Batalha de Tessalônica (1040)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Tessalônica
Guerras bizantino-búlgaras
Data 1040
Local Tessalônica, Grécia
Resultado Vitória búlgara
Combatentes
Primeiro Império Búlgaro Império Búlgaro Império Bizantino Império Bizantino
Comandantes
Primeiro Império Búlgaro Pedro II Delian Império Bizantino Miguel IV, o Paflagônio
Forças
Desconhecida Desconhecida
Baixas
Desconhecidas Desconhecidas
Tessalônica está localizado em: Grécia
Tessalônica
Localização de Tessalônica no que é hoje a Grécia

A Batalha de Tessalônica (português brasileiro) ou Batalha de Salonica (português europeu) (em búlgaro: Битка при Солун) foi travada em 1040 perto da cidade de Tessalônica, na moderna Grécia, entre as forças rebeldes búlgaras e o exército bizantino, terminando com a vitória dos primeiros.

Origem do conflito[editar | editar código-fonte]

Em 1018, os bizantinos conquistaram a Bulgária depois de mais de meio século de disputas. Em 1040, Pedro Delian alegou ser um descendente do imperador Samuel e liderou uma revolta contra a ocupação bizantina, iniciando em Belgrado, onde foi proclamado imperador com o nome de "Pedro II", seguindo o canonizado Pedro I (r. 927-969). Na mesma época, os búlgaros do Thema de Dirráquio, no território onde hoje está a Albânia, também se revoltaram sob a liderança do oficial bizantino e desertor Tihomir. Os dois líderes se encontraram e, para evitar uma divisão das forças rebeldes, Pedro foi escolhido como o único comandante e Tihomir foi morto.

A batalha[editar | editar código-fonte]

Depois que os dois exércitos se reuniram, Pedro II marchou para leste em direção a Tessalônica, onde estava, na ocasião, o imperador bizantino Miguel IV, o Paflagônio. Os bizantinos foram derrotados e Miguel teve que fugir apressadamente deixando para trás sua tenda pessoal e seu tesouro.

Consequências[editar | editar código-fonte]

Os búlgaros continuaram em vantagem e tomaram o importante porto de Dirráquio, no Adriático. Outro exército invadiu a Tessália e tomou sua porção norte, o que provocou sérios problemas para o governo na capital bizantina, Constantinopla, que teve que agir rapidamente para impedir que o Império Búlgaro fosse restaurado.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]