Batalha de Mohács (1687)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Mohács (1687)
Parte das Guerras Otomanos-Habsburgos
BattleMohacs.jpg
Antigo esquema da Batalha de Mohács (1687)
Data 12 de agosto de 1687
Local Cerca de 25 quilômetros a sudoeste de Mohács, às margens do rio Danúbio, atual Hungria
Resultado Decisiva vitória austríaca.
Combatentes
Flag of the Habsburg Monarchy.svg Monarquia Habsburgo
Flag of the Kingdom of Croatia.svg Croácia
Hungary flag 1867.png Hungria
Flag of Bavaria (lozengy).svg Baviera
Flag of the Ottoman Empire (1453-1517).svg Império Otomano
Comandantes
Carlos V da Lorena
Maximiliano II da Baviera
Süleyman Paşa
Forças
60.000[1] 40.000 escravos mamelucos, 40.000 mercenários dos Bálcãs e 800 turcos otomanos
Baixas
15.000-18.000 mortos ou feridos ~40.000 mortos ou feridos

A Segunda Batalha de Mohács ocorreu entre os turcos otomanos do sultão Mehmed IV e as forças austríacas do imperador Leopoldo I comandadas por Carlos V da Lorena.

Batalha[editar | editar código-fonte]

O comandante otomano Süleyman Paşa planejou uma estratégia; os mamelucos estariam posicionados para atacar pelo flanco esquerdo, os mercenários dos Bálcãs se movimentariam do flanco direito para a retaguarda e os bem equipados turcos otomanos atacariam a parte central do exército Habsburgo, na intenção de dividi-lo.

Os turcos otomanos (Süleyman Paşa juntou-se à tropa) atacaram pelo meio e esmagaram a parte interna do exército Habsburgo (5.000-8.000 mortos durante esse ataque), enquanto que os mamelucos e os mercenários dos Bálcãs avançaram pelos flancos. Mas o exército otomano, mesmo estando em maior número, não conseguiu manter as posições conquistadas. Os mamelucos perderam a sua posição e sofreram enormes perdas, ao mesmo tempo em que os mercenários dos Bálcãs entravam em pânico. Todos os turcos otomanos foram mortos, inclusive Süleyman Paşa, uma vez que com a fuga dos mamelucos e dos mercenários, eles ficaram numericamente em desvantagem. Os Habsburgos saíram vitoriosos, com 15.000-18.000 mortos ou feridos.

Consequências[editar | editar código-fonte]

A batalha foi uma derrota esmagadora para os otomanos, destruindo suas ambições de uma maior expansão de seus domínios pela Europa. Após a batalha, o exército turco se revoltou e o sultão Mehmed IV foi deposto. Durante um ano, o Império Otomano esteve paralisado, e as forças de Leopoldo I se prepararam para capturar Belgrado e penetrar mais profundamente nos Bálcãs.

Referências

  1. Chandler: A Guide to the Battlefields of Europe, p.251. All statistics taken from Chandler.
  • Chandler, David. A Guide to the Battlefields of Europe. Wordsworth Editions Ltd, (1998). ISBN 1-85326-694-9
  • Penguin, 1961, Second Edition 1987 (incluindo Prefácio da Segunda Edição e um novo capítulo 'From E.H. Carr's Files: Notes towards a Second Edition of What is History?')