Beatriz Guido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Beatriz Guido

Beatriz Guido (Rosário, 13 de dezembro de 1924Madri, 4 de março de 1988) foi uma escritora e roteirista argentina.

Sua obra — fortemente marcada pela fascinação com a Igreja Católica — se foca na análise dramática da realidade sócio-política argentina, na introspecção psicológica de personagens oprimidos e em certos questionamentos das repressões sexuais feitas aos jovens de diferentes classes sociais.

Ao lado de Silvina Bullrich e Marta Lynch, Beatriz Guido foi uma das três romancistas argentinas mais lidas de sua época.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha do arquiteto Ángel Guido, o renomado criador do Monumento Histórico Nacional a la Bandera, e da atriz uruguaia Berta Eirin, ela estudou na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Buenos Aires.

Guido escreveu seu primeiro romance, La casa del ángel, em 1954. Por causa de seu franco sentimento anti-peronista, ela foi tachada de "escritora direitista" e "aristocrata falsa" pelo governo de Juan Perón. Em 1959, Beatriz Guidou se casou com o diretor de cinema e roteirista Leopoldo Torre Nilsson. Eles passaram a trabalhar juntos criando roteiros.

Em 1984, a Fundação Konex de Buenos Aires entregou-lhe o Diploma ao Mérito em romance. Naquele mesmo ano, com a volta da democracia, ela foi apontada ao cargo diplomático de cultural attaché da embaixada argentina na Espanha. Faleceu vítima de um ataque cardíaco quatro anos mais tarde, aos sessenta e três anos de idade.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • 1954: La casa del ángel;
  • 1956: La caída;
  • 1958: Fin de fiesta;
  • 1961: La mano en la trampa;
  • 1964: El incendio y las vísperas;
  • 1970: Escándalos y soledades;
  • 1973: Los insomnes;
  • 1973: Una madre;
  • 1976: Piedra libre;
  • 1979: La invitación;
  • 1982: Apasionados;
  • 1982: Soledad y el incendiario;
  • 1987: Rojo sobre rojo;

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um(a) escritor(a), poeta ou poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.