Bastão de Auer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde abril de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Detalhe de medula óssea com leucemia mielóide aguda, destacando-se os bastões de Auer em vários blastos

Bastões de Auer ou bastonetes de Auer são compostos lisossomais que podem ser vistos nos blastos da leucemia mielóide aguda. Eles são agrupamentos de material azulado em forma de agulhas alongadas e contêm peroxidase, enzimas lisossomais e grandes inclusões cristalinas.

Os bastões de Auer são em geral encontrados nos blastos mielóides das leucemias agudas dos tipos M1, M2, M3 e M4. Sua presença ou não é usada para distinguir entre as duas formas de síndrome pré-leucêmica: a "Anemia Refratária com Blastos em Excesso 1" (RAEB-1, da sigla em inglês), que não apresenta bastões de Auer; e a RAEB-2, em que eles são encontrados.

Estas inclusões citoplasmáticas foram assim denominadas em homenagem ao fisiologista estadunidense John Auer (1875-1948).

Ícone de esboço Este artigo sobre Patologia (doença) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.