Batalha de Bzura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Batalha de Bzura

Poland2.jpg

Segunda Guerra Mundial
Data 9 de Setembro de 1939 - 19 de Setembro de 1939
Local Às margens do Rio Bzura em Kutno, Polônia
Desfecho Vitória alemã
Combatentes
Flag of Poland.svg Polônia Flag of German Reich (1935–1945).svg Alemanha
Comandantes
Tadeusz Kutrzeba
Wladyslaw Bortnowski
Gerd Von Rundstedt
Johannes Blaskowitz
Günther von Kluge
Forças
8 Divisões de Infantaria
4 Brigadas de Cavalaria
5 Divisões Motorizadas

225 000
12 Divisões de Infantaria

425 000
Baixas
18 000 – 20 000 mortos
32 000 feridos
170 000 capturados
8 000 mortos
4 000 capturados
150 veículos destruídos

A Batalha de Bzura, também conhecida como Batalha do Rio Bzura e Batalha de Kutno, foi um contra-ataque polônes ocorrido durante a invasão da Polônia, na Segunda Guerra Mundial. As forças polonesas atacaram o flanco esquerdo do 8º Exército, que se dirigia à capital polonesa, Varsóvia. Embora as forças polonesas envolvidas tenham sido todas derrotadas, o ataque atrasou o avanço alemão e deu tempo para o exército polonês organizar parte de suas defesas.

A Batalha[editar | editar código-fonte]

No dia 9 de Setembro, o Exército Poznan Polonês fez um contra-ataque da área sul do Rio Bzura, cujo alvo era as Divisões alemãs que avançavam entre as cidades de Łęczyca e Łowicz. A principal força polonesa ficou concentrada na área de Stryków. No lado direito da ofensiva havia a Brigada de Cavalaria Podolska, e no lado esquerdo, na área de Glowno, havia a Brigada de Cavalaria Wielkopolska. Devido à vantagem em números e à surpresa alemã, os poloneses conseguiram causar consideráveis baixas entre seus inimigos, matando, aproximadamente, 1500 soldados alemães. As forças alemãs recuaram aproximadamente 20 km ao sul, e os poloneses recuperaram muitas cidades, incluindo Leczyca e Piatek. O 8° Exército alemão sofreu muitas baixas. No dia 10 de Setembro, a 17ª Divisão de Infantaria Polonesa encontrou a 17ª Divisão de Infantaria alemã em Malachowicze, onde houve uma luta sangrenta. Um dia depois, o Exército Poznan continuou avançando com as forças da 25ª Divisão e com a Brigada de Cavalaria Podolska, encontrando a 221ª Divisão de Infantaria alemã no sul de Łęczyca. Enquanto isso, as sobras do Exército Pomorze Polonês chegaram à área Wloclawek, Brześć Kujawski e Koło, mantendo as forças alemãs em alerta.

Subestimando inicialmente o avanço polonês, os alemães decidiram redirecionar suas principais forças, no dia 11 de Setembro, para o 10° Exército alemão e para o 4° Exército, e as reservas para o Grupo de Exército Sul, como também aviões para a 4ª Frota Aérea, para Bzura. No dia seguinte, os poloneses alcançaram a linha Stryków — Ozorków. Nesse mesmo dia, o General Tadeusz Kutrzeba foi informado que as unidades do Exército Łódź tinham se retirado da fortaleza de Modlin. Ao ouvir isso, Kutrzeba decidiu parar a ofensiva e tentar alcançar Sochaczew e a Floresta de Kampinos. Na manhã do dia 14 de Setembro, o grupo do General Wladyslaw Bortnowski começou a ação. A 26ª e a 16ª Divisões de Infantaria atravessaram o Rio Bzura na área de Łowicz e a 4ª Divisão de Infantaria alcançou a estrada que ligava Łowicz com Głowno. Depois, o General Bortnowski foi informado que a 4ª Divisão Panzer alemã estava se retirando dos arredores de Varsóvia. Temendo que a Divisão Panzer entrasse em ação contra suas forças no mesmo dia, ele ordenou que a 26ª Divisão de Infantaria se retirasse.

Cavalaria polonesa participa da batalha.

Nos dias 15 e 16 de Setembro, o Exército Pomorze assumiu posições defensivas no norte de Bzura. O grupo do General Stanislaw Grzmot-Skotnicki estava localizado entre Kutno e Żychlin, as unidades do General Michał Karaszewicz-Tokarzewski estavam na área de Gąbin, e as divisões do Exército Poznań - pelo Bzura, perto de Sochaczew, estavam prontos para o deslocamento para Varsóvia. Para cercar e destruir as forças polonesas, os alemães usaram a maioria do 10° Exército, incluindo 10 blindados, 3 blindados leves e uma divisão motorizada, com o apoio da Luftwaffe. A 1ª Divisão Panzer alemã, depois de atravessar o Bzura entre Sochaczew e Brochów e destruindo a 25ª Divisão de Infantaria polonesa, conseguindo capturar Ruszki, mas seu avanço foi parado.

Durante a noite do dia 17 de Setembro, as principais forças do Exército Poznań atacaram as forças alemãs para começar o cerco alemão entre Witkowice e Sochaczew. A 15ª Divisão de Infantaria e a Brigada de Cavalaria Podolska atravessaram novamente o Bzura em Witkowice. Em Brochów a 25ª e a 17ª Divisões de Infantaria atravessaram o Rio Bzura. A 14ª Divisão de Infantaria estava concentrada em Łaziska. Ao mesmo tempo, o Exército Pomorze marchava para as vilas de Osmolin, Kierozia e Osiek.

De manhã, os alemães começaram a se dirigir para o sul dos dois riachos do Bzura, apoiado por mais de 300 aeronaves e artilharia pesada. Os morteiros alemães levavam vantagem nas suas posições no alto do riacho direito do Vístula, atacando as posições polonesas o dia inteiro. Após dois dias de uma dura luta, e tendo usado todas as suas munições e ração, as tentativas de fuga se tornaram impossíveis.

Somente poucas unidades polonesas conseguiram sair do cerco. Esses grupos entraram em Varsóvia e em Modlin, atravessando a Floresta de Kampinos. Entre eles estavam os generais Kutrzeba, Knoll-Kowacki e Tokarzewski, duas brigadas de cavalaria e a 15ª e 25ª Divisões de Infantaria. O resto, junto com o General Bortnowski, capitulou de 18 a 22 de Setembro e foram capturados.

Resultado[editar | editar código-fonte]

Artilharia antiaerea polaca destruída pela Luftwaffe.

Depois da batalha, as divisões alemãs foram para Varsóvia e Modlin, cercando suas fortalezas. Embora as forças polonesas tenham sido derrotadas, sua importância estratégica tem que ser enfatizada. Devido a esta batalha, o avanço alemão foi atrasado por alguns dias, que habilitou as unidades polonesas em Varsóvia e em outros lugares para organizar as falhas na defesa.

Ver também[editar | editar código-fonte]