Batalha de Curuzu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Curuzu
Guerra do Paraguai
Battle of Curuzu by Vitor Meireles.jpg
Data a 3 de setembro de 1866
Local Curuzu, Paraguai
Desfecho Vitória brasileira
Combatentes
Paraguai Tríplice Aliança (Brasil, Argentina e Uruguai)
Comandantes
  Flag of Empire of Brazil (1870-1889).svg Manuel Marques de Sousa,, Conde de Porto Alegre
Forças
2.830 soldados e 13 Canhões 8.385 soldados, 6 encouraçados e 7 Canhoneiras
Baixas
832 mortos e 1.300 feridos 213 mortos e 628 feridos totalizando 941 baixas e 1 encouraçado afundado

A Batalha de Curuzu aconteceu entre e 3 de setembro de 1866, no contexto da Guerra do Paraguai.

Após a primeira batalha de Tuiuti, vencida pelos aliados em 24 de Maio de 1866, o comandante Mitre aproveitou as reservas de dez mil homens trazidos pelo barão de Porto Alegre e decidiu atacar as baterias do forte de Curuzu e do Forte de Curupaiti, que guarneciam a direita da posição de Humaitá, às margens do rio Paraguai.

Encouraçados no Rio Paraná, liderados pelo Barroso.

No dia 1º de setembro, as 7:30 da manhã a esquadra brasileira, com os encouraçados Bahia, Barroso, Lima Barros, Rio de Janeiro e Tamandaré na vanguarda, frente ao forte de Curuzu, mais a canhoeira Magé, frente à ilha do Palmar, junto com os navios de madeira Greenhalgh, Beberibe, Belmonte, Araguari, Ipiranga, Parnaíba e Ivaí. O tiroteio entre o forte e os navios durou 4 horas. Enquanto isso os navios de madeira desembarcavam 800 soldados no chaco, para destruírem a base de onde os paraguaios disparavam brulotes e torpedos contra os navios brasileiros. Com o cair da noite o bombardeiro foi suspenso.

No dia seguinte, as 14 horas, o couraçado Rio de Janeiro foi antigido por torpedos na proa e popa, indo a pique, junto com seu comandante Américo Brasílio Silvado e mais de 50 combatentes. Uma hora depois o Barão de Porto Alegre, havia já desembarcado e reunido mais de 8000 homens, entre infantes, cavalarianos, artilheiros e pontoneiros na Guardia del Palmar. Apesar de ter encontrado resistência, conseguiu repelir o inimigo e preparar para o dia seguinte o ataque terrestre.

Em 3 de setembro, o forte, comandado pelo coronel Jimenez, foi atacado. Os defensores contavam com a vantagem das terras pantanosas e espeinheiros ao redor do forte. O forte após preparação pela artilharia, foi conquistado, os paraguaios perseguidos até a proximidade de Curupaiti.

Referências

Vista N/S do interior do Forte de Curuzú, em 20 de Setembro de 1866. Cándido López, óleo sobre tela, 0,485 m. x 0,152 m, Museo Nacional de Bellas Artes, Buenos Aires. Argentina.
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Batalha de Curuzu


Guerra do Paraguai
Mato GrossoLagunaRio Grande do SulCorrientesRiachueloJataíPehuajóPasso da PátriaEstero Bellaco1ª TuiutiCuruzuBoqueirãoCurupaitiHumaitáPiquissiriItororóAvaíCampo Grande (Acosta Ñu)Cerro Corá
[editar]