Bedlam in Paradise

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bedlam In Paradise
O paraíso não é para patetas (BR)
 Estados Unidos
1955 • pb • 16 min 
Direção Jules White
Roteiro Zion Myers
Felix Adler
Elenco Moe Howard
Larry Fine
Shemp Howard
Philip Van Zandt
Sylvia Lewis
Vernon Dent
Victor Travers
Symona Boniface
Género Comédia
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Bedlam in Paradise (br.: O paraíso não é para patetas) é um filme de curta metragem estadunidense de 1955, dirigido por Jules White. É o 162º de um total de 190 filmes da série com os Três Patetas produzida pela Columbia Pictures entre 1934 e 1959.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Shemp morre na cama e vai para o céu, onde encontra o administrador do lugar chamado Tio Mortimer (Moe). Shemp é avisado que não se comportou bem enquanto esteve vivo e que por isso o Diabo (Philip Van Zandt) quer a sua alma. Mortimer oferece a Shemp uma chance de se redimir, deixando-o voltar à Terra como um fantasma invisível para vigiar Moe e Larry. O Diabo insiste e tenta convencer Shemp a aceitar o Inferno, mostrando a ele a incendiária dançarina Hellen Blazes (Sylvia Lewis). Shemp resiste e pega o trem para a Terra, sem antes se chocar contra uma nuvem de chuva e ficar todo molhado.

Na Terra, um advogado trapaceiro (Vernon Dent) tenta ficar com a herança de Shemp (140 dólares "guardados" numa meia) mas o Pateta consegue ajudar Moe e Larry a retomarem o dinheiro e, a custo de algumas pancadas, dividirem-no igualmente como ele queria. Pouco tempo depois, o "Senhor Heller" (o Diabo disfarçado) dá a Moe e Larry algumas ideias para trapaças como uma caneta cuja tinta é creme de leite e os dois tentam enganar um casal de financistas oferecendo-lhes o invento. Shemp sabota o invento e todos saem cobertos de creme de leite. Nesse momento Shemp acorda e percebe que estava sonhando. Quando ele conta aos dois amigos sobre o invento, Moe lhe joga creme de leite no rosto e lhe dá uma caneta. Shemp então começa a escrever uma carta ao Senhor Mortimer.

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Bedlam in Paradise é um remake de Heavenly Daze, com reutilização de muitas cenas do original. As novas filmagens ocorreram em 9 de julho de 1954.[1] Coincidentemente, o musical Carousel que era uma grande atração da Broadway na época das filmagens de Heavenly Daze, estava sendo adaptado para o cinema quando Bedlam in Paradise encontrava-se em produção.
  • Uma gag do filme era uma caneta atingir a testa de Larry. O objeto seria ligado por um fio e acertaria um pequeno buraco na pasta de creme de leite colocada na fronte do comediante. Mas, devido a um erro do departamento de efeitos especiais, a ponta da caneta atingiu a testa de Larry com muita força e lhe machucou. Quando as câmaras pararam a filmagem, um furioso Moe Howard foi ao diretor Jules White reclamando sobre a promessa de que Larry não seria ferido.[2]
  • Na cena final do filme, quando Shemp começa a escrever a carta ele diz "Dear Uncle Mortimer…" ("Querido Tio Mortimer"…). Mas se percebe que a frase foi dublada pois o que ele diz na verdade é "Dear Ma…" ("Querida mãe…"), como estava na cena final de Heavenly Daze.

Referências

  1. Solomon, Jon. The Complete Three Stooges: The Official Filmography and Three Stooges Companion. [S.l.]: Comedy III Productions, Inc, 2002. 454 pp. ISBN 0971186804.
  2. Maurer, Joan Howard; Jeff Lenburg, Greg Lenburg. The Three Stooges Scrapbook. [S.l.]: Citadel Press, 1982. 253 pp. ISBN 0806509465.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]