Barbara Ehrenreich

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Barbara Ehrenreich

Barbara Ehrenreich (Butte (Montana), 26 de Agosto de 1941) é uma proeminente escritora norte-americana. Além de como escritora, Barbara Ehrenreich destaca-se também como colunista, feminista, socialista e activista política.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ehrenreich nasceu Barbara Alexander, filha de Isabelle Oxley e Ben Alexander. O seu pai foi um mineiro de cobre que conseguiu estudade na Universidade Carengie Mellon e que acabou por se tornar executtivo da Gillette. Ehrenreich estudou física no Reed College, terminando em 1963. A sua tese intitulava-se "Oscilações electroquímicas do anodo de silicone. Em 1986 doutorou-se em biologia celular na Universidade Rockefeller.

Seguindo o seu interesse na mudança social, Ehrenreich optou pelo activismo político em vez de seguir uma carreira cientifica. Conheceu o seu primeiro marido, John Ehrenreich, durante uma campanha anti-guerra em Nova Iorque.

Em 1970 nasceu a sua primeira filha, Rosa. O seu segundo filho, Benjamin, nasceu em 1972. Barabra divorciou-se em 1963 casou com Gary Stevenson, um empregado de armazém que se tornou num líder sindical. Divorciou-se deste no início dos anos 90.

De 1991 a 1997, Ehrenreich foi uma colunista regular da revista TIME. Actualmente conteibui reguarmente para o The Progressive.

Ehrenreich escreveu também para o New York Times, o Mother Jones, o Atlantic Monthly, Ms, New Republic, Z Magazine, In These Times, Salon.com e outras publicações. Em 1998 e 2000 ensinou escrita de ensaios na escola de jornalismo da Universidade da California em Berkeley.

Em 2004, Ehrenreich escreveu durante um mês uma coluna como convidada no New York Times enquanto o colunista regular, Thomas Friedman, estava de licença e foi convidada a ficar como colunista. Recusou, dizendo que preferia oucupar o seu tempo em actividades de longo prazo, tal como a escrita de livros.

Foi-lhe diagnosticado câncer da mama pouco depois do lançamento do seu livro Salário de Pobreza: Como (não) sobreviver na América. No seu artigo "Bem-vindo à terra do câncer", publicado na edição de Novembro da Harper's Magazine, descreve a sua experiência com a doença e debate os problemas da indústria médica com a questão do câncer da mama.

Em 2006, Ehrenreich fundou a United Professional, uma organização em cujo websitese descreve como "uma organização sem fins lucrativos e sem afiliações de membros de trabalhadores dos serviços, não importa a profissão ou a situação profissional. Dirigimo-nos a todos os trabalhadores desempregados, sub-empregados e ansiosamente empregados - pessoas que acreditaram que o sonho americano de que educação e esforço podem levar a uma vida segura de classe média, mas que encontram as suas vidas descoordenadas por razões fora do seu controlo."

Actualmente, Ehrenreich é uma líder honorária dos Socialistas Democráticos da América. Faz também parte dos quadros directores da NORML.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.