Barcarena (Pará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Município de Barcarena
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 30 de dezembro
Fundação 10 de Maio de 1897[1]
Gentílico barcarenense[1]
Prefeito(a) Antônio Carlos Vilaça (PSC)
(2013–2016)
Localização
Localização de Barcarena
Localização de Barcarena no Pará
Barcarena está localizado em: Brasil
Barcarena
Localização de Barcarena no Brasil
01° 30' 21" S 48° 37' 33" O01° 30' 21" S 48° 37' 33" O
Unidade federativa  Pará
Mesorregião Metropolitana de Belém IBGE/2008 [2]
Microrregião Belém IBGE/2008 [2]
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 1 310,325 km² [3]
População 109 975 hab. IBGE/2013[4]
Densidade 83,93 hab./km²
Altitude 15 m
Clima Equatorial super úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,662 médio PNUD/2010[5]
PIB R$ 3 860 431,269 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 42 937,09 IBGE/2008[6]
Página oficial

Barcarena é um município brasileiro do estado do Pará. Localiza-se a uma latitude 01º30'21" sul e a uma longitude 48º37'33" oeste, estando a uma altitude de 15 metros em relação do nível do mar. Segundo o IBGE, sua população está estimada em 92.567 habitantes (estimativa do ano 2009).Segundo algumas informações muito lacunares o nome "Barcarena" se originou da presenca, no assentamento populacional, de uma grande embarcação que havia sido batizada como "Arena" e a qual os habitantes do lugar chamavam de barca. A junção das duas palavras fez com que a localidade ficasse conhecida como Barcarena. Segundo levantamentos mais recentes, o nome deste município se originou da política pombalina na região amazônica.

Economia[editar | editar código-fonte]

A cidade é um importante pólo industrial, onde é feita a industrialização, beneficiamento e exportação de caulim, alumina, alumínio e cabos para transmissão de energia elétrica. A economia tem base tradicional na Agricultura, mas também avança com o turismo e com as indústrias instaladas na cidade, gerando crescimento econômico para o município e para o Estado do Pará. É em Barcarena que está localizado o maior porto do Estado do Pará: o Porto de Vila do Conde, onde a Santos Brasil administra o terminal de contêineres "Tecon" Vila do Conde.[7]

Barcarena possui uma variedade muito grande quando o assunto é hospedagem. São empreendimentos que vão do mais simples aos mais requintados que a realidade local oferece. Mas o grande diferencial é a Casa da Árvore em plena Praia do Caripi, com o conforto necessário para que a visita se torne uma excelente e inesquecivel lembrança.

Quanto na questão de artesanato, Barcarena tem inúmeros trabalhos feitos com sementes e cipós, talas de gurumã e jupati, piaçaba, nó de taperebazeiro e bambu. também existem belissimos trabalhos manuais e que as mulheres têm importância fundamental e criam vestidos, bolsas, sandálias e outros acessórios que compõem um estilo regional bastante variado.

Barcarena possui um dos pólos de cestaria do Pará que está localizado na Ilha Trambioca, na comunidade de Utinga-Açú, onde são produzidas peças para a Casa do Artesão em Belém e para outros destinos dentro e fora do Estado do Pará. Os atrativos naturais existentes em Barcarena podem ser contemplados por meio de suas belas praias de água doce que atraem muitos turistas o ano todo. As mais frequentadas são as praias de Conde, Caripi e Itupanema, que estão localizadas no Distrito do Murucupi (Vila dos Cabanos) e possuem suas similaridades, proporcionando lazer e descanso para quem as visitam. As ilhas apresentam um maior número de praias que vão desde as mais movimentadas às mais tranquilas, sendo que, somente na Ilha Trambioca existem cerca de nove praias com destaque para Sirituba, Cuipiranga, Guajarino, Farol, Boa Morte e outras que recentemente foram descobertas e que possuem características mais rústicas e desertas, propícias para circuitos de natureza, piqueniques e retiros espirituais.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Além das praias, é muito comum a frequência de moradores em balneários naturais de águas cristalinas e refrescantes, que devem fazer parte do roteiro de visitantes que desejam estar em contato com um ambiente mais simples e recatado, porém muito divertido.

Dos Aruãs aos Cabanos

Antes de ser a Barcarena de hoje, o município foi primeiramente habitado pelos índios Aruãs. Depois por volta de 1709, foram os jesuítas que se instalaram ali, fundando a chamada "Fazenda Gibiriê" (ou Gebriê). As terras foram doadas aos padres portugueses por Francisco Rodrigo Pimenta. Lá, eles construíram uma igreja que ainda hoje serve de matriz para católicos da região.

Referências

  1. a b Barcarena (PDF). IBGE. Página visitada em 27/04/2011.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Estimativa Populacional 2013. Estimativa Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2013). Página visitada em 26 de dezembro de 2013.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 21 de setembro de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  7. Tecon Vila do Conde opera duas novas rotas fluviais. Guia Marítimo. Página visitada em 30 de janeiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.