologia tem-se Menarath Qudhshe, "Lâmpada do Santuário" e Kethabha dhe-Zalge, "Livro de Raios", um resumo da primeira. Como asceta tem-se os tratados Kethabha dhe-Ithiqon, "Livros de Ética" e Kethabha dhe-Yauna, "Livro da Pomba", um guia ascético. Tratados sobre gramática ("Livro do Esplendor", "Livro da Faísca"), textos jurídicos (Kethabha dhe-Hudhaye, "Livro da Direção"), matemática, astronomia, cosmografia e medicina.[4]

Referências

  1. Parry 1897, p. 5
  2. Purton 2009, p. 51
  3. Maphryono Mor Gregorius Bar 'Ebroyo (1226-1286) (em inglês). Visitado em 29-09-2012.
  4. a b c d Bar Hebræus (em inglês). Visitado em 29-09-2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Parry, Melanie. Chambers Biographical Dictionary. [S.l.: s.n.], 1897. ISBN 0-550-16060-4
  • Purton, Peter. A History of the Early Medieval Siege, C.450-1200. [S.l.: s.n.], 2009. ISBN 978-1-84383-448-9