Batalha do Monte Badon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Batalha de Monte Badon foi uma batalha entre britânicos e anglo-saxões que ocorreu entre os séculos V e VI. Apesar de que a batalha foi um evento importante na época da invasão anglo-saxã da Grã-Bretanha, sua localização e data exata não são conhecidos com precisão atualmente.

A batalha é famosa porque na obra Historia Brittonum, escrita no século IX, Artur é citado como o chefe vencedor pelo lado dos britânicos. As lendas ao redor deste Artur deram origem mais tarde à vasta literatura sobre o rei Artur e seus cavaleiros. Porém, a participação de um Artur histórico nesse conflito não é uma certeza, porque Gildas, que escreveu seu De Excidio Britanniae pouco tempo depois da batalha, não o menciona.

Data e lugar[editar | editar código-fonte]

A fonte mais antiga sobre a batalha é o De Excidio do escritor britânico Gildas, escrito por volta de 545. Gildas oferece uma datação da batalha que, devido à forma em que foi redatada, é difícil de interpretar. Beda, que usou Gildas como fonte na sua Historia ecclesiastica gentis Anglorum (História eclesiástica do povo inglês), interpretou a passagem como significando que a batalha ocorreu cerca de 493. Nos Annales Cambriae (Anais de Gales), uma lista medieval de eventos ocorridos das Ilhas Britânicas, a data da batalha é fixada entre 516 e 518. Outra fonte antiga, a Historia Brittonum (séc. IX), não dá nenhum detalhe sobre a época do conflito. Atualmente, diferentes autores estabelecem datas entre 485 e 520 para a batalha.

Também a localização de Badon ou Baddon é incerta, apesar de vários lugares terem sido propostos, todos eles localizados atualmente na Inglaterra e no País de Gales. Godofredo de Monmouth, na sua Historia Regum Britanniae escrita em c. 1139, identifica Badon com a cidade inglesa de Bath, mas considera-se que essa hipótese é improvável porque à época a cidade não era conhecida por esse nome pelos galeses.

Outros lugares possíveis são antigas fortificações britânicas chamadas atualmente Badbury, escritas Baddan-byrig em inglês antigo. Destes, os pontos mais possíveis localizam-se em Dorset e Oxfordshire, considerando o provável curso das batalhas durante a invasão da Britânia pelos anglo-saxões.

Referências a Artur[editar | editar código-fonte]

A Batalha do Monte Badon é particularmente importante porque algumas fontes a associam a Artur, o célebre rei das lendas da Idade Média. A Historia Brittonum (séc. IX) possui um capítulo em que são listadas uma série de doze batalhas em que Artur saiu vitorioso, e a do Monte Badon é a última em ser mencionada. Na Historia Artur não é chamado de rei e sim de líder militar (dux bellorum) dos bretões, afirmando-se que ele matou, sozinho, 960 inimigos em Monte Badon. Já nos Annales Cambriae (finais do século X), a Batalha do Monte Badon é mencionada como aquela em que "Artur carregou a Cruz de Nosso Senhor sobre os ombros e os bretões foram vitoriosos". Essas tradições antigas sobre a batalha influenciaram autores posteriores responsáveis pela difusão das lendas arturianas, como Godofredo de Monmouth, um cronista do século XII.

Porém, as menções a Artur relacionadas à Batalha do Monte Badon não são totalmente conclusivas, porque o autor mais antigo a citar a batalha, Gildas (séc. VI), não menciona nenhuma pessoa em relação a ela, apesar de relatar que essa batalha foi "a vitória final para nosso país, dada a nossa época pela vontade de Deus".

Segunda batalha de Badon[editar | editar código-fonte]

Além de uma Batalha do Monte Badon em 516/518, os Annales Cambriae também mencionam uma segunda batalha com o mesmo nome (Bellum Badonis secundo), datada de 665. Desta batalha, provavelmente travada no mesmo local da primeira, nada mais se sabe.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Badonicus mons na Celtic culture: a historical encyclopedia (editor John Thomas Koch). ABC-CLIO, 2006. ISBN 1851094407 [1]

Ver também[editar | editar código-fonte]