Batalha de Borodino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Borodino
Campanha da Rússia (1812)
Battle of Borodino.jpg
Data 7 de Setembro de 1812
Local Rússia
Resultado Vitória francesa;
Combatentes
França França Coat of Arms of Russian Empire.svg Império Russo
Comandantes
França Napoleão Bonaparte
França Michel Ney
França Joachim Murat
Flag of the Napoleonic Kingdom of Italy.svg Eugênio de Beauharnais
Coat of Arms of Russian Empire.svg Mikhail Kutuzov
Coat of Arms of Russian Empire.svg Pyotr Bagration
Coat of Arms of Russian Empire.svg Mikhail Bogdanovich
Forças
130.000 - 190.000 soldados
587 canhões
120.000 - 160.000
624 canhões
Baixas
~30.000 – 55.000 mortos, feridos ou capturados 39.000 - 45.000 mortos, feridos ou capturados

A Batalha de Borodino (em russo: Бородинское сражение, Borodinskoe srazhenie; em francês: Bataille de la Moskova), foi uma batalha que teve lugar a 7 de Setembro de 1812,[nota 1] foi a maior e mais sangrenta batalha, em apenas um dia, no decurso da Campanha da Rússia e em todo o período das Guerras Napoleónicas, envolvendo mais de 250 000 homens e com mais de 70 000 baixas. O exército francês, Grande Armée, sob o comando geral de Napoleão Bonaparte, atacou o Exército Imperial Russo, liderado pelo general Mikhail Kutuzov, perto da vila de Borodino, a oeste de da cidade de Mojaisk, capturando as principais posições do campo-de-batalha, mas sendo malsucedido ao não conseguir destruir o exército russo, apesar no número elevado de baixas. Cerca de um terço das forças de Napoleão foram mortas ou feridas; do lado russo, as perdas também foram elevadas, mas estas puderam ser substituídas pelas milícias que se encontravam junto do exército russo e por forças de reserva.

A batalha terminou com o afastamento das forças russas. O estado de exaustão das tropas francesas e a falta de informações sobre a situação dos soldados russos, levou Napoleão a decidir por manter os seus homens no campo-de-batalha em vez de efectuar uma perseguição ao inimigo como já tinha ocorrido em anteriores campanhas que ele tinha liderado no passado.[1] Contudo, toda a Guarda Imperial de Napoleão encontrava-se disponível mas, ao recusar a sua mobilização, o Imperador francês perdeu uma oportunidade de destruir o exército russo.[2] A Batalha de Borodino foi um ponto de viragem na campanha pois representou a última acção ofensiva de Napoleão na Rússia. Ao retirar-se da batalha, o exército russo conservou a sua força de combate, forçando Napoleão a sair do país.

Os relatórios da batalha diferem significativamente consoante o lado combatente. Mesmo dentro dos próprios exércitos, a descrição dos factos pelos oficiais superiores são diferentes, ocasionando relatórios contraditórios e discussões sobre o papel individual de cada participante.

Contexto[editar | editar código-fonte]

Em 1812, a aliança franco-russa é quebrada pelo czar Alexandre, que rompeu o bloqueio continental contra os ingleses. Como represália, Napoleão I resolveu invadir a Rússia, mas com expressivas baixas durante o percurso, traçou um plano para conduzir seu exército até Moscou, onde poderia reabastecer seus soldados com suprimentos e exaltar novamente os ânimos para combater as numerosas tropas formadas pelo czar que estavam espalhadas em centros de treinamento no interior da Rússia. Porém, o general Mikhail Illarionovich Golenishchev-Kutuzov estava empenhado em impedir os planos de Napoleão, e posicionou suas tropas nas redondezas da capital para conter o avanço francês.

O confronto[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 1812, o general Kutuzov estacionou seus então 155 mil homens e 640 canhões na aldeia de Borodino, a menos de 150 quilômetros de Moscou. No dia 7 de setembro, às 6 horas da manhã, Napoleão deu início ao ataque com seus 135 mil homens e 587 canhões. A batalha durou até depois do pôr-do-sol. Foram cerca de 16 horas de confronto ininterrupto, transformando Borodino na maior batalha de um dia das Guerras Napoleônicas. Apesar de a vitória ter sido francesa, o exército de Napoleão amargou 58 mil mortos, incluindo 48 marechais. Os russos perderam quase metade de seu exército: 66 mil baixas, entre elas a do general Bagration. A demora na chegada do reforço e o massacre do dia anterior fizeram Kutuzov optar pela retirada.

Notas

  1. 26 de Agosto de acordo como Calendário juliano então utilizado na Rússia

Referências

  1. Riehn, p. 253.
  2. Riehn, pp. 255–256.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Chandler, David G.. The Campaigns of Napoleon. New York: Simon & Schuster, 1995. ISBN 978-0-02-523660-8
  • Chandler, David G.. Dictionary of the Napoleonic Wars. Ware, UK: Wordsworth Editions, 1999. ISBN 978-1-84022-203-6
  • Chandler, David; Nafziger, George F.. In: David. Napoleon's Invasion of Russia. Novato CA: Presidio Press, 1988. ISBN 978-0-89141-661-6
  • Duffy, Christopher. Borodino and the War of 1812. London: Cassell & Company, 1972. ISBN 978-0-304-35278-4
  • Dyer, Gwynne. War. [S.l.]: Crown Pub, 1988. ISBN 978-0-517-55615-3
  • Haythornthwaite, Philip. Borodino 1812; Napoleon's great gamble. [S.l.]: Osprey Publishing; Campaign Series #246, 2012. ISBN 978-1-84908-696-7
  • Hourtoulle, F.G.. Borodino: The Moskova. The Battle for the Redoubts. Paris: Histoire & Collections, 2000. ISBN 978-2-908182-96-5
  • Mikaberidze, Alexander. The Battle of Borodino: Napoleon Against Kutuzov. London: Pen & Sword, 2007. ISBN 978-1-84884-404-9
  • Markham, David. Napoleon for Dummies. New York: John Wiley & Sons, 2005. ISBN 978-0-7645-9798-5
  • (francês) Pigeard, Alain. Dictionnaire des batailles de Napoléon. [S.l.]: Tallandier, Bibliothèque Napoléonienne, 2004. ISBN 2-84734-073-4
  • (russo) Razin, Eugene A.. История военного искусства (History of Military Art). Moscow: Воениздат, 1966.
  • Riehn, Richard K.. 1812: Napoleon's Russian Campaign. New York: John Wiley & Sons, 2001. ISBN 978-0-471-54302-2
  • Smith, Digby. The Greenhill Napoleonic Wars Data Book. London: Greenhill Books, 1998. ISBN 978-1-85367-276-7
  • Smith, Digby. Charge! Great Cavalry Charges of the Napoleonic Wars. London: Greenhill Books, 2003. ISBN 978-1-85367-541-6
  • (francês) Sokolov, Oleg. L'armée de Napoléon. [S.l.]: Éditions Commios, 2005. ISBN 978-2-9518364-1-9
  • (russo) Troitsky, Nikolai. Фельдмаршал Кутузов: Мифы и Факты (Field Marshal Kutuzov: Myths and Facts). Moscow: Центрполиграф, 2003.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O campos da batalha no ano de 2010

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikilivros Livros e manuais no Wikilivros
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias