Barra de São João

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Capela de São João Batista de 1619

Barra de São João é o segundo distrito do município de Casimiro de Abreu, região da baixada litorânea ao norte do estado do Rio de Janeiro, no Brasil.

Características urbanas[editar | editar código-fonte]

O núcleo urbano de Barra de São João (distrito do município de Casimiro de Abreu) é a região litoranea de Município e encontra-se ao lado do município de Rio das Ostras. A cidade tem sua área limitada, mais ao sul, pelo Rio São João, divisa com o município de Cabo Frio, e mais ao norte pelo posto de policiamento rodoviário - Divisa com o Município de Rio das Ostras. A cidade é banhada pelo mar (conhecido como Praião) em toda sua extensão. Ao contrário de outras cidades da região, conta com rede de esgoto e água encanada há algumas décadas. Suas ruas são largas e simétricas estendendo-se ao longo da RJ-106, por pouco mais de 4 km. O distrito tem forte conurbação (crescimento em direção a outra cidade) com Rio das Ostras. A aglomeração urbana, após a ponte sobre o rio São João (em direção a Cabo Frio), conhecido como distrito de Tamoios, pertence ao município de Cabo Frio e teve sua ocupação desenvolvida principalmente após a década de 80. A cidade conta ainda com uma região rural, junto ao morro São João, estendendo-se até a localidade conhecida como Palmital. A ligação com a sede do município é feita pela Rodovia Serramar, com acesso por Rio das Ostras. Todavia, o perfil da localidade difere bastante das demais da região, por ter preservado sua característica rústica e bucólica, de vila de pescadores, mantendo, inclusive, boa parte da arquitetura da época da fundação da do núcleo urbano.

História recente[editar | editar código-fonte]

Um dos mais antigos núcleos urbanos da região, graças a sua localização junto a foz do Rio São João, já foi sede do atual Município de Casimiro de Abreu, quando era então entreposto comercial. Com a mudança econômica dos portos de desembarque junto ao mar, causada entre outros motivos pelo fim da escravidão, para as fazendas junto as trilhas para a região serrana, a cidade perdeu importância econômica. No entanto, diferentemente da vizinha Rio das Ostras, preservou suas características de fundação, mantendo até hoje uma atmosfera rústica e bucólica, também decorrente do turismo cultural, já que é o local de nascimento e sepultamento de seu filho mais ilustre, o poeta Casimiro de Abreu. A economia mantida basicamente pela pesca e pelo turismo também auxilia na manutenção de tais características.

Localidades da Barra de São João[editar | editar código-fonte]

Divide-se basicamente entre a vila, que compreende desde vários loteamentos praianos até bairros nativos, como comunidades ribeirinhas (Arroz, Vila Nova) até bairros de pescadores. Possui ainda dois grandes aglomerados urbanos recentes: o primeiro na divisa com Rio das Ostras, a localidade de Palmital; e o segundo, desmembrado de um loteamento praiano, porém com terras menos valorizadas, em razão de estarem localizadas além da Rodovia Amaral Peixoto, mais distantes da praia, portanto, conhecido como Peixe Dourado II que fica próximo ao hospital regional de Barra de São João.

Ponto turístico[editar | editar código-fonte]

Entre os destaques, podemos citar o amplo casario colonial, concentrado numa avenida junto ao Rio São João conhecida como "Beira-Rio", onde encontra-se a casa onde possivelmente nasceu o poeta Casimiro de Abreu. Datada da primeira metade do século XIX, constituía-se num depósito de mercadorias (entreposto) pertencente ao pai de Casimiro, o qual comerciava com as praças de Leripe (Rio das Ostras) e Capivary (Silva Jardim), entre outras localidades. A casa servia de acomodações à família, com quartos de alcova para melhor se protegerem dos fortes ventos da região, de um lado, e acomodações para os escravos, do outro.

Após ser vendida e revendida em leilão, foi reformada e doada à Prefeitura, quando chegou a servir como sede do governo municipal. Novamente reformada, foi aberta ao público na década de 1970 como Museu do Poeta. Depois da mudança da sede para a atual cidade de Casimiro de Abreu, o imóvel passou a administração do Governo do Estado do Rio de Janeiro, encontrando-se atualmente em reforma.

Outro ponto muito visitado é a Prainha, uma pequena faixa de areia entre a foz do rio São João e o mar, que abriga, no alto de uma pedra, a secular Capela de São João Batista, uma das construções mais antigas da região, que possui anexa um cemitério onde se localiza o túmulo do poeta Casimiro de Abreu. Local muito frequentado por famílias, que procuram a tranquilidade das águas do rio em contraste com o mar agitado, no entanto, a aparência calma das águas esconde o sério perigo do banhista ser arrastado pela força do rio. O local também é procurado por muitos romeiros e apreciadores da cultura histórica. É considerado um belíssimo mirante para se assistir o por-do-sol, que emoldura as ruínas da antiga ponte sobre o rio.

Foi um dos cenários do filme Inocência, de 1983, dirigido por Walter Lima Jr. e baseado no livro de mesmo nome do Visconde de Taunay. Estrelado por Fernanda Torres (como Inocência) e Edson Celulari (como Cirino). Vencedor do Festival de Brasília como "Melhor Diretor" e "Melhor Ator Coadjuvante" (Sebastião Vasconcelos).

Um passeio pelo rio São João é também uma bela pedida, podendo ser navegado por mais de 30 km até a represa de Juturnaíba.

Para os que curtem uma praia mais tranquila, o praião (como é conhecida a praia de Barra de São João) é uma opção.

A ilha de trinta réis, a aproximadamente 800 metros da costa, tem água claras, boa para pesca e banho.

O pôr do sol, visto da pedra do telegrafo (lado voltado para a foz do rio São João), é um programa imperdível para o fim de tarde, momento em que os pescadores estão saindo com seus barcos para o mar para mais uma noite de trabalho.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Rio de Janeiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.