Batalha de Antioquia (145 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Agosto de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A Batalha de Antioquia foi uma batalha entre forças do Egito Ptolemaico e a Síria Selêucida.

Precedentes[editar | editar código-fonte]

Dois dos mapas mostram o Império Selêucida alguns anos antes e alguns anos depois da batalha. O terceiro mapa mostra a conquista romana

Demétrio I Sóter, ao se tornar rei da Síria, tentou expandir seus domínios, mas seus vizinhos, Ptolemeu VI Filometor, do Egito, Atalo, de Pérgamo e Ariarates, da Capadócia, arrumaram um jovem, Alexandre Balas, como se fosse um herdeiro real.[1] Ptolemeu VI Filometor casou sua filha Cleópatra Thea com Alexandre Balas.[2]

Alexandre Balas derrotou Demétrio I Soter, que morreu em batalha.[1] Demétrio havia confiado seus dois filhos a um amigo em Cnido, com uma fortuna, e o mais velho, Demétrio II Nicator, com o apoio de cretenses, atacou Alexandre Balas.[3]

Ptolemeu VI transferiu Cleópatra de Alexandre para Demétrio II Nicator.[4] filho de Demétrio I Sóter.[5]

A batalha[editar | editar código-fonte]

A batalha ocorreu no quarto ano da 158a olimpíada.[5]

Demétrio II Nicator sobreviveu, mas Ptolemeu VI Filometor e Alexandre Balas morreram.[5]

Consequências[editar | editar código-fonte]

Demétrio continuou a guerra, e derrotou Antíoco VI; no ano seguinte ele juntou as tropas na Babilônia para atacar Arsaces.[5] No ano seguinte, o terceiro ano da 160a olimpíada, ele foi capturado por Arsaces.[5]

No Egito, o novo faraó foi Ptolemeu VII Neos Filopator, filho de Ptolemeu VI Filometor e da irmã deste, Cleópatra II [6] O trono do Egito foi oferecido a Ptolemeu VIII Evérgeta II, irmão de Ptolemeu VI Filometor e de Cleópatra II, que reinava na Cirenaica.[6] Assim que chegou em Alexandria, Ptolemeu VIII assassinou os seguidores do jovem príncipe.[6] Este casaria com Cleópatra e Ptolemeu VII Neos Filopator seria morto durante a festa de casamento.[6]

Referências

  1. a b Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, 35.1 [em linha]
  2. Bar Hebraeus, Cronografia, Livro VII, O primeiro reino dos gregos, Aqui começa a sétima série, que passa dos reis dos persas até os gregos pagãos
  3. Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, 35.2 [em linha]
  4. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XXXII, 9c
  5. a b c d e Eusébio de Cesareia, Crônica, 96, Os reis da Ásia Menor após a morte de Alexandre, o Grande
  6. a b c d Justino, Epítome das Histórias de Pompeius Trogus, 38.8 [em linha]