Batalha de Plochnik

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Pločnik
Guerras sérvio-otomanas
Central balkans 1373 1395.png
Região central dos Balcãs entre 1373 e 1395. A batalha ocorreu perto de Prokuplje.
Data 1386 (ou 13871 )
Local Pločnik (no atual território da Sérvia)
Resultado Vitória sérvia1
Primeiro derrota séria do exército otomano nos Balcãs1
Invasão otomana temporariamente interrompida na Sérvia até a Batalha do Kosovo
Combatentes
Grb Lazarevic.png Principado da Sérvia
Grb Kotromanica.jpg Reino da Bósnia
Império Otomano Império Otomano
Comandantes
Grb Lazarevic.pngMiloš Obilić
Grb Lazarevic.png Lázaro Hrebeljanović
Império Otomano Sahin Bei1
Forças
30 0001 18 800
Baixas
Baixas Muito pesadas, pelo menos 13 0001
Pločnik está localizado em: Sérvia
Pločnik
Localização de Pločnik no que é hoje a Sérvia

A Batalha de Pločnik foi travada em 13862 (ou, de acordo com outras fontes, em 13873 ), na vila de Pločnik, perto de Prokuplje no sudeste da moderna Sérvia, entre as forças sérvias do knez Lázaro Hrebeljanović e o exército otomano do sultão Murad I.

Prelúdio[editar | editar código-fonte]

A Batalha de Pločnik foi o segundo confronto entre otomanos e as forças de Lázaro - a primeira foi em 1381, na Batalha de Dubravnica -, mas esta seria a última antes do desastre da Batalha do Kosovo em 1389.

Depois de Dubravnica, o sultão Murad I foi distraído por uma campanha contra os caramânidas e os derrotou perto de Konya. Os soldados sérvios, alistados entre os diversos príncipes sérvios vassalos, lutaram pelos otomanos. Por causa dos sucessivos saques às propriedades civis na Sérvia contra as ordens do sultão, alguns soldados foram executados e entre eles estavam alguns destes sérvios, o que provocou uma antipatia contra os otomanos no exército de Lázaro, atraindo o apoio de muitos príncipes. Na época, um deles, em Shkodër, escreveu para o sultão oferecendo sua lealdade em troca de ajuda militar. Murad I, reconhecendo a oportunidade, ordenou que "(Kula) Sahin Bei" (que não deve ser confundido com Lala Şahin Paşa) que preparasse suas tropas.

Batalha[editar | editar código-fonte]

O exército sérvio emergiu vitorioso da batalha, mas os detalhes são escassos. Sahin Bei invadiu a Sérvia com 20 000 akinjis quando soube que os príncipes sérvios tramavam contra ele, avançando até Pločnik, mas não conseguiu encontrar o exército inimigo e passou a duvidar de sua existência. Durante a campanha, muitos de seus soldados (aproximadamente 18 000), impacientes, se separaram para saquear a região, desobedecendo as ordens do sultão. Sahin ficou com apenas 2 000 soldados1 . Os sérvios, por outro lado, sabiam, através de espiões, exatamente o que acontecia no acampamento otomano.

Foi então que o exército sérvio-bósnio atacou os 18 000 akinjis que se ocupavam em pilhar a população; despreparados, indisciplinados e pegos de surpresa, eles nada conseguiram fazer para reagir sem o seu general. Apenas 5 000 deles conseguiram sair vivos do combate1 . Miloš Obilić, que seria no futuro um herói no folclore sérvio por seus atos na Batalha de Kosovo, foi ferido por uma flecha neste combate.

Consequências[editar | editar código-fonte]

Esta vitória aumentou muito o prestígio dos sérvios e de seus príncipes. Foi também a primeira vez que Murad considerou abandonar a campanha nos Balcãs. Porém, ele decidiu fazer uma última poderosa tentativa de atingir o coração da revitalizada Sérvia: Kosovo.

Referências

  1. a b c d e f g h Kemal,Namık -Osmanlı Tarihi Cilt:1 (History of Ottoman Empire-Volume I) Page:200,219,250(Turkish)
  2. Velikonja, Mitja. Religious Separation and Political Intolerance in Bosnia-Herzegovina, (Texas A&M University Press, 2003), 48. ISBN 1-58544-226-7
  3. Evans, Arthur. Through Bosnia and the Herzegóvina on Foot During the Insurrection, (Longmans, Green and Co, 1877), lxiv.