Batalha do Monte Saint-Quentin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha do Monte Saint-Quentin
Parte da(o) Frente Ocidental da Primeira Guerra Mundial
MountStQuentinByArthurStreeton.jpg
Pintura do Mount St Quentin por Arthur Streeton (1918).
Data 31 de Agosto a 3 de Setembro de 1918
Local Monte Saint-Quentin, Péronne, Picardie, França
Desfecho Vitória australiana
Combatentes
Austrália Austrália Império Alemão Império Alemão
Principais líderes
Austrália John Monash Império Alemão Max von Boehn
Vítimas
20% das forças em combate foram registadas como baixas. [1]

A Batalha do Monte Saint-Quentin foi uma batalha da Frente Ocidental ocorrida durante a Primeira Guerra Mundial. Como parte da contra-ofensiva Aliada na Frente Ocidental no final de 1918, o Corpo Australiano atravessou o rio Somme na noite de 31 de Agosto, e quebrou as linhas alemãs no Monte Saint-Quentin e Péronne. O comandante do 4.º Exército britânico, general Henry Rawlinson, descreveu o avanço australiano de 31 de Agosto - 4 de Setembro, como a melhor conquista alcançada na guerra.[2] Durante a batalha, as tropas australianas atacaram, cercaram e controlaram o Monte Saint-Quentin, um ponto-chave da defensiva alemã na linha do Somme.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Os Aliados estavam atrás dos alemães, e o grande obstáculo para atravessarem o rio Somme era o Monte Saint-Quentin que, situado numa curva do rio, dominava toda a posição. O monte tinha apenas 100 m de altura mas era um ponto-chave da defesa alemã da linha do Somme, e o última posição forte alemã. Ficava virado para o rio Somme a 1,5 km a norte de Péronne. A sua localização fazia dele um ponto ideal para observação e, em termos estratégicos, era uma zona de defesa das aproximações por norte e oeste à cidade.[3]

As forças australianas tinham pela frente o LI Corpo alemão, parte do 2º Exército, liderado pelo general Max von Boehn. De acordo com o historiador oficial australiano, Charles Bean, "os arquivos alemães que o LI Corpo tinha antecipado a ofensiva... As divisões de linha receberam ordens para aumentar a sua profundidade e as divisões de contra-ataque para estarem prontas."[4] Bean afirma que o LI Corpo controlava a 5ª Divisão Real Bávara, a 1ª Divisão de Reserva alemã e a 119ª Divisão de Infantaria alemã. O 94ª Regimento de Infantaria (unidade do IV Corpo de Reserva alemão) também estava envolvido na batalha.

Batalha[editar | editar código-fonte]

Captura do Monte Saint Quentin pintado por Fred Leist (1920).

A ofensiva foi planeada pelo general John Monash; Monash planeou um assalto frontal de alto-risco que previa que a 2ª Divisão australiana atravessasse uma série de pântanos para atacar o monte. O plano fracassou quando as tropas de assalto não conseguiram atravessar os pântanos. Após este revês inicial, Monash mobilizou as suas divisões naquela que foi a única batalha em que se pode movimentar sem qualquer baixa sofrida pelos australianos na Frente Ocidental.[5]

Soldados da 2ª Divisão atravessaram a margem norte do rio Somme na tarde de 30 de Agosto. Às cinco horas da manhã de 31 de Agosto de 1918, apoiados pela artilharia, dois batalhões australianos subiram o Monte Saint-Quentin. A rendição alemã foi quase imediata e os australianos continuaram para a principal linha de trincheiras alemã. Entretanto, na retaguarda, outros soldados australianos atravessaram o Somme por uma ponte que os engenheiros repararam. As forças australianas não conseguiram manter o controlo do Monte Sait-Quentin e as reservas alemãs reconquistaram o cume. Porém, os australianos ficaram na mais abaixo do cume do monte e, no dia seguinte, recapturaram o monte. Nesse dia, 1 de Setembro de 1918, as forças australianas entraram em Péronne e tomaram grande parte da cidade. No dia seguinte, ficou totalmente nas mãos dos australianos. Em três dias, as forças australianas sofreram 3 000 baixas mas conseguiram forçar uma retirada geral dos alemães para leste, de volta à Linha Hindenburg.[6]

Rescaldo[editar | editar código-fonte]

Revendo a batalha, Monash relatou que o sucesso se deveu à bravura dos homens; à rapidez com que o plano foi cumprido; e à ousadia da tentativa. No seu livro Australian Victories in France, Monash homenageia o comandante da 2ª Divisão, major-general Charles Rosenthal, que tinha a responsabilidade das operações. Monash, e o seu pessoal, tinham sido responsáveis pela concepção do projecto e pelo bom cumprimento dos planos.[7]

A vitória Aliada na Batalha do Monte Saint-Quentin provocou um forte abalo a cinco divisões alemãs, incluindo a 2ª Divisão de Guardas de Infantaria, uma unidade de elite. Como a posição era muito importante para controlo do terreno a leste do Monte Saint-Quentin, garantia que os alemães não seriam capazes de bloquear os Aliados a oeste da Linha Hindenburg (a mesma posição de onde os alemães lançaram a ofensiva na Primavera). Foram feitos 2 600 prisioneiros, e foram causadas 3 000.[1]

Os seguintes militares receberam a Cruz Vitória:

  • Albert David Lowerson, 21º Batalhão australiano, natural de Myrtleford, Vitória
  • Robert MacTier, 23º Batalhão australiano, natural de Tatura, Vitória
  • Edgar Thomas Towner, 2º Batalhão de Metralhadoras,de Blackall, Queensland

Todos eles faziam parte da 2ª Divisão australiana.

Notas

Referências

  1. a b Mont St Quentin. Western Front. www.diggerhistory.info. Arquivado do original em 30 September 2007. Página visitada em 2007-08-31.
  2. Mont Saint Quentin and Péronne. Australian Victories: 1918 Australians in France. Australian War Memorial. Arquivado do original em 7 de Agosto de 2007. Página visitada em 2007-08-31.
  3. The Battle for Mont St Quentin: 31 August 1918 – 3 September 1918. Penrith City Council Library Service, Penrith City Council (2005). Arquivado do original em 8 de Setembro de 2007. Página visitada em 2007-08-31.
  4. C. E. W. Bean, 1942, Official History of Australia in the War of 1914–1918 - Volume VI – The Australian Imperial Force in France during the Allied Offensive, 1918, Sydney, Angus and Robertson, pp916–7.
  5. Fidge, AC. 2003. Sir John Monash – An effective and competent commander?. Australian Defence College, Geddes Papers
  6. Mont St Quentin – Péronne 31 August – 2 September 1918. Australians on the Western Front 1914–1918. Australian Government: Department of Veterans' Affairs together with Board of Studies NSW (12 de Fevereiro de 2008). Arquivado do original em 25 de Julho de 2008. Página visitada em 18 de Agosto de 2008.
  7. Serle, Percival (1949). "Monash, John". Dictionary of Australian Biography. Sydney: Angus e Robertson.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Batalha do Monte Saint-Quentin
Ícone de esboço Este artigo sobre batalhas (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.