Barbados

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Barbados
Barbados
Bandeira de {{{nome_pt}}}
Brasão de {{{nome_pt}}}
Bandeira Brasão de armas
Lema: Pride and Industry
"Orgulho e Indústria"
Hino nacional: In Plenty and In Time of Need
Gentílico: barbadiano,
barbadense[1]

Localização de {{{nome_pt}}}

Capital Bridgetown
13° 10' 00" N 59° 32' 00" W
Cidade mais populosa Bridgetown
Língua oficial inglês
Governo Monarquia Constitucional
Democracia Parlamentarista
 - Rainha Isabel II do Reino Unido
 - Governador-geral Elliot Belgrave
 - Primeiro-ministro Freundel Stuart
Independência do Reino Unido 
 - Declarada 30 de novembro de 1966 
Área  
 - Total 431 km² (199.º)
 - Água (%) N/A
População  
 - Estimativa de 2005 279 254 hab. (180.º)
 - Densidade 647 hab./km² (15.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2006
 - Total US$ 4900 milhões (152.º)
 - Per capita US$ 17.610 (39.º)
IDH (2013) 0,775 (59.º) – elevado[2]
Moeda Dólar de Barbados (BBD)
Fuso horário (UTC-4)
Cód. Internet .bb
Cód. telef. +1-246

Barbados é um país insular soberano nas Pequenas Antilhas, na América Central, sendo o país mais oriental do Caribe. Possui 34 quilômetros de comprimento e 23 quilômetros de largura, cobrindo uma área de 432 km². Situa-se na região ocidental do Atlântico Norte, distante 100 quilômetros a leste das Ilhas de Barlavento e do Mar do Caribe.[3] Os países mais próximos da ilha são Trinidad e Tobago, estando a 400 quilômetros a sudoeste, e São Vicente e Granadinas, estando a 168 quilômetros a oeste. Barbados está fora da principal área de Cinturão de furacões.

A nação foi descoberta por navegadores espanhóis no final do século XV, entrando para o domínio da Coroa espanhola. Barbados é identificada pela primeira vez em um mapa espanhol de 1511.[4] Os portugueses passaram a visitar a ilha a partir de 1536, mas não a ocuparam. O primeiro navio inglês a deslocar-se para a região, o Olive Blossom, chegou à Barbados em 1624. Eles tomaram posse em nome do rei James I. Em 1627, os primeiros colonos permanentes chegaram da Inglaterra, tornando Barbados uma colônia britânica.[5]

Em 1966, Barbados tornou-se um estado independente e Reino da Comunidade de Nações, mantendo a rainha Isabel II como chefe de Estado.[6] O país tem uma população de 277 821 habitantes, a maioria de ascendência africana.[7] Apesar de ser classificada como uma ilha do Atlântico, Barbados é considerada uma parte do Caribe, sendo um importante destino turístico e uma das ilhas mais desenvolvidas da região, com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,776, considerado elevado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Em 2011, Barbados ficou em segundo lugar na América (superada apenas por Canadá) no nível de Transparência Internacional do Índice de Percepção de Corrupção.[8] A capital do país é Bridgetown, que é também sua maior cidade.

História[editar | editar código-fonte]

Descoberta pelos espanhóis em 1492, foi visitada pelos portugueses de 1536 até 1625. Nesta data foi reclamada pelos britânicos em nome de Jaime VI da Escócia e I de Inglaterra, que lhe iniciaram a colonização em 1627-1628.

Manteve-se como colónia britânica até 1966, ano de sua independência política. Membro da Comunidade Britânica, o país é governado por um primeiro-ministro apoiado pelo Senado e pela Assembleia.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Barbados é uma ilha relativamente plana, erguendo-se em vertentes de pequena inclinação até uma região central mais elevada, cujo ponto cimeiro é o monte Hillaby, com 336 m de altitude. Situa-se numa posição ligeiramente excêntrica no Oceano Atlântico, quando comparada com as restantes ilhas das Caraíbas. O clima é tropical, com uma estação das chuvas de Junho a Outubro. A cidade principal é Bridgetown, a capital da nação. Outras localidades importantes são Holetown e Speightstown.

Demografia[editar | editar código-fonte]

A população é de 276 607 habitantes, o que corresponde a uma densidade de 644,8 hab/km², uma das mais elevadas do mundo. As taxas de natalidade e de mortalidade são, em 2003, respectivamente, de 13,15%o e 9,02%o. A esperança média de vida atinge 77,3 anos. O valor do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,788, sendo o terceiro mais elevado de todo o continente americano, perdendo somente para os Estados Unidos e o Canadá.[2] Estima-se que em 2025 a população seja de 327 000 habitantes. Os negros compõem 90% da população, seguindo-se-lhes os asiáticos e os mestiços (6%), e os brancos (4%). A religião maioritária é a protestante (67%). A língua oficial é o inglês.

