Basílica de Guadalupe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde março de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Basílica de Guadalupe
Basílica de Nuestra Señora de Guadalupe
Nova Basílica de Guadalupe
Estilo dominante Moderno
Arquiteto Pedro Ramírez Vázquez
Construção 1974-1976
Início da construção 1974
Inauguração 12 de outubro de 1976
Diocese Cidade do México
Arcebispo Norberto Rivera
Geografia
País  México
Cidade Cidade do México

O Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe é uma basílica menor da Igreja Católica e santuário nacional do México.[1] Dedicado à Virgem de Guadalupe, está localizado no Monte do Tepeyac, na Cidade do México. É considerado o principal templo da Igreja Católica no continente americano e um dos mais visitados do mundo, recebendo cerca de 20 milhões de fiéis anualmente.[2]

O santuário é composto de várias igrejas e capelas, dentre elas as duas basílicas, uma do século XVI, e outra de 1974, cujo projeto é do arquiteto mexicano Pedro Ramírez Vásquez.[1] Esta nova basílica foi construída em razão do afundamento da Antiga devido ao terreno movediço, pois a Cidade do México foi construída em cima de um lago aterrado, o Lago de Texcoco.[3]

Santuário[editar | editar código-fonte]

A Basílica da Nossa Senhora de Guadalupe é o segundo santuário católico mais visitado no mundo, perdendo somente para a Basílica de São Pedro, considerada a "Igreja-mãe" de toda a Cristandade. A Basílica de Guadalupe recebe mais de 20 milhões de visitantes ao longo do ano e inumeráveis peregrinações de todo o México, tendo inclusive, superado a Basílica de São Pedro em número de visitantes no ano de 2006.

A Basílica de Guadalupe, ao ser declarada santuário nacional do México e basílica menor pelo Vaticano, tornou-se um dos primeiros santuários marianos da América Latina. O principal acesso à Basílica é por “La Villa de Guadalupe”, conhecida popularmente como “La Villita”, e fica no norte da cidade do México.[1]

Basílica Velha[editar | editar código-fonte]

Velha Basílica de Guadalupe
Templo Expiatorio a Cristo Rey
Antiga Basílica de Guadalupe
Início da construção 1531 (483 anos)
Inauguração 1709
Geografia
País  México
Cidade Cidade do México

A Antiga Basílica de Guadalupe, conhecida oficialmente como "Templo Expiatorio a Cristo Rey", é o primeiro templo católico dedicado à Virgem de Guadalupe. Começou a ser construída em 1531 e foi concluída em 1709 foi projetado por Pedro de Arrieta. O interior é decorado em mármore com duas estátuas de Juan Diego e do Frei Juan de Zumárraga. Foi consagrada basílica em 1904 pelo Papa Pio X. As vestes de Juan Diego ficaram abrigadas na Igreja até 1974.

Em 1921 uma bomba foi implantada no altar da Basílica por um ativista anticlérico que conseguiu explodir parte do templo causando enormes prejuízos à Arquidiocese da Cidade do México.

Na década de 70, foi descoberto o afundamento do terreno e um novo templo teve de ser planejado. Já em 1979, o Instituto Nacional de Antropologia e Historia (INAH), em parceria com a Igreja Católica mexicana, iniciou um trabalho arqueológico para tentar restaurar o chão da igreja e impedir a perda de artefatos importantes. O INAH já havia trabalhado com a Catedral Metropolitana da Cidade do México e com a Torre de Pisa.

Embora ainda não tenham sido finalizados os trabalhos na Basílica, a primeira etapa da restauração já foi concluída com sucesso em 2000. A basílica foi reaberta em 2001 e celebra o Santíssimo Sacramento todos os dias.

Basílica Nova[editar | editar código-fonte]

A moderna basílica foi construída na década de 1970, projetada pelo arquiteto Pedro Ramírez Vázquez (que também projetou o Estádio Azteca). Foi idealizada em estilo moderno e viabiliza permitir uma vista total do altar para os que estão no interior. A estrutura é suportada por 350 pilares e pode abrigar 10 mil pessoas no interior. No entanto, em celebrações especiais são colocados assentos adicionais e a capacidade chega a até 40 mil lugares.[1]

A Basílica Nova abriga ainda, em seu interior, a tilma de Juan Diego Cuauhtlatoatzin com a estampa de Nossa Senhora de Guadalupe.

Museu da Basílica de Guadalupe[editar | editar código-fonte]

O museu, inaugurado em 1941, abriga uma importante coleção de 1 500 peças, incluindo pinturas, esculturas, joias, ouro e outros. Possui obras dos mais importantes pintores da Nova Espanha.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Antigua Basílica de Nuestra Señora de Guadalupe - GCatholic
  2. Mexico Tourism Board. World's Most-Visited Sacred Sites. Página visitada em 17 de março de 2013.
  3. Historia Del Lago De Texcoco (2009). Página visitada em 10 de março de 2013.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Basílica de Guadalupe
Ícone de esboço Este(a) artigo sobre capela, igreja ou catedral é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.