Batalha de Formigny

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Formigny
Guerra dos Cem Anos
Vigiles du roi Charles VII 32.jpg
A Batalha de Formigny, por Martial d'Auvergne.
Data 15 de Abril de 1450
Local Vilarejo de Formigny, França
Resultado Vitória Francesa
Combatentes
England Arms 1340.svg Reino da Inglaterra Blason pays fr FranceAncien.svg Reino da França
COA fr BRE.svg Ducado da Bretanha
Comandantes
Thomas Kyriell Carlos I
Arthur de Richemont
Forças
4 000 – 7 000 combatentes 5 000 combatentes
1 200 bretões
Baixas
3 500 mortos e 1 000 capturados 500 mortos

A Batalha de Formigny foi uma batalha ocorrida na França no dia 15 de abril de 1450.[1]

A batalha[editar | editar código-fonte]

Na França, 3 mil arqueiros ingleses estavam preparados para reeditar, agora num vilarejo da Normandia as glórias de Crécy e Agincourt. Mesmo com a fraca liderança do rei Henrique VI (filho único de Henrique V), a Inglaterra acreditava ser capaz de dominar as forças francesas, que se organizaram durante os 5 anos da Trégua de Tours, estabelecida em 1444. Acampado perto do vilarejo de Formigny, situado a menos de 10 km do Canal da Mancha, o exército inglês se posicionou em formação defensiva, protegido pelo terreno com elevações e por estacas. A estratégia deu certo: as duas primeiras ondas de ataques do exército francês, composto por 3 mil cavaleiros e homens de infantaria, foram repelidas com facilidade.

Mas um lance virou os rumos da batalha. Por ordem do comandante francês, o conde de Clermont, dois canhões leves passaram a disparar contra as linhas de arqueiros, provocando o caos no inimigo. Ainda assim, Thomas Kyriell, o comandante das tropas inglesas, reagiu com um ataque que tomou dos franceses as duas armas. Só que o movimento deixou o seu exército vulnerável a uma segunda ofensiva, lançada pelos 1,2 mil cavaleiros de Arthur de Richemont, um aliado bretão dos franceses.

Mais do que causar baixas, o papel fundamental da artilharia em Formigny foi permitir que Richemont, guiado pelo barulho dos disparos, localizasse os aliados. Atacados simultaneamente pelo sul e pelo oeste, os ingleses não tinham soldados suficientes para resistir ao combate homem a homem. A tática de empregar grandes quantidades de arqueiros falhou, evidenciando a importância do uso dos canhões, mesmo que apenas dois, no resultado final, dos 3,8 mil soldados ingleses, 2,3 mil morreram e cerca de 900 foram capturados - entre eles, o comandante Kyriell. Os 4,2 mil franceses envolvidos no combate sofreram apenas 200 baixas.

O massacre em Formigny deixou Londres sem um exército capaz de fazer frente aos franceses. Depois disso, as cidades da Normandia caíram uma a uma, deixando aos ingleses apenas a Aquitânia, a sudoeste, e a cidade fortificada de Calais, ao norte.

Referências

  1. Roberts, William J.. France: a reference guide from the Renaissance to the present. [S.l.]: Infobase Publishing, 2004. p. 206. ISBN 978-0-8160-4473-3