Cidades mais populosas[editar | editar código-fonte]

Política[editar | editar código-fonte]

Parlamento de Barbados, em Bridgetown.

Barbados é uma monarquia constitucional. A atual rainha de Barbados é Isabel II, representada por um governador-geral, atualmente Sir Clifford Husbands. O chefe de governo é o primeiro-ministro, atualmente Freundel Stuart, que substituiu David John Howard Thompson após a sua morte repentina em outubro de 2010.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

O país tem uma economia baseada no turismo, nas finanças (paraíso fiscal) e na exportação de açúcar e seus derivados (rum). Com excepção da cana-de-açúcar, os produtos cultivados são para consumo local.

O petróleo e o gás natural são produzidos em pequenas quantidades. O Governo incentivou o investimento na produção de medicamentos, de vestuário, de cerâmica, de vidro e de compostos electrónicos.

Os outros produtos existentes são o açúcar, o melaço, os cigarros, o papel e os têxteis. Os principais parceiros comerciais são os Estados Unidos, o Reino Unido, a Jamaica, Venezuela e Trindade e Tobago. A moeda de Barbados é o dólar barbadiano.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A celebridade international Rihanna é nativa de Barbados.

A influência da cultura britânica em Barbados é mais visível do que em outras ilhas nas Índias Ocidentais. Um bom exemplo disso é o esporte nacional da ilha: cricket. Barbados tem vários grandes jogadores de críquete, incluindo Garfield Sobers e Frank Worrell.

Os cidadãos são chamados oficialmente de barbadianos. O termo "Bajan" (pronuncia-Bay-jun) pode ter vindo de uma pronúncia localizada da palavra de Barbados, que às vezes pode soar mais como "Bar-bajan".

O maior evento cultural carnavalesco que ocorre na ilha é o crop over. Como em muitos outros países do Caribe e da América Latina, o evento é importante para muitas pessoas na ilha, assim como os milhares de turistas que migram para lá para participar dos eventos anuais. O festival inclui competições musicais e outras atividades tradicionais, e conta com gêneros musicais como o calipso e soca. O homem e a mulher que colherem o maior número de canas são coroados o rei e a rainha da cultura.[9] A colheita começa no início de julho e termina com o desfile trajado, realizado na primeira segunda-feira de agosto.

Na música, o país possui uma artista de renome mundial, vencedora do Grammy de melhor cantora: Rihanna. A cantora é um dos artistas mais conhecidos de Barbados. Em 2009, ela foi nomeada como Embaixadora Honorário da Juventude e da Cultura de Barbados, pelo então primeiro-ministro, David Thompson. O cantor e compositor Shontelle, a banda cover Drive, e o músico Rupee também são naturais de Barbados.

Feriados[editar | editar código-fonte]

Feriados
Data Nome em português Nome local Observações
1 de janeiro Confraternização Universal New Year's Day
21 de janeiro Dia de Errol Barrow Errol Barrow Day
20 de fevereiro Dia da Rihanna Rihanna's Day
9 de abril Sexta-feira, Paixão de Cristo Good Friday Data móvel
12 de abril Páscoa Easter Monday Festa móvel
28 de abril Dia dos Heróis Nacionais National Heroes Day
1 de maio Dia do Trabalho Labour Day
31 de maio Pentecostes “Whit Monday” Festa móvel
2 de agosto Carnaval barbadiano “Kadooment Day”
3 de agosto Dia da Emancipação Emancipation Day
30 de novembro Dia da Independência Independence Day
25 de dezembro Natal Christmas Day
27 de dezembro Confraternização de Natal Boxing Day

Referências e notas

  1. Portal da Língua Portuguesa - Dicionário de Gentílicos e Topónimos
  2. a b Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD): Human Development Report 2014 (em inglês) (24 de julho de 2014). Visitado em 2 de agosto de 2014.
  3. Caribbean Islands - Chapter 4: The Windward Islands and Barbados (em inglês) Biblioteca do Congresso dos EUA. Visitado em 23 de abril de 2014.
  4. Sauer, Carl Ortwin. The Early Spanish Main (em inglês) ISBN 0-520-01415-4 Universidade da Califórnia. Visitado em 23 de abril de 2014.
  5. Barbados: History (em inglês) The Commonwealth. Visitado em 23 de abril de 2014.
  6. History and present government - Barbados (em inglês) Royal.gov. Visitado em 23 de abril de 2014.
  7. GeoHive – Barbados population (em inglês) Geohive. Visitado em 23 de abril de 2014.
  8. surveys and indices 2011 (em inglês) Transparência Internacional. Visitado em 23 de abril de 2014.
  9. Crop Over Festival 2camels.com. Visitado em 30 July 2009.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Barbados
Bandeira de Barbados Barbados
Bandeira • Brasão • Hino • Cultura • Demografia • Economia • Geografia • História • Portal • Subdivisões • Imagens